Bem vindos a mais um Tô Jogando aqui no Fênix Down! A coluna onde você, leitor, pode participar!

Mas agora comigo, Kazz, assumindo as rédeas e sendo seu editor pessoal. Por isso não se acanhem em mandarem seus textos.

E nessa terça-feira quem traz o review não é um colaborador como de costume, e sim um dos criadores do site, Diego Gomes, que trás um panorama geral do pouco conhecido Ghostbusters: Sanctum of Slime. Saiba de seus principais atrativos, pontos fracos e fortes e se realmente vale a pena pagar seus 10 dolares.

E não esqueça de enviar o seu review para a gente colocar aqui no Tô Jogando! Agora com tratamento personalizado, especialmente para você, nosso querido leitor (e escritor).

Game: Ghostbusters: Sanctum of Slime
Plataforma: Xbox 360, PS3, PC
Player: Diego Gomes

Para enviar seu conteúdo, comentários, sugestões, críticas ou elogios, mande um e-mail para contato@fenixdown.com.br.

Estava já com vontade de escrever algo para o Tô Jogando e agora que a coluna não é minha, vi uma ótima oportunidade.
Queria compartilhar com vocês sobre um game que comprei a pouco tempo atrás e ouvi falar, até, muito pouco sobre ele. A principio seria um dos reviews do site mas achamos que não valia um vídeo. O jogo em questão é o Ghostbusters: Sanctum of Slime que saiu para PC, Xbox Live Arcade e PSN.

Depois do triste fracasso que foi o primeiro game (apesar de eu ter gostado bastante), tentando trazer de volta os Caça-fantasmas ao mundos dos games, a Atari resolveu tentar de novo e de forma diferente. O novo Ghostbusters traz uma perspectiva top-down e visa claramente o jogo cooperativo, tanto que você tem sempre, independente do número de jogadores, quatro personagens aparecendo na tela, e obviamente, o trabalho em equipe é essencial para o sucesso das missões.

Graficamente o jogo deixa a desejar. O esquema de história contado com o mesmo estilo dos quadrinhos, que por sinal traz até mesmo os recrutas originais da série, é um tanto tedioso. A falta de cutscenes e os textos gigantes cansam e introduzem uma história bem fraquinha.

Porém na jogabilidade, o jogo tem lá o seu mérito. Seguindo o mesmo esquema de Dead Nation, Alien Swarm e Zombie Apocalypse, você deve atravessar certos cenários enfrentando hordas e hordas de inimigos vindo na sua direção. Para esse tipo de combate você tem a disposição 3 tipo de tiros: o vermelho, que é em forma de raio mesmo, o amarelo que abrange uma área maior, mas é mais lento e por fim, o azul que é como se fosse um “lança-granadas” que explode ao entrar em contato com os fantasmas.

Porém, os inimigos também possuem cores diferenciadas e recebem um dano mais agravado pela arma que possui sua mesma cor, e é nesse ponto que o trabalho em equipe faz a diferença, já que diversas vezes hordas multicoloridas atacarão você de todos os lados, e além da necessidade de ser rápido no gatilho para trocar a munição, existe o grande trunfo de poder combinar os tiros, que caso vocês não tenham percebido, são compostos pelas três cores primárias.

Com o avançar do jogo, monstros roxos, verdes, laranjas, entre outros, aparecerão no seu caminho, forçando você a combinar com o seus companheiros, qual tiro cada um irá usar. No quesito diversão o jogo ganha pontos, já que as estratégias são diversas, no entanto, como o único recurso do jogo é o tiro, o jogo se torna extremamente repetitivo e cansativo.

O replay também é afetado pelo enorme trackbacking. Você acaba visitando uma mesma fase pelo menos duas vezes no decorrer da historia, o que acaba empobrecendo os cenários e se tornando um jogo repetitivo também em seu visual.

E, claro, o ponto mais marcante e que ficou na minha cabeça o tempo inteiro enquanto escrevia esse review: a trilha sonora original que é excelente e está presente no jogo!

Finalizando, Ghostbusters: Sanctum of Slime é um jogo divertido, principalmente se você tiver um grupo de amigos para jogar com você (até porque a IA do jogo não ajuda muito) e apesar dos seus pontos fracos, é ótimo para quem curte o gênero survivor e curte trabalho em equipe. Seu preço de 10 dólares é um pouco acima do que ele realmente vale, mas garanto que não me arrependi de quanto paguei por conta da diversão que foi jogar com amigos.

Host do Last Hit, atração sobre League of Legends do Fênix Down. Videos, podcasts e futuramente muito mais.

Facebook Twitter 

Categoria:

To Jogando

Tags:

, , , ,

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

12 Comentario(s)

  • hatjerboy 5 anos atrs

    Hmm, pra mim ele é bem parecido com o Alien Swarm como você mesmo falou, eu não compraria o jogo se fosse um forever alone da vida, só se tivese amigos jogando comigo, eu mesmo, de vez em nunca jogo alien swarm, apenas quando alguém da steam me convida.

    • diegogc 5 anos atrs

      é, por ae. Não é um jogo para se comprar sozinho não, eu concordo com vc. Claro que sempre tem gente randomica online, mas não é a mesma coisa que jogar com um amigo.

  • Ah, eu me lembro de ter pedido um vídeo sobre esse jogo, mas assim que peguei a demo me arrependi. Como eu ja tinha jogado o Zombie Apocalypse, e como o estilo do jogo é o mesmo, acabou rolando uma comparação onde o Ghostbusters se mostrou bem inferior. Eu tava bem animado antes do jogo sair com os developer's diaries que surgiam e os videos promocionais e acabei me decepcionando com o produto final.

    • diegogc 5 anos atrs

      eu lembro exatamente de vc pedindo um review desse jogo
      no entanto acho q nao valia um video nao, mas joguei e fiz o review ae pra galera =)

  • inominavel 5 anos atrs

    Eu estava muito em dúvida sobre esse jogo, e depois desse review tirei elas, mas ele ainda assim me pareceu interessante até, claro que jogado com amigos, senti que é co-op puro, e sem ele o jogo fica sem o sentido para o qual foi feito.

    • diegogc 5 anos atrs

      é divertido sim, vale a pena, mas vale mais se tiver gente pra jogar

  • fernandorjjr 5 anos atrs

    Eu peguei este jogo, comecei a joga-lo, porém não consegui jogar com os outros 3 players sendo controlados pelo computador. Achei a IA do jogo muito mal feita, porém no quesito diversão, sem dúvida alguma é um jogo interessante.

    Se alguém tiver o jogo para o xbox e quiser jogar é só me add na live, minha gamertag é: FernandojrBRA

    Parabéns pela análise!

    • diegogc 5 anos atrs

      nao tem como fechar o jogo com aqueles 3 mongóis
      pode me add diegogc8

  • Ricardo Pasqual 5 anos atrs

    Muito massa a análise a Diego, parabéns, mas vou dizer que tu é Herói meu guri xD , porque eu não tive paciência pra esse game.

    Quando saiu a notícia do lançamento desse jogo, fiquei locão. Tinha recém comprado Dead Nation, que me agradou muito, e queria mais algum dual-stick shooter no estilo.

    Minha alegria acabou quando baixei a demo (talvez o pouco de hype tenha estragado mais ainda a experiência). Achei o jogo repetitivo demais, sempre na mesma mecânica de degraus. Você vai a uma sala e ela tranca, podendo avançar só quando "limpar" todos os inimigos…over and over again.

    E os inimigos? Me desagradaram bastante também. Insetos, caveiras, bonecos de pano com um girocóptero encarnado, todos com um design muito aquém dos fantasmas que motivam a franquia.

    A diversão fica por conta do multiplayer co-op mesmo. É divertido jogar com o amigo e dizer: Pega os amarelos que eu cuido dos vermelhos, foi! xD É a parte divertida do game, mas pra mim não me motivou a comprá-lo.

    • diegogc 5 anos atrs

      huauahua obrigado!
      é exatamente isso, repetitivo demais, a unica diferença é a combinação dos tiros

      sobre os inimigos, foi um ponto q eu nao toquei, realmente, bem tosco, caveiras, insetos, chega a ser infantil demais….

  • Lucas Carvalho 5 anos atrs

    Adoro jogo desse tipo.Tenho Alien Sworm,Lara Croft and the Guardian Of Light,Magicka e concerteza vou comprar esse.Eu ia comprar Dead Nation mais agora vou esperar pra ganhar na psn.Valew pela dica