Olá a todos (DiegoGC  feellings)! Finalmente falaremos de Batman aqui na Gamics, após a (grande) demora do lançamento nacional! Mas como aqui não é lugar disso, vamos ao que interessa!

Batman Arkham Asylum e Batman Arkham City são, sem sombra de dúvida, as melhores adaptações do Morcego para os games- isso ninguém pode negar. Todo mundo conhece Batman e seus principais antagonistas e aliados, mas uma das coisas mais legais dos dois jogos é apresentar personagens absolutamente desconhecidos do grande público, além de deixar easter-eggs divertidos para os fãs do personagem.

A Rocksteady conseguiu de uma forma muito legal incluir praticamente todos os vilões do Batman nos dois jogos, mesmo que sejam apenas poucas informações (no caso do AA) ou explicitamente (como no AC). Nessa coluna, iremos falar de alguns personagens que aparecem nos dois jogos, falando sobre como eles são nas Hqs e quais suas histórias mais marcantes (pelo menos na humilde opinião deste escriba).

Não, não falarei de Coringa, Arlequina, Mulher Gato e afins! Se preparem que lá vem a obscuridade num post gigante!

Robin:

Eu sei que o Menino Prodígio é tão conhecido quanto o próprio Batman, mas decidi falar sobre o personagem por causa de seu contexto no jogo. Pelo que foi informado, o rapaz que usa o manto do passarinho é Tim Drake, o terceiro Robin (na cronologia oficial são cinco Robins).

Bem, aqui temos a primeira “liberdade poética para enfodecer um personagem” dos roteiristas: o sidekick do Batman em Arkham City mescla características de três Robins: Jason Todd, Tim Drake e Damian Wayne.

Jason Todd foi criado antes da Crise nas Infinitas Terras ( a maior Saga da DC Comics, criada nos anos 80 para consertar alguns problemas envolvendo múltiplos universos-daí o nome) com uma origem praticamente idêntica a de Dick Grayson ( o primeiro Robin). Depois da Crise, sua origem foi mudada: após ser pego roubando os pneus do Batmóvel, o rapaz fora adotado por Batman e transformado em seu parceiro. Rebelde, o personagem constantemente desobedecia ao morcego, o que gerou a época uma ojeriza dos fãs de Batman com o personagem. Na HQ Morte em Família, publicada originalmente em 1988, por decisão via telefone em uma votação digna de “Você Decide” pelos leitores, Jason Todd foi morto pelo Coringa, espancado com um pé de cabra. Foi ressucitado recentemente, na saga Silêncio (Hush) e hoje tem a identidade do Capuz Vermelho (que curiosamente é a primeira identidade do Coringa);

Tim Drake descobriu as identidades de Batman e Asa Noturna sozinho. Especialista em computação, o garoto conseguiu galgar seu espaço na mitologia do Morcego, se tornando um grande personagem. Hoje em dia, ele é o Robin Vermelho (um dos skins do personagem em Arkham City) e líder dos Novos Titãs, sendo que após a morte do pai na saga Crise de Identidade foi adotado oficialmente como filho de Wayne (que era tutor dos antecessores de Tim); Já Damian Wayne é filho de Bruce com Talia Al Ghul, concebido na saga O Filho do Demônio: criado por um clã de assassinos, o garoto se tornou o quinto Robin fazendo dupla com Asa Noturna, que assumiu o manto de Batman após a morte de Bruce em Crise Final.

No game, o personagem é uma mescla dos três Robins: o histórico (de lutador de rua) e a cara de “mal encarado” lembram Jason; o bastão e visual do uniforme remetem aos equipamentos de Tim Drake e o capuz é uma clara alusão ao uniforme de Damian.

Bane:

Sei que o personagem não é mais tão desconhecido (principalmente por causa do Arkham Asylum e do 3° filme do Nolan), mas de toda forma, é interessante falar da origem desse personagem, surgido nos anos 90.

Nascido em uma prisão num país fictício (tem muito disso na DC), o garoto Bane foi condenado a prisão perpétua por conta dos crimes do pai (sim, um recém nascido foi condenado a prisão perétua). Vivendo entre os adultos, logo descobriu que o mais forte sobrevive a prisão. Após uma briga, entra em coma profundo, onde é atormentado por uma visão de um morcego aterrador, que o impede de cumprir seus objetivos. Descobre Gotham e o Batman por intermédio de Pássaro, um bandido ralé da cidade que cumpria pena na mesma prisão (coincidência, não?).

Submetido a um teste que injetou em sua corrente sanguínea o superesteróide Veneno (chamado nos jogos de Titan), Bane sobreviveu ao experimento, ficando assim extremamente forte. Consegue fugir da prisão e decide dominar Gotham e quebrar seu guardião, o Homem Morcego!

No primeiro jogo da serie, a frase de Batman “Não Bane, desta vez, eu quebro você!” Faz uma alusão a saga A Queda do Morcego, em que Bruce Wayne chega ao limite de suas forças físicas e psicológicas. Ao fim da saga, Bane (que havia destruído o Asilo Arkham original, libertando todos os seus internos) deixa Batman paraplégico. Hoje em dia, o personagem está livre do Veneno e integra o Sexteto Secreto (uma nova versão do Esquadrão Suicida).

Victor Zsasz:

O Serial Killer que é seu primeiro desafio em Arkham Asylum e um dos extras em Arkham City é um verdadeiro “bucha” (jargão dos quadrinhos para determinar personagens de pouca expressão) – ex-milionári dono de uma multinacional, Zsasz entrou em depressão após a morte dos pais, afundando-se em jogos e bebida, até perder toda sua fortuna para o Pinguim.

Enlouquecido, tornou-se um assassino em serie impiedoso, acreditando estar “livrando a humanidade de uma vida sem sentido”. Sua marca registrada é o corpo talhado de cortes feitos por ele mesmo, cada um representando uma vítima. Uma das histórias mais legais em que ele atua é durante A Queda do Morcego, em que ele dá muito trabalho para o Morcego.

Pistoleiro (Deadshot):

Mais umpersonagem de menor escalão da DC, Floyd Lawton é um assassino de aluguel, que é contratado por vilões para as mais diversas tarefas de assassinato. Egocentrico, seu maior desejo é “morrer com estilo”. Não possui nenhum superpoder, apenas uma ótima mira e especialização em diversas armas (mas ainda não bate outros personagens da DC, como o Arqueiro Verde).

Ficou mais conhecido no desenho Liga da Justiça, integrando a “Força Tarefa X”, versão animada do Esquadrão Suicida, uma divisão do governo que alista super vilões para missões perigosas em troca de anistia. Hoje em dia, tal qual Bane, integra o Sexteto Secreto.

Homem Calendário:

Esse é o grande campeão de obscuridade (palavra bonita, né?) do post. Julian Day era um mágico, que usava essa atividade como fachada para encobrir seus crimes, sempre baseados em datas festivas e feriados (daí o nome super original). Desmascarado por Batman, o Homem Calendário retornou diversas vezes, sempre baseando seus crimes em datas comemorativas.

A mais proeminente história em que Day (sacaram o trocadilho?) aparece é em O Longo Dia das Bruxas, uma das Hqs que serviram de base para Arkham Asylum. No game, ele está bem mais sombrio, como uma pessoa psicótica e obcecada por datas especiais. Sem maiores spoilers, o Homem Calendário está vinculado ao (creio eu) achievement mais demorado de se conseguir da história dessa geração.

E por hoje é só, pessoal. Tem muito mais personagem em Arkham City, mas falar deles sem spoilers seria muito difícil. Mas deixo aí com a galera dois personagens que queria muito ver em algum jogo do Morcego: imaginem o Exterminador, Vaga-Lume (que é tão bucha que não se acha imagem em alta resolução)  e o poderoso Homem Gato (Catman) como ficariam!?

Até mais, galera!

Escritor frustrado e viúva da Sega, acho que sou o único que gosta dos amigos do Sonic (até mesmo aquele gato estranho do Adventure 2).

Facebook Twitter YouTube 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

23 Comentario(s)

  • Bruno 5 anos atrs

    "No Bane! This time, I break you!"
    Quando ouvi essa frase fiquei maluco, me lembrei de quando eu li "A Queda do morcego" UMA DAS MELHORES ESTÓRIAS DO BATMAN. Nessa frase vi o cuidado que tiveram com as referências para os fãs de Batman.

    • A Queda do Morcego pra mim foi icônica… Acho que foi das melhores que eu li (não acompanhei muito Batman)…

    • Drugue 5 anos atrs

      Acabei de ver essa parte em Arkhan Asylun e é realmente muito foda ver o Batman mandando essa na cara do Bane.

  • Parabéns Diogo! Mostrou bastante conhecimento nas HQs do Homem Morcego, o post é uma boa para galera que veio conhecer mais do personagem pelo jogo e quer expandir seu conhecimento sobre o assunto!

  • Drugue 5 anos atrs

    Excelente! Realmente os jogos do Morcego tem toneladas de referencias e algumas só os leitores mais assíduos vão conseguir identificar. Confesso que mesmo tendo algum conhecimento na cronologia do Batman tem algumas partes que eu tenho certeza que são easter eggs mas não consigo dizer de qual personagem.
    A coluna ficou realmente excelente. Meus parabéns! Sem contar que cita duas HQs que na minha opinião são as melhores do Batman(A queda do morcego e O longo dia das bruxas.).

    • Muito obrigado, Drugue!

      Foi como falei para o Frank aí em cima: gostei do formato, entãoé provávelque outros jogos apareçam dessa forma, vamos ver!

      Eu gosto da Queda do Morcego, que foi uma das que mais acompanhei (por conta do meu irmão, que comprou a saga toda), mas o que veio depois eu não curti muito não… =P

      • Drugue 5 anos atrs

        Sempre depois de uma grande saga vem algumas histórias fracas só pra preparar pra próxima grande saga, isso é lei no quadrinhos, o ideal é acompanhar a saga e esquecer da história até chegar a próxima…rs

        • Aí depende, cara… tem TANTA mega saga hoje em dia que as HQs mais "soltas" são as mais legais!

          • Drugue 5 anos atrs

            Então, é ai que tá, uma mega saga é aquela que envolve todo o universo da editora, essas, atualmente tão um lixo, mas as sagas, aquelas que envolvem só um personagem, normalmente são boas pakas.

          • Ah tah! é que eu chamo de "arco de histórias"…. =P

  • Liev ex-Destruidor 5 anos atrs

    Não li o post pra não tomar spoiler mais fiquei decepcionado com o novo batman, a ideia de criar uma cidade para vagabundos é a pior ideia que eu já vi na historia do entretenimento

    é facil ser a melhor adaptação do batman nos games mesmo porque os concorrentes foram feitos no super nintendo, o jogo manteve os mesmos problemas de sempre

    Pontos fracos:

    – Graficos
    – Historia
    – Stealh vergonhoso
    – AI ridicula
    – Ser obrigado a enfrentar + de 15 pessoas, sendo o batman um humano estraga a imersão
    – Inimigos fingem que não te enchergam escondido
    – não da pra esconder corpos,
    – fisica do gancho é vergonhosa
    – Uma pessoa não fica desacordada por muito tempo, fica claro Batman deveria matar

    Pontos fortes:

    – Animação de combate é a melhor ja vista

    não consigo parar de sentir vergonha alheia ao ver um adulto vestido de morcego, eu já tinha achado o primeiro muito ruim, comprei esse porque tinha um dinheiro sobrando e um pouco de esperança

    • Cara… você não é muito fã do Batman, né?

      Tudo o que você falou de pontos fracos (tirando os gráficos) são coisas que acontecem nos quadrinhos. Acho que tem quer algo mais "fácil", pra não ser frustrante.

      Agora… falar que o Batman "deveria matar"?

    • Ogro Himself 5 anos atrs

      Haters gonna hate

    • Drugue 5 anos atrs

      O Batman não mata, isso é fato desde sempre, se fosse simples assim Arkhan Asylum tinha acabado nos primeiros minutos de jogo quando o Coringa fala para o Batman acabar com tudo ali. Assim como o Batman é um ser humano qualquer, seus vilões, principalmente esses bandidinhos que você enfrenta 15 de uma vez também o são, a diferença é que o Batman tem um pusta de um treinamento em artes marciais e uma armadura que em alguns casos é até a prova de balas.
      Esses jogos são as melhores adaptações de heróis que saíram para games, isso é fato, eles tem defeitos? Tem sim, vários, mas mesmo assim eles trazem a experiencia do que é ser O Batman.

  • Emeagate_ 5 anos atrs

    Eu sempre confundo a história desses Robins, nunca sei quem chegou a ser o novo Batman, quem passou pra vilão por um tempo, quem chegou a ser um Batman tecnológico uma época atrás, quem é o Asa Noturna…

    Acho que o Exterminador é o único dos três últimos que citou que dá uma pontinha no DC Universe Online como chefe e olhe lá.

    • Liev Ex-Destruidor 5 anos atrs

      o primeiro robin largou o batman é virou o asa nortuna, o segundo morreu e voltou como vilão, o 3 é o robin atual e membro dos teen titans…o batman mecanico era um cara loiro que assumiu quand o wayne quebrou a coluna

  • homerofeanor 5 anos atrs

    Parábens mano. Vou ser bem sincero e admitir que nunca fui muito de ler quadrinhos (tudo bem todo mundo tem algumas falhas na vida XD) e todo o conhecimento que possui sobre Batman é proveniente da série animada e dos filmes do Homem Morcego. Mas comecei a acompanhar, principalmente os vilões mais obscuros atráves do Arkham Asylum e do Arkham City. E tenho que admitir que vilões menos conhecidos me surpreenderam nesse novo game, e ter mais informações sobre os personagens é sempre de grade valia. Acho que esse post poderia ter uma continuação com mais explicações. VLW

    • O problema de fazer uma continuação, cara, é a quantidade de spoilers que teriam…

      Tem personagem no jogo que queria DEMAIS falar, mas sairia trechos legais da história do game…

  • Eu fiquei empolgado quando vi que o FênixDown estava com uma coluna nova, mas ainda não tinha tido tempo de ler.
    Gostei bastante dessa coluna. Sou a favor de informações sobre assuntos mais obscuros, então esse assunto de personagens menos conhecidos veio bem a calhar.
    Continue o bom trabalho. o/

  • Diego Shinobi 5 anos atrs

    Cara, parabéns, mais um post bacana…e pra quem estava pedindo Batema, aí está!

    O Bane não é tão bucha pra mim quanto alguns sites "especializados" o pintam. A mencionada história do Bane, chamada a Origem do homen que vai destruir Batman (aqui no Brasil) é uma das melhores origens de vilões que já vi e não é pq sou fã da dupla Chuck Dixon e Graham Nolan não…(ei, vcs sabiam que o Nolan não é o primeiro Nolan a trabalhar na criação de histórias para o Batman?) HUAHUAHUA

    Obs. O Bane não entrou em coma após perder uma briga (foi assim que ficou parecendo no seu texto) e sim ainda garoto, após a tentativa de ser currado por um outro detento chamado El Puerco, ele foi defendido por Trogg que mais tarde se tornaria um de seus seguidores, e acabou sendo empurrado da ala superior da prisão e caindo de cabeça no chão. Teve um sonho consigo mesmo adulto que o motivou a se tornar o que era e após acordar, matou o El Puerco fria e sanguinariamente. Os delírios com o Morcego gigante e a sua fixação surgiram no período em que passou na solitária.

    • Senhoras e senhores, este é o cara que tem TODAS AS HQs d' A Queda do Morcego, A Cruzada, e oi Retorno de Batman.