Quem nunca quis ser o Batman?

Sério. Nem uma veizinha você sentiu vontade de pegar bandidos e beat’em to a pulp? Ser o cara que é absurdo o suficiente pra pegar a mulher gato, ter dinheiro até fazer bico e ainda descer o braço no super-homem? Bem, eu tive. Às vezes até vendo o jornal eu me pergunto “onde tá o Batman quando a gente precisa?”. Sinceramente, cada vez mais parece ser o que precisamos – e não merecemos (?). Então, quando temos a chance de ser um personagem tão fodão assim, quem não vai sair correndo pra pegar sua vez na fila?

Infelizmente, até recentemente todas as oportunidades que tínhamos de personificar o cavaleiro das trevas terminavam frustradas miseravelmente por jogos fuleiros e mequetrefes. Quando você se imagina sendo o Batman, não pensa em lutas meia-boca e desafios risíveis. Você quer transformar bad guys em paçoca com os punhos e depois só dar uma estalada no pescoço pra aliviar a tensão. Poder ir atrás de pistas, investigando os cenários e seguir os rastros deixados até solucionar o caso – afinal, somos o maior detetive do mundo! – E para tanto, precisamos de uma história a altura, não uma adaptação caça níquel de filmes.

Nunca gostei dessa história de transformar filme em game. Simplesmente não dá certo. Da mesma forma que transformar game em filme. São mídias diferentes, nós nos comunicamos de forma diferente com a história. Em um, somos o personagem, nós batemos, corremos, fugimos e sobrevivemos. No outro, ficamos sentados, assistimos, torcemos e comemoramos a vitória deles. Os dois são divertidos? Sim, mas não é a mesma coisa. Então por que a história deveria ser? Tanto o filme quanto o jogo – bem feitos – nos dão não só uma história com aquele personagem, e sim um mundo onde aquele personagem vive. Temos lugares, situações e interações com alguns aspectos daquele todo. Mas ainda tem o resto do todo não mostrado para usar. Então use! Mas antes, procure alguém que entenda daquele muito e tenha capacidade de criar nele. Faça bem feito, ou simplesmente não faça.

O que acontece quando seguem esse princípio simples? – e completamente ignorado na maioria das vezes – ganhamos um jogo como Batman: Arkhan Asylum. Apenas o melhor jogo não de super-herói, mas de adaptação de HQ – Ok, ele e Scott Pilgrim… que também seguiu essa fórmula. Viu só? – Temos uma história muito boa e digna do personagem. Ela tem falhas? Claro. Se as histórias dos quadrinhos têm, como a do jogo seria livre delas? Mas comparando B:AA com todas as outras adaptações, consideraria pegar todas as outras, juntar em um belo sacão e tacar fogo.

Não vou falar de gráficos. Eles são muito bons e tal, Hera venenosa tá gostosa pra caraleo e etc. Bem, jogabilidade, parte que considero o maior trunfo do jogo. Você se sente o Batman. Quando espancar bandidos foi tão simples e divertido? É como se passassem pras suas mãos a facilidade do cruzado de capa em surrar criminosos. Você é o Batman. Sabe que aquele bando de vinte capangas avançando contra você falhará miseravelmente em te derrubar, sendo surrado impiedosamente até parecer criancinhas de 3 anos, que deixaram o sorvete cair no chão. Afinal, fazemos isso toda noite, não é?

É verdade que às vezes o jogo facilita até demais nossa vida. Deixam o Detective Mode ali, olhando pra você, separado apenas por um simples pressionar do botão pra entregar de bandeja um scanner, raio-x e visão térmica. Viramos um semi-super-homem. E o jogo entra em beginner mode. Nem tudo é perfeito. Mas a opção é sua. Você tem a caixa de remédios, se vai tomar a dose certa e indicada ou virar o pote inteiro, terminando como companheiro de poker do Heath Ledger. É com você.

Arkhan City está chegando. Novos personagens. Mulher gato. Um Robin finalmente convencendo que pode bater em alguém. E uma CIDADE INTEIRA de vilões para surrar. O que posso dizer?

Voltarei a ser o Batman.


Pedro Woyames

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

17 Comentario(s)

  • Somos dois :D
    Assino embaixo de todas as suas palavras. E pensar que antes do demo ser lançado eu não ligava a mínima para o jogo, achava até que seria uma porcaria. Mas estava usando como parâmetro o Beat'em Up do Watchmen, que não é lá grandes coisas. Mas felizmente saiu o demo, joguei e… AMEI NO ATO. Tanto que 10 minutos depois o jogo já estava comprado em pré-venda através do Steam :)
    E faria o mesmo com o Arkham City, mas estou abalado pela notícia dele sair traduzido em português do Brasil, por aqui. Mas, de qualquer forma, estou aguardando muito por essa continuação, que será FODA! :D

  • Daniel Avelan 5 anos atrs

    eu também não gostei do x-ray,mas nem foi por ser muito apelativo,mas mais pelo fato de eu ter que ficar olhando uma planilha de autocad azul durante metade da gameplay ao invés de apreciar os cenários

    • De fato, o recurso em si não era o problema, e sim a forma como ele era implementado: matava toda a arte maravilhosa do jogo, porque você acabava deixando direto nessa visão, para ficar atento aos highlights. Parece que isso será melhorado no Arkham City, mas não notei muita diferença no vídeo que eu assisti, não. Mas só pegando para jogar para poder tirar uma conclusão final :)

    • pedrowoyames 5 anos atrs

      É. Esse é um grande defeito do detective mode. Mas ele realmente facilita MUITO as coisas. Mas é aquela coisa de ser opção usar ou não. Quando joguei agora na preparação pro AC (Arkhan City, não Assassins Creed) eu tentei evitar usar o máximo, só pelo lulz mesmo e poder apreciar melhor a arte do jogo.

  • Ricardo 5 anos atrs

    Só eu acho que esse jogo foi uma continuação de espírito do Batman Begins pra PS2?
    Pra mim ele deu continuação à idéia, tomou lugar como melhor adaptação de HQ (o jogo é foda… fato) mas acabou deixando nas sombras o seu antecessor.
    Joguem pra ver. Muitas das idéias do AA vieram do Batman Begins de PS2…

    • Não é não!
      Batman Begins de PS2 é muito bom mesmo!
      Esse lance de criar o terror nos seus adversarios veio bem anets nesse jogo. O combate do AA foi aperfeiçoado mas o do begin tb era muito bom!
      Eu recomendo tb!

  • yogodoshi 5 anos atrs

    Belo post! To jogando só agora o Arkhan Asylym por causa do Arkhan City e to curtindo =)

  • Poisony 5 anos atrs

    Texto mais louco que a capa do Batman, mas foi divertido ler.

    O que é "benninger mode"? Aliás, o que é BENNINGER?

    • huahuahua sabe quando o cérebro consegue ler palavras mesmo com letras embaralhadas? pois é, passou na edição mas ja esta consertado!

      • pedrowoyames 5 anos atrs

        HAHAHAHA!
        Diego deixou passar, EU deixei passar… Ainda bem que alguém viu >_>

  • pedrohenri 5 anos atrs

    Jogão esse, mas confesso que só joguei pq todo mundo falava bem. Minha última experiência com Batman, antes do AA, foi um de PS1 que foi traumatizante.

  • Vitor 5 anos atrs

    bom post, concordo que AA é o melhor game de herói de quadrinhos já feito MAS preciso lembrar que existem bons jogos de heróis por aí, nenhum GOTY como o AA,mas existem muitos jogos legais baseados em heróis de quadrinhos por aí:

    aqueles de snes baseado nos desenhos consumiram muitas horas dos meus dias inúteis de adolescente.
    Os sandbox de Hulk e o Spiderman 2 para PS2 também honraram bem os heróis.
    O jogo do Wolverine de PS3 ficou surpreendentemente bom, muito melhor do que aquela bomba pro cinema.
    Me diverti muito também com o coop dos Marvel Ultimate Alliance, pude jogar com muitos personagens legais que difícilmente terão jogos, como o Dr. Estranho.
    Lembro também daquele beat'em up clássico de arcade do Justiceiro e Nick Fury…

    Enfim, pensaria 2 vezes antes de "pegar todas as outras adaptações, juntar em um belo sacão e tacar fogo".

    Em tempo: O mundo precisa de um jogo bem feito do Lobo :)

    • Vitor 5 anos atrs

      correção: aqueles de snes baseado nos desenhos DO BATMAN consumiram muitas horas dos meus dias inúteis de adolescente.

    • pedrowoyames 5 anos atrs

      Cara, existem outros jogos legais. Mas a frase foi que em COMPARAÇÃO, juntar em um belo sacão e tacar fogo.

      Joguei bastante esse spider-man pra ps2, mas comparado ao AA ele n sobrevive.

  • Compro > Batman: Arkham Asylum usado para PS3.
    Interessados entrar em contato pelo Twitter: @Lucas2099

  • Maner 5 anos atrs

    Discoro da parte em que TODAS as tentativas de se ter um bom game do Batman foram frustradas.

    Batman do NES é um dos melhores jogos do console e Batman Returns (SNES) é um beat m' up de primeira.

  • I am the night!