Vamos para mais um Tô Jogando aqui no Fênix Down! A coluna que é mais sua do que nossa!

Nessa semana, João Antonio nos apresenta Crusader King, para os amantes de jogos de PC.

Agora leia atentamente, comente e não se esqueça de enviar o seu review para colocarmos aqui no Tô Jogando!

Jogo: Crusader Kings Complete (Crusader Kings mais a expansão Deus Vult)
Plataforma: PC
Jogador: João Antonio

Crusader Kings (2004) foi originalmente desenvolvido pela Snowball, mas esta teve que abandona-lo devido a problemas financeiros, e o jogo ficou nas mãos da Paradox, que mais tarde lançou a expansão Deus Vult (2007), e já tem anunciado a continuação, Crusader Kings II, para primeira metade de 2012.

Diferente mesmo de outros jogos da franquia, Crusader Kings é menos sobre governar um reino, e mais sobre controlar uma dinastia e sendo mais preciso: as pessoas que a compõem. Cada dinastia tem uma pessoa que é quem a comanda, a família desta e uma corte, e cada um destes indivíduos possuem estatísticas próprias que afetam a seu desempenho, fora um nível de prestígio (define a sua fama geral, sendo usado para clamar e usurpar títulos) e piedade (sua relação com a Igreja e com assuntos da fé), além de vários traços que podem ir ganhando ou perdendo conforme o tempo e eventos passam e ocorrem e que podem ser hereditários.

É necessário tomar decisões como: quem deverá casar com quem (levando em conta as possíveis heranças de títulos que isso pode trazer); que posições são ocupadas dentro da corte; para quem você irá dar este ou aquele título; como e quem será responsável pela educação dos filhos (as). Fora uma série de eventos que acontecem: um nobre pode tanto se destacar em uma batalha, que lhe rende um bom traço ou sofrer um ferimento fatal que o incapacitara; aquele filho mandado para o mosteiro pode se revelar sem qualquer aptidão; outra pessoa pode desenvolver um caso amoroso extraconjugal, o que possivelmente resulta em um filho bastardo, e assim vai. É um jogo quase que sobre a história dessas pessoas e a fortuna de uma dinastia.

Crusader Kings, como o título sugere, é focado nos reis e nobres cristãos (mas há mods que permitem jogar com muçulmanos e povos do leste Europeu), o mapa do jogo engloba toda a Europa Ocidental, partes da África do Norte, Oriente Médio e Europa Oriental, sendo todo dividido em províncias. Cada uma destas é governada por um Conde, acima destes estão os Duques e no topo estão os Reis. Sendo que você pode jogar em qualquer um dos níveis, o que oferece desafios e oportunidades distintas.

O jogo consegue reproduzir muito bem, dentro de suas limitações e abstrações, o que seria administrar um reino neste período (1066-1452). É preciso ficar de olho nos seus vassalos, pois se seu prestígio cair muito, eles podem começar a se rebelar, esteja preparado para ceder títulos e dinheiro para conte-los ou partir a guerra. Sua piedade não só também afeta a lealdade deles, mas com a sua relação com a Igreja, e se a ela cair muito, há o risco da excomunhão ou outras demandas, como por exemplo, ir para uma Cruzada a fim de pagar por seus pecados.

Por falar na Igreja, existem no jogo Arcebispos que são equivalentes a duques possuindo terras e poder, e Bispos (equivalentes a condes) e mais o Bispo da Diocese (escolhido na sua corte), sendo que todos estes podem concorrer à eleição papal.

Seu exército é limitado, ainda que cada província possa formar um regimento (cuja composição depende do tamanho da população e do equilíbrio de poder local entre camponeses, burgueses, clero e nobres), você só pode mobilizar estas forças diretamente da suas terras. Se precisar de mais tropas, você vai ter que apelar para os vassalos e ai você tem duas opções: ou você pede individualmente que os vassalos o façam, mas nesse caso eles controlam estas tropas, ou você ordena uma Mobilização Geral que dá a você controle de todas as tropas. Só há um grave problema: ambas as opções dependem da lealdade dos seus vassalos, e abusar delas (principalmente a segunda) pode geral sentimentos de revolta… Some isto a outros problemas, exércitos custam muito caro e sofrem atrito (que representa as perdas por deserção e doença). Logo uma vez mobilizados é bom ser rápido para debandar a hoste o quanto antes.

Mas antes de mobilizar a sua hoste, para começar uma guerra às coisas podem ser um pouco complicadas, entre reinos cristãos você só pode declarar guerra se você tiver direito (seja por casamentos, seja por usar o prestígio para criar falsos documentos) a aquele título de nobreza. Mas você pode declarar guerra livremente a aqueles que não são cristãos. Porém, em ambos os casos sua reputação será afetada se você começar a anexar terras e títulos demais.

Você também pode decidir as Leis Sucessórias do Reino, que definem quem irá herdar o que, havendo vários modelos, como a Lei Eletiva (o vassalo mais forte herda tudo), variantes da Lei Sálica (em geral filho mais velho) e da Gavelkind (todas as terras são dividias igualmente entre os herdeiros masculinos), além das Leis do Reino que determinam como as taxas e relações com os vassalos funcionam, afetando a economia e composição das tropas. Fora isso você pode pesquisar tecnologias que liberam novos prédios para construções para as províncias ou melhoram a eficiência das tropas e da economia

Crusader Kings é um excelente jogo que se revela muito envolvente à medida que você vai acompanhando os destinos da uma dinastia e seus membros, os únicos pontos baixos, são os gráficos bastante fracos e o fato que por vezes há tantas províncias no jogo que fica confuso saber onde fica este ou aquele condado.

Host do Last Hit, atração sobre League of Legends do Fênix Down. Videos, podcasts e futuramente muito mais.

Facebook Twitter 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

3 Comentario(s)

  • Achei sensacional a premissa do game!

    Taí um joguinho que me atrai – uma jogabilidade diferente, mais experimental.

    Parabéns pelo review!

  • Seria interessante se fossem colocados os requisitos para rodaros jogos …

    Quanto ao jogo, eu também curti a premissa! Vou dar uma pesquisada melhor sobre o título.

  • Alderic 5 anos atrs

    Quanto aos requisitos de sistema, o Crusader Kings é bem leve, até por ser um jogo um pouco antigo, ele pode ser achado a venda por download no Gamersgate (foi aonde eu peguei) e outros lugares.

    Windows 98SE / 2000 / XP
    Pentium III 450 MHz 128 Mb RAM
    600 MB Free Hard Drive Space
    4 Mb Video Card DirectX Compatible
    DirectX compatible Sound Card
    DirectX 9.0 or higher

    E para quem quiser conhecer mais pode dar uma olhada no fórum da própria Paradox – http://forum.paradoxplaza.com/forum/forumdisplay…. e também na sessão de AAR – After Action Report que são tipo "fics" narrando coisas que aconteceram na partida de alguém.