Vamos para mais um Tô Jogando aqui no Fênix Down! A coluna comunitária que precisa da sua ajuda.

Nessa semana, nosso colaborador Rodrigo Chaves, fala um pouquinho de The House of the Dead: Overkill, um jogo considerado hardcore para, veja só você, Wii.

Agora leia atentamente, comente e não se você escreve razoavelmente bem, não deixe de mandar sua colaboração para o Tô Jogando!

[gameinfo title=”Game Info” game_name=”House of Dead: Overkill” developers=”Headstroger” publishers=”Sega” platforms=”Wii” genres=”Shooter” release_date=”10/02/2009″]

Jogos hardcore no Wii, coisa meio difícil de achar, certo? É, está certo, mas quando estamos falando e jogando The House of Dead: Overkill, que pode ate ter uma jogabilidade casual, mas que jogo divertido, sanguinário e sujo!

Lançado pela SEGA em 2009 ele foge bastante da estética de seus predecessores, se apropria muito bem do estilo dos filmes B de terror dos anos 70 e 80. A maior referencia pra você entender do que estou falando é o Grind House, projeto cinematográfico do Tarantino e Robert Rodrigues que geraram 3 filmes À Prova de Morte, Planeta Terror e Machete.

The House of Dead: Overkill em muito se parece com Planeta Terror, do Robert Rodrigues. Com uma estica bem legal e uma historia sem pé nem cabeça, com vilão e heróis canastrões, uma gostosa peituda e zumbis é claro.

O jogo se passa em vários cenários, cada um apresentado como um filme, você vai desde um mansão, passado um hospital, circo, pântano, trem e uma prisão.

A jogabilidade não muda em nada do que já conhecemos dos arcades, no entanto se você tem dois wii motes jogue sozinho com os dois, é ainda mais divertido. Mas se tiver um amigo deixe ele jogar também.

O jogo serve como prequel ao primeiro jogo da série, passando no ano de 1991 onde o Agente Especial G – o protagonista da série The House of the Dead – recebe sua primeira missão. Com a parceria do Detetive Washington, eles são enviados para investigar a história de desaparecimentos misteriosos em uma pequena cidade no estado de Louisiana, Estados Unidos. A dupla não sabe quase nada sobre os mutantes que o esperam na cidade de Bayou.

Uma curiosidade interessante o jogo entrou para o Guiness Book por ser considerado o jogo mais profano pela quantidade de palavrões. Em 3 horas de diálogos no jogo foram contadas cerca de 189 palavrões.

Em 2011 o Playstation 3 também vai receber uma versão do jogo com gráficos em HD e 2 novas fases alem de novos modos de jogo.

Host do Last Hit, atração sobre League of Legends do Fênix Down. Videos, podcasts e futuramente muito mais.

Facebook Twitter 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

4 Comentario(s)

  • Tirando alguns erros de acentuação e concordância, o review tá muito bom.

    A comparação com o Planeta Terror também foi perfeita.

    Já sobre o game eu só lembro de jogar alguma versão antiga dele em um arcade num shopping daqui. a época era super legal (mas essa opinião pode ter sido influenciada por uma criança de 13 anos atirando em zumbis com uma pistola de plástico, ou seja, não tinha como isso não ser bom)

  • Daniel Avelan 5 anos atrs

    O cara se chama detetive Washington?eu chamava ele de cumpade Washington

  • FernandoX 5 anos atrs

    esse jogo é MTO divertido!

  • killer.hd 5 anos atrs

    esse jogo assim como todos os on rails do wii são excelentes !