Olá galera!

Primeiramente gostaria muito de agradecer ao feedback positivo da primeira coluna e dizer que a Gamics ainda não vai falar do Batman, por conta de outras colunas no site envolvendo o Morcego (não me perguntem quais são, por que eu também não sei, ehehehehe).

Bem, quinze dias atrás, falei de um jogo de quadrinhos. Hoje farei o inverso.

Nos anos 90, o Brasil teve muitas HQs produzidas aqui, mas muitas mesmo. A grande maioria não passava dos primeiros números e muitas séries famosas tiveram sua versão brazuca: algumas péssimas e outras interessantes, como as resenhadas aqui. A série de luta mais famosa de todos os tempos foi uma das primeiras a ter versão brasileira.

E sim, estou falando de Street Fighter.

Publicado na metade dos anos 90 pela editora Escala, a hq, roteirizada por Alexandre Nagado e desenhada por Arthur Garcia durou bastante tempo (imagens retiradas deste site), com histórias paralelas a “trama principal”, mas a qualidade deixava aquém do esperado pois, mesmo sendo parecido com o traço original, você podia perceber que o artista copiava (ou no jargão de desenhista “chupinhava”) cenas e poses do anime lançado (também) nos anos 90, que foi o que alavançou a facilidade de licenciamento do produto. Apesar da longevidade, a hq foi minguando, antes publicada em formato americano e por fim, nos formatinhos padrão da época.

Mas no final dos 90 e começo dos anos 2000 tivemos um boom dos RPGs de mesa, capitaneado pela revista Dragão Brasil. A editora Trama, que publicava a revista, conseguiu a licença de adaptação para RPG e quadrinhos de dois jogos que tinham suas novas versões saindo do forno: Mortal Kombat 4 e Street Figher zero 3, ambas como mini series em 4 partes, completamente feitas por talentos nacionais.

Street Fighter Zero 3 foi escrito por Marcelo Cassaro (que também era o editor da revista na editora Escala) e desenhado por Erika Awano (revelada pela editora Magnum na famigerada adaptação de Megaman por artistas brasileiros). O roteiro em si é basicamente um emaranhado de cenas, apresentando os personagens do game. Ao final de cada número, uma HQ menor contava um “one shot” de um personagem qualquer (incluindo uma em que envolvia o Capitão Ninja- personagem criado por Marcelo cassaro e alter ego deste na antiga revista Gamers- junto com Guile), por outros desenhistas, entre eles, Eduardo Francisco- que fez a arte de Mortal Kombat 4.

Porém, a revista pecou em dois pontos- o primeiro em ser uma mini serie: a versão da Editora Escala, mesmo tendo umtraço algumas vezes aquém de sua contraparte mais nova, conseguia trabalhar melhor com os personagens, não parecendo “jogado”, com cenas de ação em cada número e aparições estranhas do nada; e segundo, fazendo com que apenas conhecedores da mitologia de Street Fighter conseguissem extrair tudo o que a mini serie propôs, uma vez que não se explorou devidamente os históricos e motivações dos personagens.

Mas há pontos positivos também: o traço de Awano é extremamente competente, evoluindo de forma absurda entre uma edição e outra. Os núcleos de personagens (parece até novela, hehehe) são trabalhados de forma competente, envolvendo as principais tramas em SFZ3 (a luta de Ryu contra seu lado maligno e a busca de Guy e Cody por Jessica- novamente sequestrada pela Mad Gear estão entre elas), além de brincar (leia-se tirar um sarro) das origens criadas pela capcom americana (provavelmente a licença adquirida pela Trama era integral, podendo envolver todas as origens- tanto americanas quanto japonesas).

Apesar de não ter sido um primor, Street Fighter Zero 3 fez bastante sucesso, mesmo sendo algo “aproveitado” pela editora Trama (que, como mencionado no inicio, conseguira a licença da Marca SFZ3 para publicação de RPGs, com a HQ “a tira colo”), mas compensa no final como um grande fan Service aos fãs da franquia.<

E que é muito, mas muito melhor que a HQ nacional do Megaman, isso é (uma pena que Darkstalkers e Samurai Showdown, anunciados pela editora, não tenham saído)!

Valeu galera! Até daqui quinze dias!

Escritor frustrado e viúva da Sega, acho que sou o único que gosta dos amigos do Sonic (até mesmo aquele gato estranho do Adventure 2).

Facebook Twitter YouTube 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

28 Comentario(s)

  • homerofeanor 3 anos atrs

    O legal dessa coluna é revelar coisas que nem se quer eu imaginaria que existisse. Muito legal mesmo. Pena que o Cody de novo se apresenta com essa maldita ropa de presidiario =P.

  • Parabéns por mais um post! Lembro dessa revista, também concordo que os desenhos eram até legais se comparados a outras edições que lançaram antes. Quanto a serem mobi-series, talvez fizessem isso para que as historias se tornassem apenas um referencial para as campanhas de 3D & T (sistema de RPG amplamente divulgado na revista Dragão Brasil)

    Na época, acho que foi uma boa iniciativa.

    Para mim, dentro dos jogos, Street Fighter tem uma história péssima, mas em outras mídias sempre fazem coisas boas (tá, nem sempre!) já Tekken é o oposto. Um abraço!

  • Eu tinha uma revista de Street Fighter publicada pela Escala, na primeira edição mostrava o Ken sendo escalpelado pelo Sagat, que manda a cabeleira para o Ryu no Japão pelo correio… Parece que essa revista foi escrita nos EUA e deu a maior confusão na época…

  • Drugue 3 anos atrs

    Confesso que essa primeira HQ de Street Fighter eu não cheguei a acompanhar não, mas essas que sairam por causa do 3D&T eu só não tenho aqui por que foram subtraídas da minha coleção por algum mão leve… Sou um MEGA fã de RPG tendo uma coleção bem extensa de títulos e entre eles tenho aqui as perolas que sairam nessa época, tenho Mega Man X, SFZero, Mortal Kombat, Final Fight e claro Darkstalkers, não joguei nenhuma até hoje, mas o conteúdo dos livros é bem bacana, acredito que até melhor do que o das HQs, por contar bastante da história pra que o mestre possa desenvolver as próprias histórias nesse mundo.
    Parabéns por mais essa coluna. Virei Fã! Ah é, quase esqueci, a Awano é MUITO foda!

  • Diego Shinobi 3 anos atrs

    Puxa vida, eu adorava o traço do Arthur Garcia. Era uma época em que tínhamos poucos desenhistas de destaque no Brasil se comparado com hj! Tem um monte de cara aí trampando pros States e nem tantos são tão bons a ponto de dizermos que o traço do Arthur naquela época era fraco. Tinha muita coisa boa e original no traço dele, mas foi realmente decepcionante ver frames do movie do Street serem copiados descaradamente. A época da Érica Awano eu tava ainda mais no hype de ser desenhista de HQ e inclusive tenho o número 1 dessa mini aqui em minhas mãos autografado por ela!

    Na época do lançamento dessas revistas eu não tinha o olhar tão crítico como tenho hj e garanto que o autor do texto tmb não hehehehe eu ficava doido de ver adaptação de games tão famosos mundialmente feita por brasileiros e isso alimentava a minha esperança de desenhar profissionalmente.

    Uma correção: Quem desenhou a história do Guile e do Capitão Ninja foi o Rafael Picardt que na época tinha o traço bem parecido com o do Edu Francisco mesmo, talvez por isso a confusão. As cores são de ninguém menos do que o Rod Reis, atualmente trampando pra DC Comics.

    E como todo irmão é chato mesmo: Cuidado com erros de português e de digitação aê Manolo!!

    Parabéns e continue nessa pegada!

  • Nervmaster 3 anos atrs

    HQ brasileira e não foi dado nenhum destaque a verdão?

    Pô! O cara é um típico brasileiro hehe

  • SeoCrispim 3 anos atrs

    Caramba, nunca tinha ouvido falar dessas revistas do Street Fighter que saíram aqui.
    Bem interessante saber que existiu uma produção nacional para o jogo.
    Mais uma vez, muito bom trabalho, fico no aguardo para daqui a 15 dias.

  • Bruno Ferreira 3 anos atrs

    Tenho que confessar que passei uma boa por conta dessas revistas.

    Era 94, ano que mudei pela primeira vez para Brasília, tinha 9 anos e a adaptação não estava sendo muito fácil. Quando encontrei essas revistas, me empolguei demais, me lembro de ter umas 3, sendo uma em com os personagens em SD.

    E essa empolgação resultou numa situação engraçada. Eu sonhei que estava no estágio do Balrog, Las Vegas, do Street Fighter 2, lutando contra o Sagat. Ele me acerta um soco no estomago e eu acordo na hora, viro pro lado e vomito no carpete do apartamento.

    Muito bizarro.

    • Daniel Avelan 3 anos atrs

      Porra cara,talvez cê devesse ter ficado menos tempo lendo e jogando SF

  • Daniel Avelan 3 anos atrs

    Se alguém se interessou por Marcelo Cassaro,recomendo o livro que ele escreveu,"Espada da galáxia".
    Não é grandes coisas,mas é um livro muito divertido.

  • Daniel Avelan 3 anos atrs

    Ah,não sei se é interessante sfalar,mas tem uma HQ(de 3 partes)do RAGE: http://www.videogamesblogger.com/2011/03/24/rage-

  • TFMFN 3 anos atrs

    Tinham umas que eram feitas no Brasil, eu lembro que eu tinha uma do futebol do street fighter em que o Dhalsim era goleiro…
    Ah Achei !…minha boa ação do dia: http://revolucaodosquadrinhos-streetfighter.blogs

  • Ghadernal 3 anos atrs

    eu tive uma do Mortal kombat… era ruim d+.. sério na época eu não entendia como podia vender um treco tão escroto… as de SF3 eram bem + amigáveis.

    • Se for o Mortal Kombat 4,eu achei até interessante… a versão gringa era legal por expandir o universo de MK!

  • FelipeRaabe 3 anos atrs

    Ah, cara, não fala mal do mega do mangáman, digo, mangá do megaman. Era muito bom.
    Mas uma coisa tenho que concordar, a Awano é extremamente competente, e a evolução de traço dela é uma coisa que sempre me espanta. Não acho o traço dela o melhor do mundo, mas se comparar a evolução que ela teve desde Megaman até agora em Alice, dá pra dizer que ela tem potêncial pra ir muito mais longe.

  • Daniel 2 anos atrs

    A maior mancada da HQ do Arthur Garcia foi terem parado a publicação NO MEIO de um arco (sobre o Akuma), deixando no ar como a história terminaria… tudo bem que as vendas talvez estivessem caindo, mas achei falta de profissionalismo (da Editora Escala, não do Arthur; acho que por ele a revista continuaria) interromper a série faltando só uma edição pra completar a história.

  • Lembrando ao site que as fotos editadas nessa matéria (onde vocês descaradamente tiraram o link inclusa em algumas das imagens) foram originalmente escaneadas e publicadas por mim no blog Santuário do Mestre Ryu: http://santuariodomestreryu.blogspot.com.br/2011/

    Atenciosamente,

    Mestre Ryu
    Criador e um dos Administradores do Santuário do Mestre Ryu http://santuariodomestreryu.blogspot.com.br

    • vou te dar uma dica, coloque marca d'agua nos seus trabalhos. Eu nem entrei no site, eu tirei do google images, coisa que nem é preciso entrar no site para baixar, blz? Antes de levantar dedos dizendo que descaradamente tiramos links, entre em contato, temos um e-mail para isso ;D

      • "vou te dar uma dica, coloque marca d'agua nos seus trabalhos. "

        Caro Diego, Optei por não usar marca da água para valorizar as imagens, mas terei realmente que fazer isso para não termos que deparar com situações desagradáveis como essa.

        "Eu nem entrei no site, eu tirei do google images, coisa que nem é preciso entrar no site para baixar, blz?"

        Google Images? Fonte, por favor? Eu costumo guardar todas as fontes que encontro para não causar tais problemas e espero que tenham feito o mesmo. E eu nem deveria ficar aqui insistindo, pois quando ocorre casos assim eu logo incluo a fonte ou troco a imagem pela mesma. Assim como todo autor de bom senso.

        "entre em contato, temos um e-mail para isso ;D"
        Ah, é? Tem E-mail? Então por que não responderam por lá ? Sim, foi comunicado por E-mail e não obtive resposta. Então, façam o favor de responderem o meu E-mail enviado pelo endereço mestreryukanzuki@gmail.com

        Obrigado!

        Atenciosamente,

        Mestre Ryu
        Criador e um dos Administradores do Santuário do Mestre Ryu http://santuariodomestreryu.blogspot.com.br

        • Tá certo, como vocês não informaram, já encontrei a fonte: http://streetfighter.wikia.com/wiki/Street_Fighte

          As imagens em questão foram editadas para serem publicadas por lá pelo meu amigo Victor Augusto porque o Google Images não aceita imagens com o link das fontes. Então ele solicitou a minha autorização para fazê-lo.

          Mas apenas ressaltando que toda e qualquer imagens publicada na matéria de vocês veio originalmente do meu material encontrado no blog. E isso já se torna mais um motivo para que toda e qualquer imagem seja necessário observar com bastante cuidado pois as primeiras páginas do Google imagens vinham do nosso blog.

          Isso é só uma dica pra vocês do site que buscam imagens ou qualquer material pelo Google para acrescentarem em suas matérias a se atentarem às fontes.

          Abraços!

          Atenciosamente,

          Mestre Ryu
          Criador e um dos Administradores do Santuário do Mestre Ryu http://santuariodomestreryu.blogspot.com.br

        • Bom, como vc mesmo já retificou no comentário acima, foi exatamente deste site que pegamos as imagens
          por isso é uma boa ter a marca d'agua. Essa coluna é feita por um colaborador nosso e a intenção nem era mostrar o seu trabalho de scan (que está ótimo) mas sim o trabalho de Marcelo Cassaro, Alexandre Nagado, Arthur Garcia entre outros.
          A gente nunca fez a mínima questão de apresentar o conteudo completo do seu site, se maneira a plagiá-lo, apenas divulgar um trabalho brasileiro que existe.
          Coloquei o link da wiki no post pois foi de lá que retiramos o conteúdo. =)
          E se quiser, me informe a data de envio do seu e-mail pois não o encontrei aqui.
          Abs!