Vamos a mais um Tô Jogando aqui no Fênix Down! A coluna comunitária que precisa da sua ajuda.

Depois de um pequeno… outro hiato (uhhh), por falta de material e de editor, voltamos com a colaboração de Thiago Cantalupo, falando sobre Demon’s Souls, RPG super hardcore exclusivo para PS3.

Agora leia atentamente, comente e se você escreve razoavelmente bem, não deixe de mandar sua colaboração para o Tô Jogando!

[gameinfo title=”Game Info” game_name=”Demon’s Souls” developers=”From Softwares” publishers=”Sony Computer Entertainment, Atlus, Nanco Bandai” platforms=”PS3″ genres=”RPG, Ação” release_date=”05/02/2009″]

Dias nublados e noites infindáveis camaradas do Fênix Down, meu nome é Thiago Cantalupo, moro em Brasília e curso História, e jogo a um bom tempo. E hoje vou falar da minha experiência com um jogo que trouxe de volta a dificuldade insana aos videogames: Demon’s Souls.

Uma nevoa se apossa do reino da Boletaria e o isola do mundo externo e apenas após Vallarfax, um dos lendários heróis do reino, conseguir escapar do nevoeiro, o resto do mundo descobre que o reino esta em caos, perdido em meio a demônios que se alimentam das almas humanas. Depois deste acontecido, vários homens e mulheres corajosos foram até o reino em busca de riquezas ou tornar-se heróis. E eu fui um deles. Mesmo tendo uma premissa bem simples e um protagonista mudo, a história e o enredo do jogo foram se tornando cada vez mais envolventes e me fizeram querer descobrir o que aconteceu no Reino. E descobrir como acabava essa história não foi nada fácil.

Durante as diversas lutas que passei, fui descobrindo que atacar sem pensar é praticamente um suicídio. No jogo existe uma barra de estamina que se esgota rapidamente à medida que o personagem ataca, bloqueia ou se esquiva. O que fez com que ao enfrentar grande parte dos inimigos eu tivesse que já ter uma estratégia traçada em mente. O menor erro pode ser fatal, muitos inimigos podiam matar meu cavaleiro com dois ou três golpes. Mas ao falar de lutas aqui tenho que falar também da burrice incrível que os demônios e seus servos apresentaram, foi muito comum um inimigo se separar do grupo e vir saltitando para a morte, e os outros não fazem sequer a menor questão de ajuda-lo. Depois de um tempo jogando, também percebi que uma maneira eficiente de eliminar inimigos muito fortes que não possuíam ataques a distancia era acerta-los com flechas, pois eles correm atrás por um tempo para retaliar e depois esquecem. Mesmo os chefes de fase não contam com inteligência, em geral depois que se descobre o padrão de ataques deles fica muito fácil despacha-los. Mas o que mancha mesmo esse sistema de combate (que é muito bom e intenso) é a mira automática que as vezes é mais burra que os inimigos, a dica aqui é tentar jogar sem ela.

Os gráficos do jogo são muito bonitos, a ambientação é de encher os olhos e cria perfeitamente um clima gótico e pessimista. As telas de carregamento entre mundos são sempre preenchidas com um trabalho de arte original de algum personagem. Os monstros de Boletaria são variados e se encaixam como luvas aos ambientes em que residem. Encontrei desde o genérico zumbi a abominações escapadas do calabouço das dimensões, como escorpiões montados com pedaços de gente e Mindflayer’s (sei lá o nome desse troço em português só sei que eles saíram do Call of Cthulhu). O desenho das fases é muito bom e te dá sempre uma pequena ajuda para chegar mais rápido ao chefão caso você já tenha passado pela fase uma vez, o que é ótimo já que nesse jogo não existe checkpoint. É isso mesmo, morreu volta para o começo da fase, sem nenhum ponto de experiência, e com todos os inimigos da fase ressuscitados. Ah, e se você morrer na forma humana (que lhe dá uma quantidade de vida maior que a forma espiritual), o mundo em que você morreu fica mais difícil.

E meu veredicto? É um grande jogo com sistemas de combate realmente muito legal e vários segredos.

Os modos multijogadores podem aumentar muito a vida do jogo e para quem se liga em PvP’s é um grande jogo. A ambientação e a historia estão fantásticas. Para explorar completamente o jogo é necessário ter perseverança e um pouco de sorte na procura. Mas, faltou polimento, acontecem alguns bugs bizarros (corpos presos dentro do personagem), o sistema de mira é péssimo e a burrice dos inimigos faz o jogo oscilar entra batalhas sonolentas e fáceis e épicas que fariam o Conan chorar, como a batalha contra o Firelurker (que também é burro mas os padrões deles exigem memória, reflexos e um pouco de sorte).

Prós:
-A maneira como se passa pelos mundos do jogo não é linear, não existe uma ordem certa para passar pelos desafios.
-Apesar de ser um RPG puro, não obriga o jogador a “ficar evoluindo”
-Dificuldade insana
-Ambientação Perfeita
-Gigantesca liberdade na construção e evolução do seu personagem
-Sistema de combate sofisticado, é possível interromper a ação inimiga de varias formas
-Depois que você diz que já zerou, você ganha respeito.

Contras:
-Inteligência Artificial precária.
-Bugs estranhos acontecem às vezes.
-Não é possível pausar o jogo (sério, isso é muito tosco, a bateria do meu Dual Shock acabou enquanto eu brigava com o Firelurker uma vez)
-Travar a mira no inimigo certo durante um combate difícil é mais difícil que matar o ultimo chefão.

Trailer:

Host do Last Hit, atração sobre League of Legends do Fênix Down. Videos, podcasts e futuramente muito mais.

Facebook Twitter 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

33 Comentario(s)

  • Demon's Souls é um dos jogos que eu ainda preciso jogar, acho a ambientação do jogo excelente e mesmo com os bugs citados no review eu ainda acho que vale muito a pena jogá-lo, principalmente pelo fator hardcore que o jogo tem… Esse é um dos que eu quero pegar para platinar.

    • eu nao terminei…
      comecei mas nao tive tempo, vou ver se aproveito o fim de ano pra dar uma jogada =)

      • Fim de ano vai ser com Skyrim…rs Minha noiva comprou pra mim de presente de Natal, então…rs

        • Thiago Cantalupo 5 anos atrs

          Ele vale a pena mesmo Drugue, não sei você mas, por fator hardcore nesse game eu entendi: Xingar as mães dos produtores e passar raiva como nos tempos distantes dos 16bits
          . Eu não me ligo nesses lances de troféus, mas já vou te adiantando que se você não tive 19 horas para jogar por dia você só platina ele com uma boa wikipédia junto.

          • Esse é exatamente o ponto, o fator Hardcore dele é você querer matar toda a equipe de produção do jogo, mas isso é o que faz ele ser interessante também, pelo menos eu acho…rs
            Eu imagino o quão dificil deve ser platinar ele e também não sou muito chegado em lutar pra platinar tudo, mas sempre que o jogo é muito bom eu tenho essa vontade de platinar, inFamous por exemplo é um que eu fui jogar sem expectativas e hoje em dia estou perto de platiná-lo…

    • Eu já desisti da platina. Voltei jogar recentemente depois de ter recebido meu Dark Souls- que só jogarei após terminar Demon souls. E sem consultar wikipedia/gamefaqs nem nada do gênero!

  • Vagner "Zero" 5 anos atrs

    O que você levantou como bug de corpos é, na verdade, um velho problema da Havok (a engine de física usada no jogo). O sistema de ragdolls dela tende a dar esses problemas. Muitos jogos também a usam e também mostram esse problema. Dois exemplos são o Borderlands e o Force Unleashed. Se tiver a oportunidade de testá-los, verá que é "normal".

    Demon's Souls foi uma das melhores experiências ano passado. Foi um suplício para platiná-lo, mas a sensação de satisfação quando o fiz, foi incrível. Lembro que perdi a última semana de 2010 com o PS3 offiline só pra pegar uma maldita Pure Stone. Ou quando havia conseguido matar o FlameLurker pela primeira vez sem ajuda. Vale muito a pena.

    Quanto a jogar sem fio e acabar a bateria: jogo hardcore que é jogo hardcore tem que ser jogado com fio! XD

    • É isso aí! Uma prova disso é que o controle deluxe da Razer não tem opção sem fio.

    • Thiago Cantalupo 5 anos atrs

      Mas eu adoro controle sem fio (nada mais daqueles gnomos da Lavitéria zoneando os fios =). Meu Borderlands não da esse bug dos corpos não. Se bem que nem sei não joguei muito, achei o jogo mais chato do universo. Concordo contigo foi uma grande experiência.

      • Thiago Cantalupo 5 anos atrs

        Vanquished também usa a "enijne" Havoc e não tem essas palas doidas de drogas de corpos mais vivos que os vivos.

  • Gostei da frase "Depois que você diz que já zerou, você ganha respeito." Isso é realmente o que ocorre, pelo menos eu respeito que teve atitude de encarar esse jogo…….

  • Thiago Cantalupo 5 anos atrs

    Os inimigos não guardam rancor, mhwuahwuwahuwahuaw

  • Poisony 5 anos atrs

    Demon's Souls é um jogo que tenho muita vontade de jogar. Um jogo que não tem medo de ser difícil é raro nos dias de hoje.

    Muito bom o texto!

  • Goiaba 5 anos atrs

    Também estou jogando! Me falta apenas um Bos antes do Bos final, e somente os troféus de todos os anéis, todas as magias e todos os milagres para platinar! ,,/ Mas digo uma coisa, jogo não é tão difícil quanto Catherine!! Esse sim me deixou com muuuuita raiva dos produtores, mas hj em dia sou FanBoy da Atlus, tenho tds os jogos de PS3 deles desde 2009.

  • NerdRalls 5 anos atrs

    Esse jogo tinha tudo pra ser EPICO, porem a escolha por dificultá-lo ao máximo (pra alguns isso se
    chama justo, pra mim não XD) fez com que ele fosse de Nicho do Nicho, eu tenho um caminhão de
    opções pra curtir, vários e vários RPGs ou não pra perder uma semana apenas na primeira fase
    de um game (sim levei uma semana pra passar da primeira parte desse game ) que não, não da !!!

    Eu não tenho mais 15 anos (infelizmente ) pra passar meses e meses decorando um jogo tão
    grande como esse como fiz uma vez com Battletoads ate terminar, enfim desisti no terceiro chefe
    e nunca mas eu volto e não vou comprar a "continuação" NUNCA !!!!

    boa coluna, nunca tinha lido !
    Abs

    • Thiago Cantalupo 5 anos atrs

      Sabe, pensei numa coisa depois que você comentou. Acho que esse game se sustenta pela nostalgia do nincho que ele atinge. Não uma nostalgia por signos superficiais como jogabilidade e gráficos, mas sim uma nostalgia pelo sentimento que os jogadores tinham ao jogar aqueles games dificílimos de antigamente, como Battletoads.

      • killer-hd 5 anos atrs

        Pode ser, por que eu acho bem estranho uma grande quantidade de pessoas gostarem desse
        jogo, realmente deve ter muito a ver com nostalgia, na minha infância quanto mais difícil
        melhor porem hoje pra mim não da mais, meu tempo é muito pouco pra ficar passando raiva
        com o meu hobby preferido, e foi só isso que esse jogo me proporcionou … infelizmente =/

        Eu queria ter gostado, queria ate ter platinado mais a raiva me possuiu me fazendo desistir
        para o bem do meu consoles, controle e meu mesmo, vai saber XD !
        Ninja Gaiden é outro, mais esse eu pretendo tentar mais uma vez !
        Abs

    • Rodrigo de Oliveira 3 anos atrs

      É só uma questão de costume… Eu tenho 27 anos, sou casado, trabalho e ainda pego muito serviço pra fazer em casa…

      Hoje se eu tivesse que vender todos os meus jogos de ps3 (51) e ficar apenas com 1, seria demon's souls. É de longe o melhor jogo que já joguei (na minha opinião, claro).

      Como eu disse, é uma questão de costume, também tive muita dificuldade no inicio, mas hoje passo da primeira fase (phalanx) em questão de minutos..

      Valeu a pena demais ter platinado! Sensação incrivel! :-)

  • Amo esse jogo, fui um dos jogos que me fez escolher PS3 como console dessa geração e o primeiro que comprei.
    Para mim Demon's Souls é como a vida, é dificil, temos que agir com cautela, qualquer erro pode te fuder e temos que dar valor a cada coisa conquistada.

  • K' KeystoneHerbett 5 anos atrs

    O GAME NÃO PAUSA?!
    rs…
    Isso ae já não é desafio, já é sacanagem!

  • Tenho Demon Souls e, god is it hard… to meio que preso na parte que tem as arraias voadoras e tem que atacar com flecha… é fucking impossivel acertar!

    • Thiago Cantalupo 5 anos atrs

      HUm, verdade devia ter falado disso acertar alvos móveis com o arco também é mais difícil que matar o ultimo chefe.

    • Ricardo Pasqual 5 anos atrs

      Cara, tu vai ficar a vida inteira atirando pra matar as "arraias". Usa a espada que tu acha lá mesmo (Stormruler, se não me engano) o ataque forte (R2) com as duas mãos dela é bem divertido, tu vai ver chover arraia xD #fikdik

  • Ricardo Pasqual 5 anos atrs

    Boa! Demon's Souls é um dos meus jogos favoritos, tanto que fiz questão de platiná-lo. A parte mais difícil da façanha foi ficar "farmando" pedras pra conseguir a Pure Blade Stone (material necessário pra fazer o último upgrade do gênero eu um armamento).

    É exatamente aí que acho que mora um dos fatores negativos do jogo: Ele ainda se prende à mecânica de grind (matar inimigos repetidamente para ganhar xp) e farm (matar inimigos repetidamente para ganhar um determinado item). Mas mesmo assim, não é algo extremamente necessário, só se o jogador quiser fechá-lo 100% mesmo. Mas foi um saco ter que matar o Black Phantom Dual-Katana Skeleton uma 897564328 vezes pra conseguir a maldita pedra =/ Só fiz porque era o último troféu faltando.

    O target lock é bem ruinzinho mesmo, o problema dele é que se o inimigo não estiver totalmente na tela, a mira não trava nele. Depois que acostumei, não tive mais dificuldade, mas poderia ser melhor mesmo.

    O game dá a desculpa da inteligência dos inimigos, já que todos são quase "zumbis" são burros mesmo segundo o plot, ou seja, entre demônios e almas transtornadas não tem espaço pra inteligência. Tanto que é bem diferente quando se luta com um NPC ou do gênero. Mas eles ainda são meio tontos mesmo =P

    Fora isso, pra mim o jogo é só elogios. Não pausar faz parte da mecânica e da proposta dele. Ele quer que o jogador sinta como é estar ali no momento, não existe sossego. E se o cara precisar dar uma escapulida no banheiro é só dar "quit game" que quando tu der load ele começa *exatamente* de onde tu tava, sem perder nada. Além do fator on-line, que permite invadir o jogo de outro jogador pegar dicas nas mensagens ou mesmo ser atacado por um invasor, pausar o game iria contra sua proposta.

    Talvez para alguns possa parecer que ele faz sucesso pela nostalgia, mas discordo. Embora ele se utilize de muitas mecânicas antigas (como morrer e ir pro início da fase) isso é só para aumentar o fator "interpretação" do RPG, fazer com que o jogador tenha medo de morrer, fique atento e não seja precipitado. Pelo mesmo motivo não há quick save/quick load, para fazer o jogador lhe dar com suas atitudes no game.

    Recomendo a todos Demon's Souls, assim como Dark Souls. São jogos que, nas palavras dos desenvolvedores, podem ser considerados um prato muito apimentado, mas entender e se acostumar com o gosto, vai ver que é um prato excelente.

    • ThiagoSantosT 5 anos atrs

      Hehe concordo com vc e pra quem tem medo da dificuldade a FromSoftware Pos a tendencia de todos os mundo PURE WHITE ate o começo de janeiro entao se vc ta com medo de jogar por que é dificil aproveite agora (se bem que eles poderiam colocar tudo PURE BLACK Preciso FARMAR)

      • Ricardo Pasqual 5 anos atrs

        Geralmente eles fazem esse evento das tendências em outubro. Sempre começa Pure White até a metade do mês e depois Pure Black até o final, mas agora já deve tá normal. Joga off line, faz farm de Stone of Ephemeral Eyes e vai se matando no mundo que tu quer "pretear" xD Tive que fazer isso pra farmar a maldita Pure Blade Stone =P

  • Ezequias 5 anos atrs

    Zerei este jogo já algumas vezes. Não tive problema com o Lock (uma das vezes joguei com mago puro), a falta da pause é muito simples: você está sempre sempre vulnerável e o jogo é online, tanto você pode invocar ajuda de outros jogadores, quanto você pode invadir o "mundinho" deles para detonar-los.

    Nervosismo é ter colecionado um bazilhão de almas e ter um black phanton invadindo o seu mundo…

    • Bruno 5 anos atrs

      porra, duas horas farmando black phanton, resolve voltar pra upar, escorrega, morre, fica apressado pra recuperar as almas, dá deslize e morre perdendo tudo… você tem que aprender com os erros, mas é bom ter um jogo mais softcore nessas horas.

  • This is a good approach to what, for some, may be a controversial topic. Very well though out post. – Man – a figment of Gods imagination. – Mark Twain 1835 – 1910

  • Awesome blog man, found your blog ongoogle. Going to add it to my rss feed reader!

  • Liked your posting a lot. I’ll be browsing your website regularly. I found it on google

  • Adonis 3 anos atrs

    Eu zerei o Dark Souls… Peguei o Demon Souls para jogar "só" por isso. Esses jogos valem cada segundo e centavo gastos, cada centímetro de dungeon e cada gota de suor para derrotar mais um inimigo. Eu não me lembro de ter curtido tanto um jogo desde que zerei Ghoul's & Ghost's no mega drive.