Fallout e Eu

Comprei o meu XBOX 360 em 2009, entre o meio e o fim do ano, meio sem saber quais títulos eu deveria comprar. Como sempre fui fã de RPGs, fui atrás dos resultados do último Game of the Year da IGN e me deparei com Fallout 3. Eu trabalhava com um cara que sempre usava o Vault-Boy nos seus avatares de Skype, fui perguntar pra ele se Fallout era realmente “tudo isso” e ele, como todo fã xiita, respondeu que “até que é bonzinho, mas os três primeiros de PC (Fallout 1 e 2 e o Tactics) eram muito melhores”.

Ainda que sem sentir muita firmeza, peguei Fallout 3 entre os meus primeiros jogos, ainda numa versão “Jack Sparrow” (shame on me). Confesso que na primeira vez que joguei não me empolguei tanto. Mas fui dando outras chances ao game, tentando me ambientar cada vez mais naquele mundinho pós apocalíptico cinzento e hostil. Antes que eu pudesse dar por mim, já estava reservando um dos meus Desktops no meu computador com Linux do trabalho (shame on me again) com a The Vault, uma wiki especializada em Fallout, para estudar onde eu iria depois, que missões mais eu poderia fazer, quem poderia ser meu novo companion e conhecer um pouco mais sobre os antigos games da série. Enfim, resumindo, Fallout 3 me consumiu aproximadamente 120 a 140 horas de jogo Balklänning. Eu estava oficialmente viciado na série.

No final de 2009 fui agraciado com uma (1) Red Light no meu querido 360 com um código que indicava problemas com a interface de rede, mas que me impediam de usar por completo o aparelho. Eu precisava de um videogame a todo custo – aproveitei o natal para me dar um PS3 (com medo de novas Red Lights da vida) e depois de algum tempo ganhei de minha querida namorada uma cópia “Collector’s Edition” do Fallout 3, que vinha com uma lancheira de metal irada, um Bobblehead do Vault-boy, Making of em Blu Ray e um livro com os conceitos artísticos do jogo.

Notícias sobre Fallout New Vegas começavam a surgir e eu falei pra mim mesmo: eu preciso da Collector’s Edition desse jogo de qualquer maneira, independente do que venha no box!

E exatamente na semana de lançamento de Fallout New Vegas, dei uma sorte tremenda: um grande amigo meu tinha acabado de começar namoro com uma comissária de bordo. A moça tinha direito a uma certa cota de passagens aéreas mais baratas para os Estados Unidos. Como vocês podem deduzir, não pensei duas vezes: hora de encomendar minha desejada muamba!

Conteúdo da Caixa

Por baixo dessa luva, temos a caixa do jogo, que por sinal é muito bonita, em um material que imita couro velho. O interior dessa caixa é de plástico revestido de camurça preta, dando um aspecto bem “Deluxe” para o kit.

O primeiro item que se tem acesso ao se abrir a caixa é a Graphic Novel “All Roads”, em capa dura e papel luxo, produzida pela Dark Horse Comics (famosa principalmente pelos quadrinhos oficiais de Star Wars). Esta comic conta os eventos imediatamente anteriores à trama de Fallout New Vegas, com o antagonista (dependendo de como você o veja) Benny juntando uma das gangues mais importantes da Wasteland Mojave, os Great Khans, para sabotar a entrega de uma encomenda por um courrier (no caso, o protagonista do game).

Seguindo com os ítens da caixa, temos sete fichas pequenas plásticas e uma grande metálica representando os principais Cassinos de New Vegas e adjacências: Atomic Wrangler, Bison Steve, Tops, Silver Rush, Ultra Luxe, Gomorra e uma ficha de treino das Vaults (de plástico) e a ficha de platina do cassino Lucky 38, um item importantíssimo no contexto do game. As fichas plásticas são de excelente qualidade, do mesmo material das fichas de poker reais, e contam com design único entre si (cores, detalhes em relevo, etc). Já a ficha de platina do Lucky 38 é um caso à parte: pesada, com uma roleta encravada em sua borda e algo que só notei agora escrevendo este review: dois códigos morse na frente e no verso! Pesquisando pelo código no Google descobri que em um dos lados o código forma a data em que iniciou-se a Grande Guerra (10/23/2077) que transformou o mundo no futuro apocalíptico que conhecemos de Fallout, enquanto que o outro se trata da data de início dos eventos de New Vegas (07/11/2281). Vivendo e aprendendo!

Continuando, temos um Blu Ray (no caso da versão do PS3. A versão de 360 vem com um DVD) com o Making Of do game. Os vídeos são essencialmente os divulgados pela Bethesda antes do lançamento do jogo, com informações sobre o processo de criação e produção, além de entrevista com alguns dos dubladores do game como Matthew Perry (o eterno Chandler de Friends), o narrador Wayne Newton (conhecido nos EUA como Mr. Las Vegas e que no jogo interpreta sua contraparte futurista, Mr. New Vegas) e o nosso mexicano mal-encarado favorito, Danny Trejo, dentre outros.

Por fim, temos um baralho temático de Fallout New Vegas, com aquele aspecto de “item que sobreviveu a um holocausto nuclear“. Cada uma das cartas possui em sua frente a imagem dos personagens e facções mais importantes do jogo, com uma qualidade de ilustração que particularmente me agrada muito, mais que a utilizada na Graphic Novel. A parte de trás das cartas imita as cartas dos cassinos de New Vegas, ou seja, não são todas iguais, o que torna jogar um truquinho com esse baralho praticamente impraticável (se é que você ia colocar seu item de colecionador sobre uma mesa molhada de cerveja).

Comentários Finais

Enquanto que a Collector’s Edition de Fallout 3 tinha um compromisso mais de aumentar a imersividade para o jogador-colecionador com a lancheira metálica e o bobblehead do Vault Boy para você deixar sobre sua mesa (e fazer inveja aos amiguinhos), Fallout New Vegas traz itens mais interessantes de se ver uma ou duas vezes e em seguida guardar. Não que seja uma Collector’s Edition ruim, mas os itens que vêm na caixa se perderiam muito facilmente se colocados sobre uma mesa, ou ainda não ganhariam a visibilidade merecida se colocados em uma prateleira.

Apesar de ter gostado da Graphic Novel que acompanha o jogo, eu particularmente preferia um livreto de arte conceitual, mesmo que muita coisa fosse repetida do conteúdo das cartas de baralho. Outro item que poderia vir na caixa é um dos globos de neve encontrados no jogo, que representam algumas das localidades de New Vegas trazendo a figura do carismático Vault-Boy.

Resumindo: A Collector’s Edition de New Vegas foi feita com bastante cuidado e tem itens de explodir cabeças (como o código morse no Platinum Chip), mas poderia ser ainda melhor.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

19 Comentario(s)

  • inominavel 5 anos atrs

    Postagens sobre edições de colecionador sempre chamam muito a minha atenção, ainda mais eu sendo uma pessoa que adora coleções( ja estou começando a minha, mas ainda tenho somente edições Stand, nenuma especial ainda dos jogos), gostei muito do posta, e da maneira como o foi relatada a edição, nota-se a paixão nas palavras da pessoa que escreveu,os detalhes e tudo mais.

    Gostei da edição de colecionador do jogo,mais ficou algo bem por ai mesmo como foi falado, ela não é algo que se pode expor devido a facilidade de se perder um dos itens da caixa, mas ainda assim isso não ofusca o valor que a edição tenha, mas como dito, poderia ter sido melhor. Mas ainda é válido ter se for fã da série.

    • Legal que você tenha curtido o Post! :-)

      Eu ainda tenho muito poucas edições de colecionador (essa, a de F3 como disse no Post e a edição Européia de Dead Rising 2, que vem com menos itens que a americana).

      O maior problema dessas edições é onde guardar… Essa caixa do New Vegas por exemplo toma sozinha o espaço de aproximadamente 6 jogos de PS3. Mas que dá gosto ver um caixotinho desses no meio das quinquilharias gamers, pode ter certeza que dá!

  • Legal ver meu artigo no Fenix Down!

    Como fã do trabalho de vocês é muito bacana poder contribuir com o conteúdo do site, ainda mais falando sobre uma das minhas séries de games preferidas.

    Abraço ao Diego e ao Fernando pela oportunidade de colaborar com o projeto de vocês!

    • diegogc 5 anos atrs

      mandou bem cara, seu review ficou bem maneiro! Sinta-se a vontade de contribuir quando quiser!

  • Rodrigo_T 5 anos atrs

    velho, tenho q falar q fallout eh um dos jogos com enredo mais brochante q ja tive o desprazer de jogar, o new vegas consegue ser pior que o F3, nao consegui ir ate o fim.E tirando o fato do game ter um mundo extremamente aberto e gigante n vejo pq essa serie eh tao reverenciada.
    Dito isso, texto bacana…

    • É algo bem pessoal, mas dá pra entender.

      Como eu comentei no Post, tive que dar algumas chances ao Fallout para conseguir curtir – mas hoje confesso que curto demais.

      Sobre os motivos dela ser tão reverenciada, acho que mais que um mundo tão aberto, ele tem um background tão rico e tão cheio de detalhes que até mesmo a trama principal do game fica em segundo plano.
      Fora isso, tem o lance da ambientação: quando eu encarava o F3 como um jogo mais shooter / ação eu me frustrava muito porque sempre ficava sem balas e a beira da morte. Quando comecei a agir como um "sobrevivente de holocausto", guardando lixo pra vender nas caravanas, economizando balas e tentando resolver os problemas através de diplomacia, o game ganhou outro significado pra mim.

      Mas de novo, é um jogo "slow paced", não é qualquer pessoa que gosta… aliás, boa parte dos meus amigos acha esse jogo bem chatinho também.

  • Na época que joguei Fallout 3, eu fiz tanta side quest, que quando cheguei no ULTIMA quest, perdi totalmente a vontade de jogar e simplesmente não virei até hoje ahahah Apesar de ainda achar bacana :\

    Muito legal o texto! E adorei o baralho, lindão de verdade *–*

    • Confesso que fiz quase a mesma coisa. Eu explorei o mapa inteiro, fiz todas as side quests e até joguei duas das expansões antes de terminar a Quest principal.

  • marcoaps19 5 anos atrs

    Muito legal tanto o texto quanto a ed. colecionador em si.

    Uma ideia que eu tive pra "expor" mais os itens dessa edição seria fazer tipo uma caixinha de vidro com uma almofada de espuma pra colocar numa mesa/prateleira e não perder, mas ficaria muito caro, eu acho.

    PS.: Eu ainda não joguei nenhum Fallout e queria saber se posso começar o New Vegas ou ficarei perdido na história.

    • Squallnathan 5 anos atrs

      Acredito que dê pra jogar o New Vegas sem problemas. As histórias são diferentes.

    • As histórias não estão interligadas, pode começar com o New Vegas sem medo…

      Mas eu começaria pelo 3 ainda assim porque

      – os gráficos não evoluiram praticamente nada
      – as melhoras na mecânica do jogo, embora existentes, são muito poucas
      – Fallout New Vegas é o jogo mais bugado que já joguei EVER. Ouvi dizer que as versões do 360 e de PC são mais estáveis, mas se você estiver com um PS3 eu recomendo começar com o 3.

      Fora isso, a Game of the Year Edition do Fallout 3 tem as 5 expansões e está mais barata que a edição standard de New Vegas. As expansões no geral não são TÃO legais assim, mas a Broken Steel toma uma liberdade de esticar um pouco mais a história original do game de uma forma interessante.

      No mais, se você quiser dar uma lida num review que fiz sobre New Vegas (mais focado no game propriamente dito), pode dar uma visitada no meu blog: http://gamerinconstante.com/2011/01/26/fallout-ne

  • Squallnathan 5 anos atrs

    Cara, ao ler o começo da sua história me identifiquei na hora!
    Comprei a ed. de colecionador de Fallout 3 só por causa da lancheira e do bobblehead (o preço tb ajudou bastante (adoro os vendedores desesperados do Mercado Livre :D)). Quando comecei a jogar não conseguia fazer quase nada, Fallout 3 foi o primeiro "FPS" que peguei pra jogar sério, então o que mais acontecia comigo era morrer sem nem saber quem tinha me atacado. Com o passar do tempo eu melhorei um pouco (graças ao V.A.T.S)e me viciei no jogo.

    Quando vi que tb ia sair uma edição de colecionista pro New Vegas eu fiquei doido, mas depois de ver os itens que vinham nela perdi a vontade de comprar. Mas se um dia achá-la por um preço legal, com certeza a comprarei.

  • espantalho555 5 anos atrs

    Concordo com o texto. A edição do Fallout New Vegas é inferior a do Fallout 3, mas é obrigatória para os fãs da série, e como tal, possuo as duas
    Se você não joga poker, os itens não são tãos importantes e ficam mais para colecionar mesmo. Afinal ter um Pip Boy em cima da mesa chama mais a atenção e é bem mais legal!

    Tive problema com a Graphic Novel, ela não veio na primeira vez que comprei. Por sorte eu consegui com que me enviassem outro já com todos os itens.

  • rcbknew 5 anos atrs

    Nice, tambem quero um!

  • phelioz 5 anos atrs

    Bom, comentando primeiro apenas sobre os jogos…

    Acho que as melhorias no Fallout New Vegas não foram em relação a gráficos ou jogabilidade… Um ponto negativo que encontrei foi o fato do jogo ser muito fácil… Mas pra quem quiser, pode simplesmente escolher o modo hardcore do jogo…

    Os Bugs, na minha opinião, mataram o jogo… Não fossem os inumeros bugs, que não dá pra entender como passaram para a versão final do jogo, teria sido um dos melhores jogos que já joguei!!

    A history line é sem graça… Seu personagem em si é sem graça também… Mas o mundo é interessante, e os NPCs são bem mais "memoráveis" do que no Fallout 3, por exemplo. Os companions do seu personagem ganharam uma importância maior, com quests próprias e sendo afetados pelas suas decisões…

    Apesar de ter gostado muito do Fallout 3 (mas com uma ressalva a suas péssimas expansões… Curtas e sem graça) achei o Fallout New Vegas um jogo mais divertido de se jogar… Talvez por eu ter jogado primeiro o Fallout New Vegas, e ser tudo novidade pra mim =)
    Uma pena que tenha tantos bugs…