Bem vindos a  mais um Tô jogando aqui no Fênix Down! A coluna onde você, leitor, pode participar!

Hoje quem traz o review é o João Salvadoretti, o mesmo que nos escreveu um preview de Shogun 2 a um tempo atrás! Dessa vez ele nos traz sua completa experiência com o game inclusive um vídeo de gameplay capturado por ele mesmo. Confira e não esqueça de deixar o seu feedback!

E não deixe de enviar o seu review para a gente colocar aqui no Tô Jogando!

Game: Total War: Shogun 2
Plataforma: PC
Player: João Salvadoretti

Para enviar seu conteúdo, comentários, sugestões, críticas ou elogios mande um e-mail para contato@fenixdown.com.br.

Superando as expectativas, Total War: Shogun 2 é talvez um dos melhores lançamentos da série. Apesar de ser ambientado em um cenário menor, tanto em extensão quanto em tempo, Shogun 2 é o legítimo caso “quando menos é mais“, tudo se revela bem mais focado e conectado, oposto a dispersão do Empire.

O mapa do Japão está dividido em 65 províncias, ocupadas pelos nove clãs maiores (jogador escolhe um deles para jogar) – Mori, Oda, Date, Takeda, Uesugi, Shimazu, Chosokabe, Hojo, Tokugawa. Cada um deste ocupa inicialmente uma província (duas em alguns casos) o restante está ocupado por clãs menores. O jogador deverá se tornar o novo Shogun, derrubando o clã Ashigaka e para isso deverá ao capturar Kyoto para que o Imperador o reconheça como o novo Shogun.

O jogo é dividido em duas partes – o modo de campanha, no qual você administra suas províncias, move seus agentes, exércitos e frotas, constrói estruturas, conduz diplomacia (que tem opções novas, como novas opções como oferecer um filho(a) como garantia para algum tratado), pesquisa novas artes (ou tecnologias). Os turnos que são de uma estação, há uma maior importância de certos recursos.

Uma das principais novidades neste modo são os dilemas, eventos nos quais você precisa tomar uma decisão que terá um efeito imediato e de longo prazo para o clã. Por exemplo, se você ira se converter ao cristianismo ou não.

Neste modo você precisa também administrar o clã, ficando de olho na lealdade dos membros, concedendo comissões, arranjando casamentos, adotando algum general mais habilidoso e decidindo quem será o herdeiro. É preciso ficar atento para o fama do clã, se esta cair isso irá afetar a lealdade dos membros. Mas se ela clã subir demais, há o risco do Realm Divide, no qual o Shogun libera os clãs para atacar você.

Quando exércitos ou frotas se encontram, a batalha segue a tradição da série, envolvendo um grande número de soldados em diferentes unidades, em um terreno em 3D, no qual elementos como moral, terreno, clima são muito importantes. E pela primeira vez alguns mapas apresentam algum lugar ou estrutura que pode ser ocupado por um dos lados a fim de se obter um bônus durante a luta.

Nas batalhas de campo, seu exército em geral é formado por dois núcleos, os Ashigaru, camponeses armados ou com Yaris (lanças longas), Arcos ou Mosquetes, e o outro dos Samurais, com diferentes armas que vão desde Katanas, No-Dachis, Naginatas e outras, fora é claro, as tropas de Samurais a cavalo. Há também Monges Guerreiros, Ninjas, Catapultas, Canhões e Ronins (que atuam no jogo como mercenários). Além destas, você poderá, ao pesquisar certas artes, recrutar os Heróis, que são poderosas unidades únicas compostas de um individuo e uma pequena guarda, mas que tem várias habilidades especiais.

Apesar de não serem muitas tropas, comparada a outros jogos da série, em Shogun 2, elas são bem mais únicas e com papéis bem mais claros, inclusive possuindo habilidades especiais.  Destaque vai para as animações em motion capture e com o auxílio de profissionais de artes marciais para compor as coreografias.

Ao sitiar um castelo a principal diferença é que os castelos japoneses são quase que labirintos, compostos de várias camadas que precisam ser passadas pelo atacante, enquanto que o defensor pode ir recuando. No mar, a grande diferença é que navios japoneses são quase que imensos castelos de madeira que flutuam, a luta consiste mais em abordagens ou em incendiar os navios inimigos.

Uma dos elementos mais interessantes do Shogun 2  é o seu multiplayer, além da opção de jogar uma campanha em Co-Op com outro jogador e do Drop-in, que permite que a qualquer momento antes de uma batalha você possa, ao invés de lutar contra o AI, jogar contra um outro jogador; Agora também há um modo inteiramente novo: Avatar Conquest – nele você criar um avatar, escolhe a sua aparência e depois vai movendo ele por um mapa do Japão, e a medida que você ganha batalhas contra outros jogadores, estes territórios são ocupados destravando novas peças de armadura para seu avatar, tropas e outras recompensas. Inclusive há todo um esquema que permite que jogadores formem clãs e disputem territórios no qual a medida que os membros do clã ganham batalhas eles firmam territórios para seu clã.

Finalizando-se é pode-se dizer que a AI de Shogun 2, ainda que não seja perfeita, está muito melhor, no modo de campanha o AI é mais coerente na diplomacia, forma e movimenta seus exércitos e frotas de forma bem mais eficiente, nas batalhas ele varia a estratégia e usa melhor o terreno. Sendo que em níveis de dificuldade alta, como o novo modo – Legendário, o jogo fica realmente difícil.

Shogun 2 é sem dúvida um ponto de virada muito importante para Creative Assembly, que acertou em cheio, ao focar mais o jogo, o que lhe permite explorar melhor os detalhes e oferecer um experiência mais sólida.



Pior host do mundo, criou o Fênix Down para continuar falando de games. Mas sua mania compulsiva acabou criando mais colunas do que ele aguenta.

Facebook Twitter YouTube 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

6 Comentario(s)

  • Alderic 5 anos atrs

    Obrigado!

    Curiosamente, o Shogun 2 não requer muito de sistema, estou rodando ele (meu pc Amd Athlon 64×2 5600 / 3gb ram DDR2 / Asus M3A78 / dvd / nVidia 9500 GT 512 ram) no máximo e está sauve (talvez no video, por limitação da gravação/youtube, pode parecer meio lento).

    Alias o requisitos dele:
    – Minimum Specs:
    – 2 GHz Intel Dual Core processor / 2.6 GHz Intel Single Core processor , or AMD equivalent (with SSE2)
    – 1GB RAM (XP), 2GB RAM (Vista / Windows7)
    – 256 MB DirectX 9.0c compatible graphics card (shader model 3)
    – 1024×768 minimum screen resolution
    – 20GB free hard disk space

    Recommended Specs (Recommended for optimum game play of Total War: Shogun 2):
    – 2nd Generation Intel® Core™i5 processor (or greater), or AMD equivalent
    – 2GB RAM (XP), 4GB RAM (Vista / Windows7)
    – AMD Radeon HD 5000 and 6000 series graphics cards or equivalent DirectX 11 compatible graphics card (nota: suporte completo ao dx11 ainda não foi totalmente colocado).
    – 1280×1024 minimum screen resolution
    – 20GB free hard disk space

  • Belo review, esse jogo parece estar muito bom, ainda estou iniciando na serie Total War, atualmente jogo o Rome e estou gostando muito, pretendo jogar os outros até chegar no Shogun 2.

  • Rodrigo_T 5 anos atrs

    sou mega fã de civilization, mas esse game me deixou um pouco decepcionado, td bem q so joguei um poukinho mas a movimentaçao da tela por exemplo me pareceu completamente horrivel… nessas ferias pretendo dar uma outra cnhance a ele.

  • mathgss 5 anos atrs

    Eu gosto de jogos de estrategia, mas quando joguei o demo achei mais ou menos porque meu pc já não consegue rodar bem outros jogos, esse então piora (muitas unidades na tela), gostei que dá pra jogar estilo civilization 5, mandando a batalha se resolverem automaticamente mas tive muita dificuldade controlando as tropas mesmo prestando atenção no tutorial, imagino que deva ser uma dificuldade de todo mundo que não jogou a série total war antes.

  • Excelente To Jogando!

    Este é o game que me fará turbinar o meu PC!