Ahn, o passado! Lembra de Mario? Zelda? Duke Nukem 3D? International Super Star Soccer? Pacman? Castlevania? Teve aquele sentimento de nostalgia? Pois é dele que vamos falar!

Fernando recebe Kazz para discutir até onde nostalgia faz bem e até onde é incômodo! Viver no passado ou reviver memórias? De quem é a culpa? Do jogador ou das empresas? Saiba diferenciar memórias de diversão real!

Confira isso e muito mais!

ATENÇÃO: O vídeo/audio tem duração de uns 12 minutos, mas devido a uma mandinga de saudosistas ele magicalmente foi para 21 minutos!

Para enviar seu conteúdo, comentários, sugestões, críticas ou elogios mande um e-mail para contato@fenixdown.com.br.

Não esqueça de seguir nosso twitter @fenix_down, se inscrever no nosso canal no youtube, dar jóinha no vídeo, deixar um comentário e divulgar o vídeo!

E não esqueça de conferir a versão em áudio da coluna!

Fernando X de Megaman X! Não de pornografia ou de Xuxa!

Facebook Twitter YouTube 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

63 Comentario(s)

  • lucasbronze 5 anos atrs

    Eu discordo um pouco quanto a algumas empresas tradicionais, que estão produzindos jogos desde a nossa infância, fazerem jogos das mesmas séries com o intuito de vender para os nostálgicos. Acredito que a Nintendo, por exemplo, usa seus simbolos exaustivamentes para renovar as gerações com sua marca, pois desde que Mario, Zelda etc foram inventados, várias gerações colocaram as mãos em seus jogos, de suas respectivas épocas. Tudo bem que não é tanto tempo assim, mas vai 20, 25 anos nessa história, e pelo menos 3 gerações de crianças viram um jogo do Mario sendo lançado, e foram introduzidos a marca Nintendo. O próprio Wii é um exemplo claro de abocanhar novos jogadores, principalmente crianças.
    O fator notalgia ai serve para nós, que acompanhamos desde os primeiros jogos. Mas é justamente para nós que a indústria tambem cresceu, e são lançados novos jogos e franquias com o intuito de vender para nós, que já estamos calejados de Mario, por exemplo. E isso não significa que não podemos gostar dos novos jogos de velhas séries, afinal, o titulos AAA da Nintendo (ela é o maior exemplo disso, sempre) sempre trazem inovações, o que capta nossa atenção como gamers também.

  • Quando eu cheguei aqui e vi o vídeo achei estranho: Gamer Divã de 20minutos? Mas parece que é algum bug do YouTube
    Quanto ao tema em si, acho realmente que o povo exagera na nostalgia. Começa pelo argumento dos "jogos atuais são mais fáceis, porque tem save". A-hã, então tá. Vamos remover os saves de God of War e tente chegar até o final, após 6h de jogo, SEM MORRER (morreu, Game Over, volta do início. Tal como era antigamente), e quero ver se continua dizendo isso :P
    ACho legal aproveitar coisas do seu passado, tanto é assim que acabei me rendendo e comprando vários títulos de Mega Driva no Sega Classics, pelo Steam. Mas é preciso saber reconhecer que o que é novo também é bom. Afinal de contas, quem vive de passado é museu, como já diria o dito popular :)

    • Poisony 5 anos atrs

      Cara, eu tenho a opinião de que jogos são mais fáceis hoje em dia SIM, mas que isso não tem nada a ver com o fato de ter save ou não ter. É mais fácil porque temos um público maior que não tem a mesma intimidade que um hardcore tem com o hábito de jogar, é mais fácil porque temos acesso a qualquer suporte de ajuda pela internet e, principalmente, é fácil porque hoje em dia é tudo uma correria e pessoal não tem tempo de ficar agarrado numa fase.

      Mas eu gosto das exceções atuais. Olá Dark Souls.

      • Mas o que muda com o Dark Souls? Você morre mais vezes, mas sempre pode continuar de um checkpoint ou de um save anterior, não? O que muitos alegam é que com a possibilidade de salvar você invariavelmente vai chegar no final, daí a alegação do "ficaram mais fáceis". Para uns pode levar 10h, para outros 40h, mas chega, sem ter que ficar SEMPRE recomeçando do início, e no ritmo que lhe for mais conveniente, e não numa batelada só. Ao contrário dessa época "nostálgica" onde se você morresse, sem vidas extras e sem continues, voltava do início, mesmo que tenha levado 4h para chegar até ali :)

        • Lpolon 5 anos atrs

          só mais tempo perdido. Tanto faz segundo o seu argumento.

          Um jogo dificil então seria aquele que você precisa aprender a integrar antes de zerar..
          integrar no sentido matemático da palavra.

          O que é mais dificil? Um jogo que era dificil para uma criança de 8 anos sem save que dura de 30 min – 1h30 ou uma fase de demon's souls sem save (não da pra salvar dentro da fase) que dura de 30min – 1h30?

          MI, MI, MI.

          Esses jogos casuais de antigamente que "salvam" no começo do jogo… ptijfss

          • Se lesse desde o início iria perceber que não estou criticando os jogos atuais, acusando-os de serem "fáceis", mas só usei os argumentos dos "*tards" nostálgicos que acham que "Bom mesmo era na época que tinha que zerar de uma vez só" :)

          • Lpolon 5 anos atrs

            "O que muitos alegam".

            Eu não li! Desculpa!

          • Mais difíceis são os jogos que supostamente eram feitos pra crianças de 8 anos, mas que na verdade separavam os homens dos moleques… Se você termina qualquer jogo da série Megaman das antigas, um Demon's Crest, qualquer um da série DKC, um Shadow of the Beast, um Contra em 30 minutos até uma hora e meia, parabéns velho, você é foda! (Lembrando que os passwords dos Megamans, Demon's Crest e os saves de DKC permitem continuar da fase onde você morreu).

  • pedrohenri 5 anos atrs

    Gostei dos 10 minutos finais. Perereu, pararau!

  • Gostei do Bonus track no final….tela preeeeeta, rsrsrs

    Bem, acho legal uma revisitação para aproveitar um conceito legal de um game antigo ou até para dar um novo olhar a algo que as vezes foi uma grande idéia. No entanto, encher as prateleiras de sequencias de jogos que já tiveram seu ápice em decadas passadas (como se eu fosse tão velho assim), é sim um jogo de marketing e a mostra da crise de criatividade que sofre o entertenimento hoje no mundo.

    No entanto, ainda estamos no lucro, a industria dos videogames hoje em dia ainda é uma das mais criativas, vive emprestando (quando elas não são roubadas) idéias para a industria do cinema que esta falida de criatividade (pelo menos a "industria" esta).

    Ainda bem que ainda não vivemos só de remakes ou adaptações, mas estamos caminhando para isso se a industria não tomar cuidado.

    Abraço a todos e continuem "FenixDownzando" por ai !!!

    • FernandoX 5 anos atrs

      revisitar é legal! eu mesmo curto jogar uns jogos de antigamente. meu problema é com pessoal que vive no passado e diz que o de hj nao presta!

  • drnico 5 anos atrs

    Perereu pararau, melhor gamerdivã até agora, parabéns! :D

    Eu sempre evito jogar games pela nostalgia, normlamente passo muita votnade, mas fazer o que. Sequêmcias eu sempre jogo, só pra poder dizer pra mim mesmo que consegui terminar o que comecei como criança, que foi o exato sentimento que tive ao jgoar jogos como Metal Gear Solid 4 e Resident Evil 5. Mas os tempos mudam, a vida muda, e uma hora vc aprende que olhar pra trás só vai fazer vc sair esbarrando em pessoas pela rua.

    • FernandoX 5 anos atrs

      é foda a regra dos 15 anos…. nostalgia nos anima a jogar aqueles jogos, mas ela também pode destruir nossa visao deles!

  • Drugue 5 anos atrs

    Nostalgia é sempre um problema, e uma solução…rs Sou um "colecionador" de video games e com isso sempre gosto de ligar meu Master System ou meu NES e jogar os jogos antigos, mas eu jogo eles por que ainda acho eles bons hoje em dia, jogos que eu vi que ficaram ruins não voltam mais pro console, só se for mesmo pra jogar com a galera e zoar o jogo. Por outro lado, mesmo tendo esse meu lado nostálgico, eu adoro inovações e não trocaria jamais meu Uncharted por qualquer pitfall. Por outro lado, sou tambem um fanático pela série Zelda, e não vejo o fato de ela ser lançada a 25 anos como algo que a Nintndo esteja fazendo para alimentar nossa nostalgia, muito pelo contrario, ela segue a mesma receita de bolo, mas sempre inova e tenta trazer novas itens e habilidades para o Link, fazendo cada jogo um experiencia nova. Acho escroto relançar o primeiro Zelda pra GBA, mas ter um Zelda novo por ano é ótimo.

    • Ricardo Pasqual 5 anos atrs

      Hahaha curti a comparação Pitfall com Uncharted. Também fui colecionador (diga-se aspirante meia-tigela de colecionador, que conseguiu juntar umas quinquilharias) Mas, por inúmeros motivos, parei de "juntar coisas".

      Mas te dou os parabéns, a coleção é importante pelo fator histórico. Sabendo relembrar as pérolas do passado e curtir as novidades ao mesmo tempo é o melhor. Alguns caem no poço da nostalgia e esquecem que ainda existe videogame novo saindo.

      • Drugue 5 anos atrs

        Minha coleção ainda está bem fraca, e tirando o Master e o NES o resto é tudo game novo, então pelo menos por enquanto eu não corro risco de cair no poço da nostalgia…rs Se bem que de vez em quando gosto de jogar as coletâneas de jogos antigos que saem pra DS e PSP, mas logo logo passa e eu volto para os jogos novinhos em folha com muito a se explorar.
        Mas po, fico triste em saber que tu teve que abandonar a coleção, sei o quanto eu ficaria triste em ter que abandonar a minha…

        • Ricardo Pasqual 5 anos atrs

          Pois é, no final das contas eu descobri que coleção não é pra mim. Ainda tenho uma boa parte aqui que estou me desfazendo aos poucos. Claro que vou guardar uma que outra coisa de recordação, como um Super Metroid pra deixar de enfeite na estante xD

          No mais, se tu estender tua coleção ao SNES, MegaDrive e 64, me grita que eu ainda tenho cartuchos aqui. E uns bolos de manuais de SNES xD

          • Drugue 5 anos atrs

            opa, demorou… Pode deixar que assim que eu tiver verba pra coleção eu grito.

    • Lpolon 5 anos atrs

      O relançamento é uma questão de acessibilidade. E é bom encher a empresa de dinheiro! Aí sim que eles perdem o medo de tentar coisas novas.

      A blizzard por exemplo,
      Se você gosta de SC2, se Diablo III realmente curar o cancer como promete, agradeçam o dinheiro que eles fizeram com World of Warcraft

      • Drugue 5 anos atrs

        Sim e não. Relançamentos muitas vezes são meros caça niqueis que empresas usam para tirar um pouco mais de dinheiro da gente. Acho justo quando um jogo é relançado por que fez muito sucesso mas teve poucas cópias lançadas, ou mega coletâneas de jogos BEM antigos, mas relançamentos de jogos que acabaram de sair é muito caça níquel.
        E eu sinceramente não acredito que SC2 e Diablo III sejam meros reflexos do sucesso de WoW, os dois são grandes sucessos que tem uma legião de fãs e são certeza de lucro pra Blizzard, duvido que mesmo sem um grande lucro em WoW que elas não lançariam uma continuação pra esses jogos.

        • Lpolon 5 anos atrs

          O exemplo da blizzard é o seguinte: É bom que uma empresa lucre com algo que você não liga. Acredito que isso ajuda outros projetos da empresa serem mais inovadores ou ambiciosos.

          Eu não tive um PS2. é um ótimo negócio para mim por exemplo comprar um "collection". Aliás, me sinto comprando algo com um valor agregado maior do que muitos jogos "da geração".

          Claro. Chrono trigger na PSN, o remake de RE4. São coisas tristes. Claro que eu poderia ter um emulador de PSP ou PS2. Mas é ótimo ter essa opção!

          • Drugue 5 anos atrs

            Concordo que seja bom a empresa lucrar, com qualquer coisa que seja, por que assim ele investe mais nas grandes franquias e tal, mas tipo, WoW apesar de não ser um jogo que me agrada, ainda assim é um jogo novo e muito bem feito. O que me incomoda não são as HD collections do PS3 por exemplo, eu também não tive um PS2 e me divirto bastante com elas, o que me incomoda é o fato do povo lançar collections sem nem sequer passar um filtro novo no jogo e falar que estão lançando algo foda. Se a empresa for honesta e falar: "Olha, tai o jogo pra quem não jogou jogar, ele não tem nada de novo é só o jogo que foi um clássico." por mim ok. O que me incomoda é você gastar toneladas por que anunciaram um mega jogo, totalmente diferente e te entregarem o mesmo jogo que foi lançado anteriormente. O NES classics que eu citei em meu primeiro comentário foi o melhor exemplo que eu achei naquele momento pois foi um jogo que saiu com o mesmo preço e não trouxe nada de novo. Um exemplo bacana é o Link to the past Four swords que traz o jogo e um conteúdo extra.

    • FernandoX 5 anos atrs

      acho que principalmente Zelda é um jogo que apela muito pela nostalgia. ok, eles lançam com elementos novos, mas não deixa de trazer aquela saudade dos jogos antigos. isso é onde eles se aproveitam.

      se fizessem EXATAMENTE o mesmo jogo mas com um nome diferente, não teria o apelo e provavelmente seria um fracasso

      • Drugue 5 anos atrs

        Sim, sem duvidas Zelda apela para a nostalgia, mas ainda assim não é aquela nostalgia dos remakes e relançamentos e eu sinceramente prefiro jogar um jogo novo que ao mesmo tempo seja nostálgico do que ser obrigado a matar um pouco a saudade desses jogos com remakes…
        Como foi dito no vídeo, nostalgia na medida certa é sempre bom.

  • Squallnathan 5 anos atrs

    De vez em quando ainda ligo meus consoles antigos pra jogar os jogos que fizeram minha infância. Todos que achava bons, continuam assim; já os que achava ruins, ficaram piores ainda.

  • marcos melo 5 anos atrs

    É divertido de vez em quando pegar seu console antigo, limpar a poeira e aproveitar dele um pouco, nem sempre, é claro. Tecnicamente esses jogos servem também para se ter um registro do quanto as coisas evoluíram, e se ter uma opinião mais crítica do que aproveitar de hoje também.
    É mais ou menos a mesma experiência de se pegar um desenho que você fez a anos atrás, ou uma redação escrita há tempos, e pensar: "Nossa, eu fiz isso? Como tava feio", ou "Caramba, eu tinha mesmo potencial, está bom, mas hoje o traço/ texto está mais completo".

  • KrazyFox 5 anos atrs

    Mas também há muitos jogos que as pessoas jogaram antigamente e acharam ruins, mas que se pegassem hoje em dia e dessem uma nova chance, iriam se surpreender.

    Eu concordo só parcialmente com o GamerDivã dessa semana, porque achei que ele foi meio negativo demais. Eu acho importante haverem remakes, muitas das grandes obras do passado simplesmente não tem como serem revisitadas hoje em dia porque ficaram insuportavelmente datadas, os remakes servem justamente pra consertar esse problema e trazer tudo o que tinha de bom de volta (quando é um remake bem sucedido é claro). Agora ports caça-níqueis, que se tratam apenas do mesmo jogo velho sendo vendido exatamente do mesmo jeito realmente não dá, é mongolísse gastar dinheiro de novo com a mesma coisa (desculpa a sinceridade), quem comprou de novo o Chrono Trigger por exemplo, é um mongol gigante na minha humilde opinião. XD

    Mas eu concordo que as pessoas tem que parar com essa frescura de ficar de mimimi, "Ái! Era muito melhor quando esse era um jogo tosco de terror com uma jogabilidade de tanque de guerra!", "Aí tão transformando tudo hoje em dia em FPS!", "Ai ai ai" "ui ui ui". Tem que parar co'essasporra! Seus bando de Hipster! ù__u

    Hoje mesmo tava lendo um post sobre Syndicate no Kotaku, e tavam com mimimi nos comentários, de gente reclamando duramente de estarem transformando X-Com e Syndicate em FPS, mas eu APOSTO que 99% tavam reclamando só porque gostam de falar mal, que maioria alí nem sequer jogou ou gostou do jogo na época, é só pra pagar de underground descolado.

    • Poisony 5 anos atrs

      Concordo com a raposa aí. É até irônico ver tanta negatividade com joguinhos nostálgicos BONS aparecendo no vídeo.

      Menos sobre Syndicate. Syndicate foda era RTS, e eu concordo com a galerinha old-school fazendo mimimi. É tipo pegar um Total Anihilation ou Commandos (ou Age of Empires!) e fazerem um FPS deles.

      Espera aí, fizeram isso em Commandos. Ficou uma merda.

      • KrazyFox 5 anos atrs

        É, cada caso é um caso, nem todo caso obrigatoriamente dará certo, mas no caso de Syndicate por exemplo, pelo que eu estou vendo nos videos do jogo, ele está um excelente FPS, como jogo em si ele não está ruim de maneira nenhuma.

        Mas no fim das contas, qual o sentido dessa reclamação toda? Se o jogo novo for bom, for ruim, ou for diferente, isso não muda em NADA o que o jogo antigo é. Eu por exemplo gostaria MUITO que a Capcom ressucitasse a série Megaman X em 2D, mas se ela fizer um jogo de luta em 3D de Megaman e ele for bom jogo, eu não vou ficar de mimimi. Só reclamaria se o jogo fosse uma merda.

    • Lpolon 5 anos atrs

      Eu defendi esses PSone clássics. Eu não comprei o novo chrono trigger. Continua com o loading bizarro que ele tinha no PSone… Além de eu poder jogar ele num DS. Mas há outros jogos menos acessíveis.

      Vamos assumir que emulador não é uma opção..=p

    • FernandoX 5 anos atrs

      eu preciso começar a fazer uma parte 2 de todos GD pra explicar o q o pessoal n entende ahuahuaha

      o problema que critiquei é o pessoal q VIVE no passado e pra eles só os jogos antigos que prestam. jogos antigos são bons? alguns sim, outros não. o 'mimimi n se fazem jogos como antigamente' que me incomoda extremamente. pessoas que não dao chance pro novo e se apegam no passado

      e como disse em um comentario passado, pega qualquer zelda atual e troca o nome do jogo. faria sucesso? muito menos. nostalgia é SIM um fator determinante para a sobrevivencia de várias franquias. n quer dizer que o jogo nao tem nada a acrescentar, mas que ele já ganha 50 pontos de casrisma por ser algo que vc curtia na infancia

  • killer-hd 5 anos atrs

    Não sei não, tem jogos que mesmo sendo muito antigos aina são bem divertidos
    existi um ditado que diz que clássicos são eternos, jogos como Super Mario Bros 3, Mega man 2,
    Chrono Trigger, Sonic 2 entre outros são perfeitamente jogáveis ainda nos dias de hoje !

    Os jogos que vc revisitando ve que são ruins são jogos que ja eram ruins na epoca mais que vc não percebeu ou não quis perceber, e nem precisa ir muito longe por que tem jogos no inicio dessa
    geração que hoje são praticamente injogaveis de tão ruins, mais no inicio da gen pelo fator gráficos
    principalmente pareciam muito bom, muito melhor do que o que são realmente !

    acho que depende mais de cada um, e dos jogos tbm, ficou legal o video !

    • Poisony 5 anos atrs

      Eu também acredito que se você revisitou um jogo que viu que era ruim, provavelmente o jogo que já era ruim mesmo.

      Porra, a gente era criança! Senso crítico zero.

    • FernandoX 5 anos atrs

      claro, tem jogos bons e tem jogos que só a nostalgia salva
      cara, eu ADORAVA altered beast, e ele é uma merda hauhauahua
      só percebi jogando depois de velho

      tem mtos jogos sim que são bons até hj, mas a critica foi de pessoas que acham que apenas eles são bons e que por causa disso não tem jogos que prestam hj.

  • Poisony 5 anos atrs

    Gostei do tópico de nostalgia, mas achei a visão de vocês parcial demais. É claro que há remakes cafajestes sendo feitos que não oferecem nada de novo em termos de experiência e ports vagabundos pra ganhar uma grana, mas a gente também já sofre com modelos de estagnação criativa do mercado atual de games e apostas naquilo que é seguro (alguém notou quantos jogos com "3" a gente teve esse ano, só pra citar?). Tá ruim pros dois lados, na verdade. Faltam franquias novas? Com certeza. Mas não acho que nostalgia seja culpada disso, é tapar o sol com a peneira.

    Criatividade nos games, mesmo, anda acontecendo mais com as pequenas desenvolvedoras indepedentes (minha opinião), que geralmente são empresas formadas por, veja só você, nostálgicos. Acredito que há elementos das gerações passadas que geram nostalgia e perseveram até hoje por serem BONS, e por formarem a identidade do que conhecemos como videogame. E com uma tecnologia atual que aproxima nossa mídia querida de filmes (e com verbas que extrapolam a de muitos filmes), é bom parar um pouco nessa correira pra apreciar PIXEL e CHIPTUNE, malandro.

    Fora que, sei lá, acho que é mais fácil falar pras pessoas viverem o AGORA nos games quando você tem grana pra ter um console de última geração e/ou um PC foda. Tem gente que infelizmente parou na nostalgia por falta de recursos, e isso é recorrente, ainda mais aqui no Brasil. Tão aí os Dynacoms e novos Master System que não me deixam mentir.

    Pra terminar, lanço uma polêmica respondendo a pergunta final do Fernando: já defendi muito jogo que eu achava foda, maravilhoso e quando fui jogar de novo hoje em dia… EU ESTAVA CERTO E CONTINUA SENDO DIVERTIDO E BOM! Aí eu experimento um jogo novo da garotada tipo um Call of Duty Black Ops e acho boring. E aí?

    • FernandoX 5 anos atrs

      e ai q tu é o pai velho e chato que acha q o passado é melhor que o presente
      =)

      como sempre, explicando: tem jogos que são bons e tem jogos que só nostalgia salva. nossa critica foi em cima desses e de pessoas que, pelo jeito vc incluso, endeusam o passado pela nostalgia e nao dao chance para o presente.

      agora, nostalgia quer dizer que jogo do passado nao presta? não. mas nostalgia faz SIM parecer que um jogo merda é bom.

      • Poisony 5 anos atrs

        Não me mata do coração, seu louco. Velho e chato, ok, mas PAI?! Mais respeito com quem não tem filhos, mano!

        Nah, não fiz endeusamento nenhum, tampouco não dei chance pro presente nos games, apesar de não ter console dessa geração. Se fosse assim, não teria jogado nem valorizado nada atual, o que tá bem longe da verdade. O que faço é valorizar o que é BOM. E o que foi bom continua sendo usado e é atemporal, o ruim se esquece (daí minha provocação: todo jogo bom que eu joguei continua sendo bom. Se joguei algum ruim, ou não lembro mais dele ou também não fico endeusando ele pela nostalgia).

        O que eu disse lá em cima pode ser melhor explicado em dois pontos:

        1- Nostalgia é um sentimento que pode ser utilizado para se fazerem bons jogos novos com ideias novas HOJE. Ela não é culpada de jogos atuais ruins.
        2- Vocês foram muito parciais SIM. Os dois lados estão errados, seja o dos ports desleixados de jogos da geração passada, sejam as desenvolvedoras que lançam um FPS genérico por mês. Analisar um lado só deixa o argumento furado e tendencioso.

  • RogerDKS 5 anos atrs

    Vendo o video lembrei do ultimo game que revisitei… Foi o Alien 3, do SNES.. Me senti muito mal em lembrar o medo que ficava de jogar aquela bagaça… rsrs

    Sobre a nostalgia, concordo em partes com o que foi debatido.. Acho que seria melhor "aproveitada" se ao invés de meros "remakes" (como foi dito), fosse empregado um maior esforço/investimento em aproveitar os mundos e personagens já consagrados com idéias novas

    Exemplo: Já vi muita gente implorando por remake de FF VII, mas na real, não seria melhor uma nova história aproveitando os personagens e todas as situações que eles viveram?

    Bem, é isso ai

  • inominavel 5 anos atrs

    é uma maneira rápida,fácil e eficaz de ganhar dinheiro, se aproveitando de um sentimento que todos sabem que existem dentro dos gamers mais antigos e que concerteza irão consumir este produto por pura nostaligia! Malditos capitalistas!

  • Lpolon 5 anos atrs

    Eu concordo que zelda tem um apelo infantil. Obvio. Mas eu tenho que admitir que jogo cada novo zelda por gostar da sensação que o jogo vai me dar e não para… lembrar de como eu gostava daquela sensação.
    Felizmente hoje em dia zelda não é o único capaz de dar esse tipo de sensação de "exploração" e "você contra o mundo". Mas eu acho muito válido com ou sem nostalgia. Gosto de Demon's e Dark souls pela mesma razão que gosto de zelda ( + dificuldade).

    Vocês parecem muito traumatizados com essa galera saudosista =p
    eu felizmente não conheço gente assim. Sério!

    eu não tive PSone e PS2. Eu estou aproveitando muito o PS3 por causa disso também. Deixe-me encher o cu deles!
    castlevania SotN, Chrono trigger, FF VI, IX, MGS, RE2. e esses collections qu estão saindo (MGS, ICO/SotC, GoW, Silent Hill) Está tudo lá e ainda são jogos FODAS. Eu estou comprando a maioria dessas coleções e deixando de jogar jogos mais atuáis. Muitos deles estou jogando pela primeira vez e eles são sim fodas. São até poucos jogos no meio do mar de existia. Eles "sobreviveram".

    Quanto mais dinheiro uma "empresa", as publishers ganha, mais eles pode ousar com coisas novas e ambiciosas… (menos a EA).

  • Eu tenho uma relação bem íntima (e um tanto complexa) com a nostalgia, mas primeiro tenho que tentar explicar um contexto pra relatar a importância dela na minha vida.

    Não sei se alguém mais já parou pra pensar nisso além da camada do óbvio, mas eu tenho a sensação de que algumas coisas que me chamam atenção hoje são reflexo de coisas que me agradavam quando eu era criança (ou que foram me chamando a atenção através da minha vida). Coisas que com o tempo, talvez por a vida não parar e forçar a gente a focar em novas coisas, e nem dar tempo de nos despedir delas, fazem o "sabor" dessas experiências acabarem entrando no meu inconsciente. Esses sabores que menciono eu chamo de Timbres Primeiros, que ecoam, ressoam e influenciam profundamente minha experimentação presente e futura do mundo. Nem falo de games em específico aqui, mas experiências durante toda a minha vida (como certos perfumes me lembrarem de experiências amorosas ou cheiro de café, geléia de uva e samambaias me lembram da minha avó).

    Isso foi interessante para me fazer perceber como minha visão de mundo é estritamente pessoal, e chega até a ser estranho perceber que esses Timbres são muitas vezes experiências únicas minhas que por motivos, sei lá, sócio-psicológicos eu nunca realizei antes. Chega a ser um pouco assustador, de fato, perceber o quanto na verdade eu sou limitado pela minha subjetividade, até porque o que considero novas experiências na maioria das vezes são influenciadas por esses Timbres subjetivos (e quando de fato são novas, apenas se tornam novos Timbres).

    Mas aí finalmente entra a nostalgia com games. Quando viajo por cidadezinhas nesses RPGs de 16bits eu consigo entender melhor como se formaram alguns desses Timbres, como por exemplo eu ter esse gosto por solidão em dias escuros e chuvosos (também tem uma influência de Diablo II!). Com a nostalgia sendo usada como se eu estivesse limpando um porão velho, eu reencontro vários desses Timbres que foram parar no meu inconsciente como teias mentais (Psychonauts, alguém?). Assim tenho uma noção mais objetiva dessa minha subjetividade. E esses Timbres me ajudam a entender melhor como eu funciono, e isso é curiosamente libertador.

    E então, entendendo essa minha relação com a nostalgia consegue reanimar esses Timbres como se acende o vermelho das brasas quando você mexe em uma fogueira se apagando, eu uso bastante para atiçar minha inspiração artística.

    Eu já pensei bastante nesse assunto, e acabo de perceber que até tenho uma teorização ainda mais complicada por trás disso (a respeito dos Timbres e dos "mindscapes" que são consequências deles), mas não quis me estender muito até porque não desenvolvi por completo ainda. Espero que tenha dado pra entender algo, de qualquer forma.

    • "Não sei se alguém mais já parou pra pensar nisso além da camada do óbvio" soou escroto pra caralha :/

    • Poisony 5 anos atrs

      Estamos vendo uma tese de mestrado em Psicologia nascer desse comentário, hahaha.

      Mas, de fato, acho que todo mundo tem uma experiência única e pessoal desses "Timbres". Entra inclusive naquele clichê artístico de "conhecer suas raízes". Pra um artista (e muitos game designers e programadores de certa forma o são) é necessário um conhecimento de seus timbres para aperfeiçoar sua produção artística atual.

      Mesmo nos jogos mais contemporâneos e AAA que temos é possível ver ecos e rastros do passado. Eu duvido, por exemplo, que Uncharted não tenha sido concebido por um bando de nostálgicos de Indiana Jones, Tomb Raider e seriados de aventura dos anos 50 (Flash Gordon, Jim das Selvas), só pra ficar num exemplo bobo.

      • Vixi, possíveis teses de mestrado eu já tenho pelo menos um na área de tradução/história/antropologia além de um outro na de psicologia mesmo, haha

        Poxa… "conhecer suas raízes" resume COMPLETAMENTE meu texto, seu maldito. E essa questão dos timbres também é uma coisa compartilhada, em certos níveis, né. Por exemplo, alguns são completamente intímos, outros vários compartilho com meus irmãos que viveram uma vida próxima da minha, outra com gente da minha idade que cresceu na mesma cidade. Esse clima/tom/timbre de aventura de seriados e filmes antigos que você mencionou eu compartilho porque tive experiência com eles. E assim esses timbres vão se tornando mais raros a medida que menos experiências foram compartilhadas até que sobrem apenas os timbres mais… universais, que no caso poderiam ser os arquétipos de Jung, veja só.

        Eu ultimamente ando pensando que arte acaba sendo, de forma simplificada, uma troca desses timbres. Como cada pessoa tem uma coleção única deles, acho muito interessante conhecer esse elemento único e pessoal nas obras, dá sempre um sabor a mais.

        Ah, obrigado por me deixar saber que alguém se atreveu a ler o texto :]

  • Acho que uma parte do pessoal entendeu mal o q eu e o Fernando dissemos. Longe da gente generalizar e dizer que revisitar um jogo (ou filme, ou musica) é sempre algo ruim. Há a casos e casos. Na minha opinião vai mais pelo motivo da revisitação. Vc está jogando isso pq realmente gosta desse jogo antigo ou pq de alguma maneira deseja evocar um sentimento. N que isso tb seja de td ruim, mas acho q n devemos viver só do passado.

    Agora em relações a remakes, uma boa parte é totalmente capciosa visando pegar o mesmo publico, dando a mesma experiencia ja tida anteriormente e acrescentando pouco. Remakes de jogos de 5, 10 anos atrás. Pouco na minha opinião.

    • entelexia 5 anos atrs

      Eu acho que remake deve ser feito só se for isso mesmo, um "Re-make", recuperar o que era bom. Se for pra fazer remake alterando o jogo naquilo que tinha de bom (tipo, fazer um rock n roll racing usando o sistema de jogabilidade de gran turismo ou twisted metal, por exemplo), aí não é remake, é destruição do jogo, aproveitando só o nome :(
      Não sou fã de nostalgia. pelo contrário, se for pra ficar pensando no passado, prefiro seguir em frente. Mas sempre existem jogos que, mesmo tendo décadas de idade, ainda são tão divertidos hoje como eram quando foram lançados. Jogos atemporais, que vão acima da nostalgia ou do "retroplayerismo"… Rock n Roll Racing é um dos exemplos.

      • Poisony 5 anos atrs

        O que me leva à pergunta de um milhão de dólares: essa geração terá mais jogos atemporais ou jogos mais icônicos do que os que tivemos em QUALQUER OUTRA geração? Eu sinceramente duvido.

        • Justamente pq a industria se apoia em coisas seguras como continuações, remakes, reboots e remasterizações e investe pouco em criatividade.

          Assim como vc, também duvido, e foi justamente o que criticamos.

          • Poisony 5 anos atrs

            A criatividade não está mais no mainstream. Criatividade não vende jogo, atualmente. Quer jogos que invistam em criatividade, procure empresas indies.

  • O Diego é tão foda q ele consertou o video =D
    to brincando, o video ja se encontra com o tamanho correto, usei a ferramente do youtube de edição de video só para o corte ;D

  • FelipeRaabe 5 anos atrs

    São esses jogos de hoje que são muito fáceis!
    No meu tempo, tinhamos 2 vidas, só duas, vida zero era morte, sem direito a continue!
    Vocês são uns molengas!

    Bom, seilá, não tenho porque ser nostálgico quanto a Zeldas, já que joguei a maioria na mesma época (na época do wind waker), mas o do Nes é o que mais me agrada.
    Fui tirar a prova recentemente e joguei Ocarina e Zelda 1, cansei antes de sair da vila em ocarina mas não parei de jogar o Zelda 1…
    Por outro lado, estou com uma vontade imensa de jogar Phantasy Star, mas não o fiz até agora porque tenho certeza que o jogo que lembro é bem melhor do que o jogo que iria jogar…
    Acho que tem jogos, jogos e jogos… A partir do que o Fernando falou, eramos outras pessoas, então alguns jogos podem não ser tão bons quanto lembramos, maaaas, não esqueça que alguns podem ser melhores…
    Vai saber…

  • Concordo com o que foi dito. Eu comecei no atari, mas não é por isso que eu vou gostar mais dos jogos antigos. Acho que a industria só evoluiu e trouxe melhores experiências. Eu vejo muita gente dizendo o contrário e jogando nos emuladores com save state, isto é, trapaceando e ainda reclamam dos check points em jogos mais novos. Os jogos antigos eram pura frustração, você morria e voltava para primeira fase, porém o sentimento de finalmente zerar um jogo desses era muito mais gratificante. Hoje pego aqueles mesmos jogos e acho eles frustrantes demais, embora os gráficos e a jogabilidade deles muitas vezes ainda são legais. Eu nunca vou voltar a ter aquela paciência que tive para zerar megaman x, jogando um ano sem parar em todos os finais de semana para finalmente ver o final ou jogar uns 5 anos de "Asterix and the great rescue" para ser o único da turma a zerar aquele jogo, pois usando esse tempo todo me divirto muito mais hoje. As pessoas nostálgicas demais se perdem no sentimento e simplesmente fazem tudo para negar o novo dizendo que o desafio era mais intenso e mais divertido. Não sei o que tem de legal em se frustrar com as mortes e sempre voltar para o começo (eu pensei que a diversão era o que importava nos jogos). A dificuldade tem que desafiar o jogador, não forçá-lo a usar a memoria para decorar toda a fase. Mesmo se a dificuldade dos antigos jogos fosse melhor, ainda tem diversos outros quesitos que os jogos mais novos fazem, como level design maneiro desafiador na medida certa e dificuldade muito mais progressiva.

  • Nem acho que os jogos tão antigos são tão melhores. Nós vivemos em uma época muito boa de jogos! Meus jogos favoritos? Metal Gear 1, Sonic de Mega, Ico/Shadow, God of war, Batman Arkham Asylum e Mass Effect.

  • Eu zerei o sonic do master system hoje de tarde. E foi como eu comentei no 99 vidas (podcast do jurandir filho), é igual o pessoal da minha época de escola falando que Ronaldinho gaúcho era melhor que pelé. Na verdade você nem pode comparar por que são épocas diferentes, são momentos diferentes. O bom de remakes é que as vezes eles podem lançar um pacote com vários jogos de uma série que você pode jogar, seguir a história e tal.