Bem vindos a mais um Tô Jogando aqui no Fênix Down! A coluna onde você, leitor, pode (e deve) participar!

E nessa semana quem trás o review, como tapa-buraco, o boss Diego Gomes, fala do praticamente desconhecido puzzle The Misadventures of P.B. Winterbottom.

E não esqueça de enviar o seu review para a gente colocar aqui no Tô Jogando! Agora com tratamento personalizado, especialmente para você, nosso querido leitor (e escritor).

Jogo: The Misadventures of P.B. Winterbottom
Plataforma: XBOX 360 e PC
Jogador: Diego Gomes

Outro dia esbarrei com um game um tanto inusitado na Xbox Live Arcade. O jogo em questão era o The Misadventures of P.B. Winterbottom, um jogo praticamente em tons de cinza, preto e branco, onde você controlava um baixinho, bigodudo (não, não é o Mario!), em busca de uma torta flutuante… hã?

Winterbottom (vamos chamá-lo assim né?) nada mais é do que um jogo de puzzle onde cada fase apresenta para você uma mecânica diferente que você terá de queimar alguns neurônios para aplicá-la. Eu diria que é o irmão bastardo e desconhecido de grandiosas obras como Braid e Portal, por possuir puzzles geniais e desafiadores, mas, infelizmente, não ser tão famoso quanto eles.

Estudando um pouco sobre o game descobri que originalmente ele era uma tese de graduação de estudantes da University of Southern California. Com o tempo a 2K publicou o game para a Xbox Live Arcade e para PC, exclusivamente, no steam.

Bom vamos ao que interessa e explicar melhor como funciona esse jogo tão curioso.

Primeiramente, seu personagem principal é o P.B. Winterbottom um ladrão de tortas que possui diversas habilidades como manipular o tempo, criar clones de si mesmo e até interagir com eles. O jogo nos é apresentado como se fosse um filme mudo (muito parecido com o ambiente aplicado um ano depois em Stacking) onde é possível criar filmes de você mesmo, e é daí que vem a criação dos “clones“.

Você pode “gravar” um movimento pressionando um botão e ao soltá-lo é como se você estivesse dando o “play” deste filme gravado. Nesse momento um clone do seu personagem fará exatamente o mesmo movimento que você gravou. Dominar esse tipo de conceito é primordial para que você consiga finalizar os desafios do jogo.

Os puzzles basicamente visam coletar todas as tortas do cenário. Em alguns, o principal raciocínio é “como eu consigo chegar lá?” ou “como fazer isso nesse tempo absurdamente curto?” ou pior ainda, “onde cada um dos meus clones devem estar naquele exato segundo?”. Para a conclusão dos puzzles você deve muitas vezes interagir com o cenário e seus clones. Por exemplo, colocar um clone em uma gangorra e usá-la de catapulta, isolar um clone com uma guarda-chuvada e fazê-lo alcançar uma torta mais longe, ou ir você mesmo usando o mesmo guarda-chuva como pára-quedas. As situações são diversas e os puzzles nem sempre possuem apenas uma solução.

No total são 5 mundos de 10 fases cada, onde cada um apresenta um conceito novo em que os puzzles irão girar em volta. Por exemplo: em um determinado mundo, apenas os seus clones conseguem pegar as tortas, já em outro todos os clones que você cria se tornam evil clones e não podem entrar em contato com você.

Graficamente é um jogo simples e bonito, com um tom bem cartunesco que lembra bastante o estilo dos games em flash. Não surpreende nesse aspecto, porém não desagrada também. Em termos sonoros, o jogo abusa de músicas de ambientação, no caso, algo que remeta ao clima noir do cinema mudo e dos anos 20.

O jogo ainda conta com uma série de challenges que vão se abrindo a medida que você avança nos mundos, o que aumenta o replay do jogo e faz valer mais o seu dinheiro gasto.

Concluindo, The Misadventures of P.B. Winterbottom é um jogo que merece a sua atenção se você for um amante de puzzles. Desafio e diversão são seus pontos altos e certamente fazem valer os 10 dólares de investimento para o seu lazer gamístico.

Host do Last Hit, atração sobre League of Legends do Fênix Down. Videos, podcasts e futuramente muito mais.

Facebook Twitter 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

11 Comentario(s)

  • willianmat 5 anos atrs

    É um bom jogo e tem puzzles interessantes. Peguei ele numa promoção do Steam por USD 0,50

    • diegogc 5 anos atrs

      wow! Pagou bem demais uahuahua

    • [NL]EL Nido Rey 5 anos atrs

      Peguei nessa promoção aí também. Impossível não comprar. Infelizmente, não joguei tanto assim.

  • Marcelo Neves 5 anos atrs

    Muito foda esse jogo, pena que fiquei travado no segundo mundo se não me engano, mas acho que vou tentar prosseguir pois esse review me deu um pouco mais de animo. Rsrs..

    Propósito… Tb não terminei o Super Meat boy, esse jogo e do inferno¬¬¬ vcs são fodas mesmo por ter conseguido esse feito. =/

    Obrigado.
    Abs.

    • diegogc 5 anos atrs

      huauhahua SMB é o cão mesmo
      mas esse é mais tranquilo
      eu tb travei uma época no segundo mundo, mas quando passei e comecei a pensar mais com os clones eu consegui fechar o jogo… estou terminando os trials agora, alguns são bem desafiadores.

      O game em si é bem divertido, vale a pena se dedicar um pouco mais pq as melhores mecanicas estao a partir do terceiro mundo, que são a dos clones evil e a do "portal de criação de clone"

  • Ótimo Review Diego!

    Me fez lembrar um joguinho em flash curtinho, mas legal, na mesma pegada: "The company of myself"
    http://totalscore.com.br/play/the-company-of-myse

    Recomendo!

    • diegogc 5 anos atrs

      podes crer!
      parece muito com o Winterbottom!
      Passa ele pro carlos Novais da coluna de Flash Games!

  • Rafael Junio 5 anos atrs

    comprei por 99 centavos no STEAM
    aesuhauhesauesa

    é bem legal o jogo, mas nem terminei P:

  • WoLvessS 5 anos atrs

    tbem comprei no steam muito baratinho + até hj n tinha jogado, depois dessa critica vou abrir aqui pra dar uma olhada. vlw =)

  • Eduardo Silva 5 anos atrs

    Ah rapaz! Eu tinha esquecido o nome do jogo.
    Valeu Diego por lançar esse review e me lembrar! :)
    Ele tem mó climão noir mesmo, parece bem divertido.

  • Anarcker 5 anos atrs

    Não peguei esse nas promoçõs do Steam pelo fato de eu nem ter ido com a cara. =P Mas com esse review meu interesse no jogo foi despertado.
    Muito interessante a mecânica dele, gráficos e etc.