Vamos para mais um Tô Jogando aqui no Fênix Down! A coluna comunitária que precisa da sua ajuda.

Nessa semana, Bruno “espantalho555” Izidro, colaborador recorrente e fã assíduo do site, analisa o terceiro jogo da franquia Assassin’s Creed, da gigante Ubisoft para PC, XBOX 360 e PS3.

Agora leia atentamente, comente e não se você escreve razoavelmente bem, não deixe de mandar sua colaboração para o Tô Jogando!

[gameinfo title=”Game Info” game_name=”Assassin’s Creed Brotherhood” developers=”Ubisoft” publishers=”Ubisoft” platforms=”PC, XBOX 360, PS3″ genres=”Ação, Aventura” release_date=”16/11/2010″]

Quem deu uma segunda chance para a série dos assassinos em Assassin’s Creed II não se arrependeu. Ao final do game, a vontade era de continuar para saber mais da trama e poder visitar mais cidades históricas em eras passadas. E foi isso que a Ubisoft fez, um ano depois, ao lançar Assassin’s Creed Brotherhood.

Apesar de não proporcionar um salto tão grande de evolução como aconteceu entre o primeiro e segundo título, Brotherhood está muito longe de ser só uma expansão e o jogo melhora muitos aspectos e adiciona outros que justificam perfeitamente a seqüência e fazem dele o melhor da série até agora.

Aprendendo com o game o que deveria ter aprendido na escola

É difícil falar de Assassin’s Creed sem falar de história e em Brotherhood a trama continua com Ezio Auditore, agora em Roma, no começo do século 16. A cidade está passando por maus bocados por causa da tirania do atual papa Rodrigo Bórgia, porém, o principal vilão do jogo é seu filho Cesare, o comandante do exercito. Um dos novos mecanismos do game é justamente ter que livrar regiões da cidade da influência dos Bórgia, o que significa matar os capitães que comandam aquela área e queimar torres com o símbolo da família. Só assim é que Ezio poderá recuperar as lojas de ferreiro para comprar novas armas e postos médicos para se curar.

A história nos dias atuais de Desmond também não foi esquecida e mais revelações são mostradas. Agora há a possibilidade de sair do Animus a qualquer hora para controlar o descendente de Ezio e Altair. Porém, no presente, há muito pouco o que se fazer, o que chega a ser meio frustrante. Já nas memórias de Ezio acontece o contrário e o jogador irá encontrar uma Roma repleta de missões paralelas.

Para realizar tantas novas tarefas, o assassino conta mais uma vez com o auxílio de mercenários, ladrões e cortesãs, mas a verdadeira ajuda – e uma das principais novidades do game – está naquilo que dá nome ao jogo: a Brotherhood

A irmandade dos assassinos

Ezio agora está recrutando pessoas insatisfeitas com a situação da cidade para se juntar a ordem dos assassinos, formando a irmandade. Os membros começam como simples recrutas e eles devem ser enviados em missões para ganhar experiência, aumentar de nível e subir na hierarquia até conseguirem o título de assassino propriamente dito. Isso dá um ar de estratégia e RPG ao jogo, o que é muito bem vindo

Porém, a principal utilidade da Brotherhood é nos combates, seja para ajudar nas lutas ou simplesmente para distrair os guardas, tudo ao simples toque de um botão e modificante bastante a jogabilidade do jogo.

Multiplayer necessário?

No entanto, meus amigos, a grande novidade de Assassin’s Creed Brotherhood fica mesmo para o multiplayer, estreando na série. Confesso que fiz cara feia ao saber do modo, parecia só mais um exemplo de jogos essencialmente single player que empurram um multiplayer qualquer só porque está na moda. Porém, para a minha grata surpresa, em Brotherhood ele foi muito bem implementado e até mesmo uma justificativa no enredo foi dado para se ter a matança online.

No multijogador você controla um dos agentes templários da abstergo, que precisam treinar através no Animus e incorporam até 9 templários do passado (e que aparecem no modo Offline) para ficar se enfrentando.

Os 9 templários representam as 9 classes que o jogador pode escolher. Porém, na prática, isso não muda muita coisa, o que até achei meio ruim. No modo em si, há muitos dos elementos vistos em outros jogos, como upgrade de classe e desbloqueio de novas armas na medida em que se sobe de nível.

Os modos online não se diferenciam muito entre si e eles seguem a mesma linha de jogo: cada jogador (ou grupo de jogadores) tem um alvo que deve eliminar ao mesmo tempo em que se pode também ser alvo de outros jogadores adversários, resultando em um grande pega-pega virtual. Apesar de bem simples, ele é bem executado e diverte bastante. Fora a boa aceitação pelo público, já que mesmo hoje, quase um ano depois de lançado, ainda se pode achar muita gente online para jogar. Coisa rara de acontecer.

Um jogo que deveria ter saído em 2007

É impressionante o que a Ubisoft conseguiu implementar de melhorias e novidades em apenas um ano entre os jogos, refinando ainda mais as mecânicas do game. A produtora finalmente entrega aquele jogo que todos estavam esperando desde o primeiro, lá em 2007. Assassin’s Creed Brotherhood é a compra certa para aqueles que já curtiram o segundo e, apesar de ser o melhor até agora, ele não é o mais apropriado para aqueles que estão iniciando na série, principalmente porque ficarão boiando na trama cheia de ganchos e referências aos anteriores.

Trailer:

Host do Last Hit, atração sobre League of Legends do Fênix Down. Videos, podcasts e futuramente muito mais.

Facebook Twitter 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

32 Comentario(s)

  • mateusix 5 anos atrs

    Comprei ele aqui na PSN mas ainda não joguei por falta de tempo. Gostei MUITO do segundo game, e esse terceiro deve estar melhor ainda pelo que li acima.

    Quero ver que fim leva esssa história toda, apesar de ainda ter uma animação e um novo jogo pela frente ;)

    • Cara Ac: Brotherhood é um jogo que com toda certeza merece ser passado a frente na fila de games "por jogar".

    • Não irás se arrepender de "Chapa", o jogo mesmo é "a fudê"!!

      E olha que eu deixei de falar de várias outras coisas que deixar o Brotherhood muito bom, como as Virtual Missions, os tipos diferentes de missões paralelas, poder andar melhor a cavalo… É muita coisa.

      Aliás, quando vcs do super controle fizerem um cast sobre a série eu já estou me auto convidando para participar! hehehe

    • Estou mais ou menos na mesma situação.
      Comprei o meu Brotherhood no primeiro dia do Jogo Justo, joguei uma vez e encostei. Não porque achei ruim, mas sem jogar os dois primeiros a história fica meio jogada – e o 1 é tão repetitivo que simplesmente não consigo colocá-lo na frente de tantos outros jogos "obrigatórios" da minha lista.

      Atualmente tô me aventurando no Gears of War 2 no X360, Batman Arkham Asylum no PC e LA Noire+Outlands no PS3… Isso que nem boto o Final Fantasy IV After Years (PSP) nessa lista.

      O pior é que o idiota aqui não para de comprar jogo, mesmo não terminando os que já estão empilhados.

  • Ótimo texto Bruno.

    AC: Brotherhood realmente é um game excelente. Fiquei um pouco com o pé atrás quando soube que ele se passaria apenas em Roma. Mas a cidade é tão grande e tão rica em detalhes que eu arrisco a dizer que a ambientação desse game é bem superior a do AC:II.

    Estou muito empolgado com o desenvolvimento do Revelations. Espero que a Ubisoft consiga continuar evoluindo a série como tem feito até agora.

    Ps: Ainda estou devendo um texto pra coluna [Tô Jogando]. Juro que assim que sobrar um tempo eu escrevo.

    • Cara, foi a mesma coisa que aconteceu comigo, eu achava que o jogo seria mais curto por só se passar em uma cidade.

      Mas pensando melhor, ele tem até uma "pegada" meio GTA, com as regiões da cidade sendo liberadas aos poucos, conforme o progresso do jogo

  • Excelente jogo. Multiplayer dispensável. Só joguei uma vez e não me agradou muito, tanto que nem me animei a tentar jogar novamente :P

    • O multiplayer é bem simples, nada de mais, até que diverte.

      Mas ele é bem melhor do que outros como o Dead Space 2 ou o Bioshock 2

      • ThiagoSantosT 5 anos atrs

        a ideia do multiplayer desse jogo foi legal mas a execução foi um pouco fail o jogo é muito dinamico pra se adptar conceitos do jogo a ele, o blend na multidao é muito falho sem os perks é facil de se achar os inimigos isso sem contar com o lag maroto da psn.

        • Como eu falei, ele é um multiplayer simples, mas acho que com o Revelation eles vão melhorar bastante esse modo

          Já sobre o lag, eu joguei na Live BR e joguei tranquilo

  • Muito boa a resenha, considero o Assassin's Creed a melhor serie dessa geração, evoluiu de maneira esplêndida e hoje possui gráficos, jogabilidade, ambientação e historia de excelentes qualidades, um conjunto raro nos demais jogos hoje em dia. Espero que o Revelations mantenha o nível, pois vai ser pre-order com certeza.

  • Daniel Avelan 5 anos atrs

    cara,eu sou o único cara da face da terra que gostou do primeiro jogo?

    • Nao acho o melhor jogo do mundo, mas eu tambem gosto bastante do primeiro . Se nao me falha a memoria o Fernando X disse uma vez no super controle q tb tem uma relaçao de amor e odio com o Ac1

    • O primeiro jogo até que é legal, o problema é que ele sofre das repetições e falta de variedade das missões, o que foi muito bem corrigido nos dois últimos jogos

      Mas o primeiro é muito bom pela parte da história, sempre achei a trama do Altair mais bem amarrada e épica, porque gira todo em torno de um único evento histórico: as cruzadas

      • ThiagoSantosT 5 anos atrs

        um dos motivos de ate hoje eu nao ter conseguido terminar o 1 foi a repetição é sempre a mesma sequencia bata uma carteira, bata em um informante, ajude um cidadao libere as torres pra uma visao da cidade, mate o alvo, se esconda e va pra outra cidade, em jerusalem (nao lembro se é essa cidade mesmo) desisti.

    • Eu também gostei do primeiro, quando joguei me surpreendi bastante com ele, principalmente com a ambientação e historia, mas os problemas de repetições do jogo foi o que tirou o brilho dele.

  • Sou apaixonado pelo segundo jogo…as modificações e as melhorias que fizeram em comparação com o primeiro deixam o jogo praticamente perfeito. Não tive ainda a oportunidade de jogar Brotherhood por achar que não valia a pena, que seria apenas um "mais do mesmo" em comparação com o segundo.

    Concordo com o comentário acima Assasin's Creed é a melhor série nos consoles dessa geração… ambientação praticamente incrível!

    Bom, após ver essa coluna vou deixar de lado um pouco o meu Portal 2 e comprar esse jogo, já que agora deve estar até com um preço beeem mais acessível…

    • Rafael, vai por mim, depois que vc jogar Brotherhood vai começar a perceber algumas falhas em assassin's Creed II. Bem pequenas e que não prejudicam a diversão, mas dá pra perceber depois o quanto a ubisoft melhorou nesse último jogo

      Seja no combate (que ficou bem mais dinâmico), no fator replay (dá pra refazer todas as missões do jogo quando você quiser), além dos outros tipos de mecânicas acrescentadas

      Quanto ao valor, como a Ubisoft diminuiu os preços de todos os principais jogos da série (menos as versões de portátil), o Brotherhood agora tá 100 Dinheiros de Dilma (mas no Steam deve tá mais barato)

      • Na questão do replay já acho ótimo ter melhorias… pq apesar do Assasin's Creed II ser sensacional não me senti tão motivado assim pra jogar de novo!!

        Valeu por me ajudar a perder o medo de Brotherhood! hahaha

  • yogodoshi 5 anos atrs

    Joguei o primeiro, zerei o segundo e agora você me fez querer comprar esse!
    Podia colocar um link no final do post pra quem quisesse aproveitar pra comprar o jogo hein. Podia usar link de afiliado pra ajudar a manter o Fênix Down ;D

    Fica a sugestão =)

  • Ei, eu ainda não vi os comentários dos donos do site aqui.

    Diego e Fernando, o que vocês acharam de Brotherhood? (se vcs jogaram)

  • RafaelFair 5 anos atrs

    Acho que vai ser bem dificil eu chegar nessa continuação, pois instalei o primeiro aqui no meu pc e ele rodava em camera lenta, aí desisti de tentar jogar a franquia. T.T

  • Sedated 5 anos atrs

    Só eu notei aquele "Leia, comente e NÃO se você escreve razoavelmente bem" WTF? Heheheh