Peguem suas armas, acendam suas tochas e preparem seus mamilos pois nessa semana GamerDivã vai ser polêmico! Fernando e Kazz tentam desmistificar as mentiras, as verdades e as dúvidas sobre violência nos jogos e a influência nos gamers!

Será que um jogo violento pode realmente afetar os jogadores? Muitos irão atirar no cinema? Espancar prostitutas? Pular em tartarugas? Comer cogumelos? Até onde a mente humana consegue entender o que é realidade e o que é ficção?

Discuta as notícias, as pesquisas, as opiniões e tentam entender se alguém é culpado nessa história. Jogos? Pais? Sociedade? Ouça já e compartilhe com a gente sua opinião!

Atenção: Cenas fortes no vídeo!

UPDATE: Caso você não está conseguindo ver aqui no site, veja direto nesse LINK para o canal do youtube!

Para enviar seu conteúdo, comentários, sugestões, críticas ou elogios mande um e-mail para contato@fenixdown.com.br.

Não esqueça de seguir nosso twitter @fenix_down, se inscrever no nosso canal no youtube, dar jóinha no vídeo, deixar um comentário e divulgar o vídeo!

E não para por aí não! Se você não tem tempo de assistir ao vídeo, mas está doido para ouvir a nossa opinião, preparamos uma versão em áudio da coluna!

Fernando X de Megaman X! Não de pornografia ou de Xuxa!

Facebook Twitter YouTube 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

39 Comentario(s)

  • inominavel 5 anos atrs

    eita!!! prevejo muitos MAMILOS nesse gamer divã!

  • Squallnathan 5 anos atrs

    Essa matéria da Record foi vergonhosa e totalmente tendenciosa, assim como a matéria publicada no Globo.com. Tanto que depois de muita gente criticar a matéria, eles a modificaram sem dar nenhuma nota de que fizeram. Matar velhinhas e crianças no GTA? Mais do que na cara que não entendem porra nenhuma do que estão escrevendo.

    Sem dúvida que a culpa de crianças jogarem jogos violentos é dos pais que não dão a mínima pro que os filhos fazem. Na capa do jogo tem um número bem grande mostrando a classificação do jogo. E se disserem que em jogo pirata não tem capa, pior ainda, que estão dando um exemplo ainda pior aos filhos.

  • Leonardo 5 anos atrs

    eita!!! prevejo muitos MAMILOS nesse gamer divã! [2]

  • diegogc 5 anos atrs

    acredito que o youtube nao deixa o embed pelo conteudo violento

  • hatjerboy 5 anos atrs

    Cara, Fernando e o Kazz falaram tudo meu deus, parabéns para ambos, jogos influenciam a pessoa SIM, mas outras coisas também, como filmes, jornal e o diabo a quatro, vai de pessoa a pessoa , muito boa a matéria, abraços o/

  • Drugue 5 anos atrs

    Excelente! Não tenho outra palavra pra descrever o vídeo. Vocês falaram exatamente o que qualquer matéria de qualquer emissora de TV que se importe pelo menos um pouco com o jornalismo sério deveria ter falado. Acredito sim que os games e todas as outras mídias influenciam todo mundo que tem contato com elas, não é por que as pessoas que tem mais discernimento conseguem separar uma coisa da outra que simplesmente aquilo não existe, o que me estressa e ver que certas emissoras querem apenas alardear o lado negativo dos games. Quer falar que tal jogo influenciou, ok. Mas não precisa fazer a matéria com um tom que o pai mais desavisado vai entender que qualquer gamer é um assassino, qualquer pessoa é um assassino em potencial, tudo que é preciso pra liberar isso é aquele empurrão, que muitas vezes é gerado por algo um tanto grave e que verdadeiramente atrapalhe as idéias da pessoa(seja isso uma doença ou um acontecimento.).
    Parabens mesmo pelo vídeo!

    • FernandoX 5 anos atrs

      problema é que eles não são gamers, e não tem essa visao de que jogos podem fazer bem que nós temos, só conseguem ver a influencia negativa e focam nisso

      sem contar de que é de consenso comum (infelizmente) que jogos violentos são errados e que influenciam negativamente, entao eles não fazem questao se refletir por meio segundo se isso é verdade ou não

      uma pena que um veiculo de informação tão importante quanto a TV seja levado por pessoas desmioladas que nao questionam as coisas

      • Drugue 5 anos atrs

        Esse é outro ponto, eles não são gamers e não dão chance pra que nós gamers possamos falar a nossa opinião. Lembro até hoje de uma matéria da record também se não me engano que tinha como título algo do tipo: "Games: Em que ponto a diversão vira vício?", essa reportagem passou em um programa desses matinais onde as donas de casa discutem os problemas e tal, e teve a participação de um psicologo e do Moacir(O PCEnginefã) no meio da discussão, depois do psicologo ter explicado umas duas vezes que vício é quando você perde o controle eles perguntaram pro Moacir quantas horas ele jogava por dia, ele disse que de dia de semana jogava 4 horas e nos finais de semana cerca de 10 a 15 horas e a partir dai a matéria que estava série virou uma briga, de um lado o Moacir e o psicologo e do outro lado as apresentadoras, elas querendo dizer que o Moacir era viciado e eles explicando que não, por que ele sabia a quantidade de tempo que jogava e principalmente por que ele trabalhava e cuidava da familia, não largando tudo pelo "vício", no final virou uma palhaçada pro parte das apresentadoras e deu a entender que qualquer jogador de games é viciado. É triste ver essas coisas…

  • Foram tantos mamilos que o youtube tirou do ar =(

  • O fernando n colocou o video de proposito pra fazer polemicazinha.

  • julio baltazar 5 anos atrs

    Parabéns! É muito importante esse trabalho que os gamers de hoje estão fazendo: discutir e argumentar sob re esse assunto. No passado não tinhamos ninguém para nos defender, pois ninguém realmente conhecia o que significa ser um gamer. hoje, nós mesmos estamos fazendo esse papel, pra explicar para aqueles de antigamente e pros de hoje também o que é ser um jogador, o que pensamos, sentimos, fazemos (e não fazemos).

    O que tem que ser ressaltado nesse processo é justamente isso, que os jogos eletrônicos influenciam sim no comportamento de uma pessoas, mas da mesma forma como qualquer outra atividade, hobby, diversão, esporte, religião. As pessoas ainda tratam jogos eletrônicos como brinquedos infantis, e o consideram um ultrapoderoso meio de educação(ou deseducação). Como se em segurar uma peça de plástico me ensinasse a usar armas de fogo, construir bombas…

    Tudo causa influência na formação do caráter e personalidade de um ser humano. Noticiários exibem no horário de almoço cenas da violência urbana, perfurações à bala e faca, cadáveres… crianças assistem, e esperam ansiosamente pra acontecer um assassinato na sua rua, e aí poderem aparecer na TV, no mesmo quadro de um corpo recém-falecido. Militares treinados para matar, médicos que cortam pessoas vivas sem remorso, atores e atrizes pornô que distribuem sexo, religiões que defendem a homofobia, um crítico de cinema que passa 16 horas por dia imerso num mundo de ficção… Por que só os games geram psicopatas, assassinos, aberrações?

    Antes de tudo, temos que tomar a nossa posição, de forma séria e justa. Games influenciam pessoas sim! São violentos sim! O que deve ser feito é um controle adequado, pelos pais (que somos – ou seremos – nós) e pelo Governo (que ainda não esta preparado pra isso). Jogos Eletrônicos são artes, assim como a música, a dança, o cinema. Merecem ser respeitados, mas acima de tudo, exige que nós os respeitemos e busquemos mostrar para os outros o seu valor e a sua responsabilidade.

    • falou tudo! excelente dissertação sua q resumiu bem o video!
      tem que ocorrer mudança dos dois lados, e nós gamers, temos que assumir a nossa responsabilidade!

      gogogo!

  • julio baltazar 5 anos atrs

    AMÉM!

  • Eduardo Silva 5 anos atrs

    Acho que vcs usaram 2 palavras que sintetizam tudo, discernimento e educação.
    Tenha jogado coisas a minha vida inteira e não é por isso que saio aterrorizando os outros pela rua.
    Sei extamente o que funciona num jogo e o que é certo. Muitas das vezes o jogo funciona até como válvula de escape.
    Agora, como qualquer coisa influencia as pessoas, assistir noticiários hoje em dia devia deixar todo mundo mais violento, pq só tem notícia de desgraça.
    Acho q é difícil parerm de culpar os jogos ou filmes, porque é muito mais cômodo isso, ao invés de notar q se uma pessoa for influenciada por essas coisas, essa pessoa não é normal.

    • nunca irao parar de culpar pq como o kazz disse, querem achar culpado pra tudo, querem entender o q tá obvio, é desgastante!

      os gamers tem q ter discernimento pra saber o q é certo e o q é errado, e isso vem com educação! nós sabemos q é errado sair atirando na rua, mas pode existir SIM pessoas q sao influenciadas por isso e q n conseguem distinguir o certo do errado! elas q tem perigo manter contato com qualquer midia violenta!

  • darkcell68 5 anos atrs

    Aqui onde eu moro, e ouvi muitos relatos parecidos, existe a questão de que um pai compra um jogo, ou deixa o filho comprar um comparando o mesmo a um brinquedo qualquer. De cada 10 pessoas 9 classificam os jogos como brinquedos.
    Mas vcs acham que alguma loja vai deixar de fazer a venda pela classificação indicativa na capa? A chance de isso acontecer é extremamente baixa, eu em todos esses anos de gamer nunca vi algo assim acontecer.
    Uma pessoa que tem instabilidade mental, pode se deixar influenciar tanto por um game, tanto quanto por um filme, ou tv, etc.
    Mas a crítica e a mídia as vezes têm a visão muito limitada em relação a isso.
    No mais é isso excelente trabalho como sempre é o gamer divã, vlw pessoal.

    • é nula cara! ninguem vai deixar de vender um jogo só pq é criança
      infelizmente os vendedores n se importam com a sociedade desde que vendam bem, ai q entra o trabalho dos pais

      eles devem SIM censurar seus filhos quando achem necessário
      fazem isso com bebida, podem fazer com seus hobbies tb

  • KrazyFox 5 anos atrs

    Eu discordo completamente, já me senti muito mais influenciado à tomar determinadas ações ou mudar minha atitude por filmes, documentários, palestras, etc.

    Video Game (em geral) nunca se põe no papel de ensinar nada, de passar mensagem nenhuma, eu pelo menos sempre joguei pra divertir, sempre foi um hobby, nunca senti nenhum tipo de influência que afetasse minha personalidade, minha educação, ou qualquer coisa do tipo.

    Eu concordo que influenciam de alguma forma, influenciam principalmente no humor da pessoa (tanto pra relaxar, como pra irritar), e também de outras formas mais superficiais. Mas sinceramente discordo que os video games tenham mais poder de influencia que outras mídias, a influencia que eles causam não é tão profunda assim.

    • leia de novo!
      eu acho q os jogos tem PODER maior do q outras midias! n q eles exercem sempre esse poder ou q influenciam mais!

      eu mudei MTA coisa da minha vida por causa de jogos! visao diferente das pessoas, de relacionamentos, de religiao, jogos me deram mta lição de moral q sou grato por isso!

      apesar de q jogos pode não querer propositalmete te ensinar algo ou passar mensagem, isso n tira dele o potencial de fazer isso

      e poxa, q triste q jogos nunca te ensinaram nada =( nem Braid????
      vc precisa jogar mais coisas!

      • KrazyFox 5 anos atrs

        Não, você me entendeu mau, aprender eu aprendi muitíssimas coisas, meu inglês eu devo aos VGs, de noções de física, geografia, lógica, etc. Mas os jogos nunca mudaram a pessoa que eu sou, nunca me manipularam de nenhuma forma.

        Que eles já me deram conhecimento sim, mas nunca senti que eles moldaram minha opinião das coisas de alguma forma.
        Eu até admito que a cultura em torno dos jogos já me mudaram muito, PRINCIPALMENTE o Nowloading, a forma como vocês analisavam os jogos e tal, as discussões sobre o assunto e tal, lá eu conheci o steam, lá eu comecei a criar consciencia sobre a pirataria e tal. Mas já era outra mídia, não eram os jogos em si.

        Dos jogos, jogos mesmo, eu não sinto influência nenhuma, sinto muito mais fora deles. As vezes os jogos podem ser o motivo (como no exemplo do podcast), mas nunca vi eles como o meio.

        obs.: "Influência nenhuma" = muito pouca, quantidade desprezível.

  • mateusix 5 anos atrs

    Olha só, eu estudo psicologia e a algum tempo e esse assunto vem sendo tratado bastante ultimamente.

    Sobre o caso do Realengo, ele obviamente possuia problemas mentais, mas isso não é culpa dos SÓ dos games. Primeiramente, teriamos que estudar a história mental da pessoa. Seu histórico familiar, se ele se dava bem com familia, a educação que recebeu, influências de amigos, se sofria bullying, tem ou não uma boa renda, tudo isso influência para o perfil psicológico de uma pessoa durante sua vida. Como Kazz disse, não que a pessoa tem tendência, mas ela vai formando sua personalidade psicológica com o passar de sua vida.

    A influência que esse tipo de pessoas recebe é muito diferente da nossa. Pegaremos de exemplos: novelas, jogos de videogame, cinema, músicas, livros….tudo, pra nós, que é uma forma de arte, para algumas pessoas, é algo distorcido, é algo real, que pode ser feito, pode ser usado.

    A reportagem da Record foi sacanagem com os gamers mesmo, porque culparam SÓ os malidtos jogos. GTA, e etc….sim, eles tem alguma parte de culpa, mas eles tem essa parte assim como filmes, música. livros. etc. Podemos citar vários casos assim, como o cara que matou o John Lennon, que tinha se inspirado em um livro (ele confessou). CLARO que a culpa NÃO é do livro, mas sim da distorçãoo que a mente dele fez sobre o mesmo. Entenderam ? Então, o pessoal não pode culpar SÓ os games, tem mil fatores ali no meio que fizeram o cara do Realengo

    Videogame tem seu lado bom e seu lado ruim e creio que a violência gerada nos games seja a menor preocupação delas com a saúde mental, mas ai ja é outra história.

  • Marcelo Neves 5 anos atrs

    Tudo influencia, e cada caso deve ser analisado de forma singular, mas como isso da trabalho e muito mais facíl apontar para um unico lugar, talvez o mais conveniente =D.

    Ja no caso da Record, não seria mais conveniente apontar para o games do que anunciar que o cara era um mongoloide retardado fanatico religioso? ( isso poderia depor contra a marca Record de Televisão/Religião)

  • Daniel Hercules 5 anos atrs

    Eu estudo Mídia e, embora esteja no começo da faculdade, uma coisa já ficou bem clara: A midia não presta.
    Não é que não preste, ela tem MUITO poder. Pras massas, é ela quem dita o que é verdade ou mentira. Tem poder até pra ditar sobre a própria credibilidade, se fazendo passar por bem público 'infalivel e inviolável'. Quem não presta é quem controla a midia!
    Quem controla a mídia sempre vai difundir seus próprios valores e divulgar a "verdade" mais conveniente (conforme cita bem o Marcelo Neves sobre a Record).

    Acontece que a corda sempre arrebenta pro lado mais fraco… ao meu ver, os games só são massacrados com essas acusações de "mal-influentes" por não terem voz midiática ativa, cao contrário do cinema, jornais, TVs, revistas e etc. Como foi bem dito até aqui, todo mundo tem sua fatia de "culpa", porém só leva a trolha quem não pode se defender.

    • Daniel Hercules 5 anos atrs

      Muitas vezes uma posição ofensiva da mídia (no caso a de responsabilizar os games de instigar a violência) não ocorre só por desinformação. A desinformação pode ocorrer, as vezes ser predominante, mas também pode nem ocorrer. Agora, o interesse está sempre lá… sempre existe um viés político, ou uma necessidade de resguardar alguns aspectos de interesse próprio. (Só a título de exemplo, a Veja é danada de fazer isso: Usou Paiakan na época da Eco92, pega pesado com políticos de esquerda, alivia com os de direita, sempre arregaça com a Petrobrás…)

      Parabéns pela coluna! E parabéns ao Diego e a toda galera do FenixDown pela iniciativa, e pelo empenho com a qualidade do conteúdo, que vem desde antes do lançamento do site!

      P.s.: Desculpem continuar escrevendo em Reply, mas não tinha como editar nem deletar o comment que tinha escrito!

  • Lpolon 5 anos atrs

    Sou um cientista… (sério! =p)

    Claro que a mídia influencia e tudo mais. Mas não acho tanto que seja um problema pessoal com o videogame, mas um problema de compreender lógica.

    Duas coisas que todos deveriam entender antes de falar sobre jogos e violência e causa e efeito de forma geral:

    1. Correlação NÃO implica causa.

    2. Probabilidade condicional.
    Se A, qual a chance de B? é DIFERENTE de
    se B, qual a chance de A?

    Quando a mídia ou a sua tia explica que jogos "são responsáveis por comportamento violento". Você só deveria ser dar ao trabalho de dizer: "você não sabe se sim ou não. Não me venha com anedotas."

    fim =]

  • Sahmmael 5 anos atrs

    Parabéns por mais este mami… GamerDivã

    Fato que a gente tá discutindo algo que para a NOSSA geração já está muito bem resolvido. A polêmica fica para a geração anterior careta e a nova geração ingênua. Nós vivemos a transição dos 16bits para o 3D e entendemos mto bem o que é um game.

    Se alguém tem que reclamar, seria a indústria de games. E ela tá tão preocupada com essa polêmica que a usa como propaganda para jogos cada vez mais violentos e lucrativos. Quem está errado afinal?

    Raríssimos são os casos de games que podem ser elogiados como educativos, instrutivos ou que nos deixam alguma mensagem positiva (GamerDivã Go! Go! GO!). Não estou defendo a mídia dos mamilos, mas no mercado atual é realmente difícil provar o contrário.

    Aliás, vou comprar minha shotgun porque o mundo tá cheio de malucos psicopatas.

    • Não acho que a nossa geração, como um todo, esteja bem resolvida. Acho que nós, jogadores mais esclarecidos, somos minoria, principalmente no Brasil.

      Tenho muitos amigos, da minha idade, mais novos e mais velhos, são tão suscetíveis pela mídia como meus pais e avós.

    • FernandoX 5 anos atrs

      não diria que estamos bem resolvida, mas é bem mais esclarecida que as gerações presentes, isso sim!
      mas é outra coisa que varia de gamer pra gamer

    • Sahmmael 5 anos atrs

      Reconheço que generalizei, mas me referia a geração Gamerrr. Ter testemunhado a evolução dos games ajuda a não distorcer o fato de que jogo é ainda um jogo. Mesmo que façam um tetris gore com pedaços de corpos ao invés de bloquinhos coloridos, nós vamos entender a essência do jogo antes de achar nojento ou violento.

      Outra analogia seria a indústria pornô e banalização da erotização.
      Nem por isso o mundo virou um imenso bacanal e há pessoas correndo nuas pelas ruas. Exceto no carnaval.

  • inominavel 5 anos atrs

    é….. esperei mas até agora não rolou o video, os MAMILOS foram muito fortes, mas ouvi a versão em audio.

    Concordo totalmente com o que foi falado, acho muito injusto colocar alguém pra falar de jogos sendo que a mesma não tem o contato o suficiente para tal, concerteza boa coisa não vai sair é que nem colocar o Fernando X para falar de jogos de futebol nos consoles,e o pior é que sempre culpam os jogos como o principal causador da pessoa que comete crimes, como se ele fosse o único causador disso, não levando em conta o histórico social e psicológico do individuo, como muito foi falado no gamer divã dessa semana, quando a pessoa ela ja tem essa tendência violenta, ela pode usar como valvúla de escape qualquer coisa, pode ser numa gange de skin heads,numa torcida organizada,numa religião e assim vai, mas a pessoa já tinha essa tendência violenta por alguns outros motivos, claro que os jogos podem até ter uma parcela de culpa, por ter cido o veiculo que o problemático usou para extravasar essa loucura, mas acredito que seja uma parcela muito pequena.

    é isso rapeize! foram Mamilos fortissimos o dessa semana deve ser de uns 300 ml cada lado! hehehhe e foi ótimo a discussão aqui, li todos os comentários e isso só mostra como o gamer de verdade ele sabe diferenciar a realidade da ficção, e que ninguém aqui tem problemas (eu acho….) e esse assunto ainda dá muito pano pra mangá e poderá voltar a ele com uma outra abordagem!

    • só pra vc saber, pode ver direto no youtube ;)
      o q n rolou foi colocar o video aqui, mas upar no youtube foi sem problemas!
      http://www.youtube.com/watch?v=T7OJmk4hGZk

      e MAMILOS!

      • inominavel 5 anos atrs

        aeeee finalmente consegui assistir!!! valeu Fernando X, nossa…. eu não sabia que Postal e Manhunt eram tão violentos, eu só conheci de nome e poucos videos, mas ai foi mostrado demais ! hehhee, não é o tipo de jogo que me atrai, foi legal ter visto em video mesmo, a experiência Audio Visual é muito diferente, ouvir o assunto enquanto se passa cenas de jogos violentos nos deixa refletindo ainda mais sobre assunto! NICE!!!
        Foi ótimo o gamer divã, e bom ver que é uma coluna que pode abordar um assunto de diversas maneiras!

        E concerteza as Cenas era MAMILOS! hehehe

  • O fernando pediu no twitter por mais sugestões de gamerDivã, bom lá vai:

    – Fanboys. Seja eles de consoles ou mesmo jogos
    – Jogos Japoneses. Uma análise da maluquices que sempre acontecem nos jogos nipônicos
    – O sistema de escolhas morais encontrados em jogos como Mass Effect, Fallout e Infamous

    • Sahmmael 5 anos atrs

      Bem lembrado, continuo com as minhas sugestões:

      – O futuro dos games: qual deverá ser o limite entre realidade e jogo
      – Por que existem os gamers,e por que as mulheres se interessam menos
      – Produtores independentes e Pirataria (esse é mamilos flamejantes)

  • Anarcker 5 anos atrs

    Vocês esmagaram a garota nos trilhos… num quer tem quem queira, pow. XD

    Quando jogo coisas violentas por muito tempo eu realmente fico digamos… "aguentando" mais ver coisas violentas, mas não chega ao extremo de eu ver coisas gore e ficar indiferente. Acho que a influência que os jogos dão a pessoas adultas e normais mentalmente é algo mais para ver aquilo se sentindo menos incomodado, mas não perde a noção de ser errado e etc… espero que eu tenha sido claro….

    Enfim, jogos como MeatBoy e Space Invaders Extreme podem deixar pessoas realmente nervosas e violentas, mas aí já é frustração.

  • Rafael Junio 5 anos atrs

    Sabe, no Brasil nós temos um grande problema com os video games, por causa da falta de informação.
    Eu não conheço NENHUM, absolutamente nenhum programa de TV brasileiro que fala sobre jogos, você conhece?
    Com isto, as pessoas veem seus filhos jogando um call of duty, um gta ou algo assim e fica pensando, "nossa jogos são todos assim, não tem história nem nada, só matar e andar" O filho também fica sem nenhum interesse por jogos mais "interessantes" no quesito história por exemplo. Digamos que ele só quer saber de se divertir matando, esquecendo que tem outras formas de se divertir com os outros (seja interagindo com outros jogadores, pela história, pela música etc)
    Acaba que o preconceito é geral. é só você ir no GameVicio da vida e olhar la os comentários que já fizeram antes do lançamento do portal 2, muitos estavão ansiosos para ouvir a voz da GLados dinovo, mas muito também falavam. "Esse jogo nunca vai ser o game do ano, Battlefield 3 já ganhou" Entende? Muita gente não sabe diferenciar o estilo dos jogos.

    O que eu quero dizer é que sem uma informação de qualidade sobre os jogos, a maioria vai continuar pensando que jogo é coisa de criança (tirando winning eleven) e que não existe jogo que possa te passar algo mais do que diversão.

    • FernandoX 5 anos atrs

      bom, estragando um pouco seu ponto sim, tem programas brasileiros sobre jogos

      na verdade, tinha um canal inteiro só dedicado a games (acho que saiu do ar, não sei) que até tinha a parte de entrevista "combo fala + joga".

      e a parte de jogos não serem levados a sério é culpa também dos gamers! quantas vezes alguém falou mal e vc parou e explicou pra pessoa o que é? e claro, tem mtos gamers que também não estão nem um pouco preocupados com a imagem da mídia, apenas querem se divertir. nada de errado, mas é isso que dá forças pro pessoal serem contra tb

      pais não tme idéia do que passa no jogo, só vê a parte gore rodando, é papel do filho gamer explicar, pq com certeza os pais n vão atrás pra saber do q se trata!