Os 4 gigantes são os guardiões de Termina. Eles viviam com os habitantes de Termina e um dia eles resolveram se isolar, cada um e uma parte do mundo (oceano, montanha, pântano e cânion), mas disseram que caso eles precisassem, os gigantes poderiam ser chamados com uma canção (Oath to Order). Aí jaz uma pergunta: porque quando a lua aparece e vai se chocar com Termina simplesmente não tocam a canção chamando os gigantes? A resposta: Isso aconteceu há muito tempo atrás e os gigantes são vistos apenas como uma lenda.E também porque Skull Kid selou os gigantes, os aprisionando. Para que eles possam ser chamados, os 4 monstros que cuidam os templos de Termina precisam ser derrotados. A cada derrota você ganha uma máscara, que são os restos (traduzido do original, Remains, Odolwa, Goht, Gyorg e Twinmold Remains) desses monstros, e liberta os gigantes.

“You just freed the innocent spirit that this dark mask had kept imprisoned with the body of evil Odolwa”. Algo a se notar durante essas partes é, os Gigantes estão no meio de um mundo meio de sonhos, com bolhas voando, cachoeiras e água colorida (dooooorgas manolo!)… Eles cantam as suas palavras, uma forma um tanto poética. O primeiro gigante te ensina a canção e na conversa ele diz “Call us”. O segundo diz, quando Tatl pergunta o que eles são: “Guardians”. O terceiro pede “Help our friend” se referindo claramente ao Skull Kid que está sendo controlado pela Majora. E o quarto repete o que o primeiro fala, “Call us”. Tatl reforça o fato deles estarem tão tristes. Você enfim os chama para conter a lua de se chocar contra Termina, e após derrotar Majora eles perdoam o Skull Kid e voltam então para os lugares de descanso.

Sobre a lua, além do fato de ela ser completamente sinistra e estranha (com aquele sorriso amarelo maligno) não há tanto a se falar. Pesquisando para esse artigo eu li algumas coisas interessantes e também gostaria de desmistificar algumas coisas.

Vi pessoas se perguntando se a lua via todo Carnaval. Óbvio que não, todo o rebuliço no gabinete do prefeito é justamente sobre o que devem fazer, ir embora ou ficar na cidade pois duvidam que a lua de fato esmague Termina. O jeito que eles tratam é como se aquilo fosse completamente surreal e inédito. De fato, Zelda Majora’s Mask não é a primeira nem última história sobre um corpo celeste em colisão eminente com a Terra. Existem inúmeros filmes sobre isso, mas o que se percebe no Zelda, é que, apesar das pessoas comentarem sobre isso, todas estão meio que desligadas e continuam sua vida normal (até o terceiro dia em que a pontinha do nariz da lua praticamente toca a torre do relógio). Muito estranho, o que nos faz pensar na veracidade disso tudo.

Bom, ficamos por aqui por hoje! Semana que vem será nosso último enconto! Até lá!

Paolo Cezar

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

6 Comentario(s)

  • Opa! Mais uma etapa maneira da Filosofia Majora! Essa nem tão polêmica mas boa também!
    Parabéns pela iniciativa! Espero que anime gamers a jogarem esse game fantástico!

  • inominavel 5 anos atrs

    Cada vez mais interessante esse assunto, realmente uma aula sobre Majoras Mask.
    No aguardo da Última parte desse texto.

  • Drugue 5 anos atrs

    Mais uma vez o texto ficou excelente, o jeito que você esta abordando a mitologia está excelente.
    Fico realmente triste por saber que vai ter apenas mais um texto.
    Parabéns!

  • Lpolon 5 anos atrs

    Olha só esse Paolo Cezar, bom menino =p

    Botando fotos e ouvindo o feedback dos comentários.
    Boa! Parabéns.

  • That’s really shewrd! Good to see the logic set out so well.