Na última quinzena, falei de um mangá que não gostei. Uma adaptação de game que poderia ter sido incrível, cuja execução foi, no mínimo (para mim) decepcionante.

Hoje farei o inverso.

Atenção: sou um fanboy inveterado de Rockman/Megaman Clássico. Fiquem avisados.

Publicado primeiramente em 1997 pela Kodansha e em 2009 pela BN Comics, Rockman Megamix reconta a origem e principais histórias do blue bomber magistralmente desenhadas po Hitoshi Ariga. Em 2010 essas histórias foram publicadas pela editora Udon.

Diferentemente de outras tentativas de adaptar a história de Rockman (Megaman para os impuros), a série Megamix alia de forma impressionante o carisma dos personagens da serie clássica com novos e incríveis visuais, além de uma história coesa, com ótimo desenvolvimento.

Como a própria wikia do jogo não ajuda, irei falar mais dos aspectos técnicos, comparando com a saga do personagem, do que tentar colocar uma “cronologia” nas publicações:

Muitas pessoas preferem a saga X a Clássica, por conta de sua cronologia mais detalhada, mais “real” que a de seu irmão mais velho. Porém, em Megamix, ela é explicada (como já dito) de forma coesa, clara e acima de tudo, divertida: a HQ começa com Dr Light ativando Rock, um robô ajudante, que o bom doutor trata como se fosse um filho. A partir dele, vários outros robôs são criados, como Roll e os robôs-mestres, que possuem um sistema automato de decisões, diferente de seus “subordinados”, que apenas são máquinas que seguem as ordens dos robôs mestres.

Mas, como tudo que envolve algo mecânico nunca é perfeito, os robôs mestres começam uma rebelião contra humanos (sim, há mais humanos em Megamix, não só os Drs Light e Willy). Indagado sobre o que poderia estar acontecendo, Dr Light mostra-se impotente perante o ataque de seus demais “filhos”. Mas, mostrando uma coragem humana, seu “primogênito”, Rock, pede ao bom Doutor que o transforme em um robô de batalha, para que possa impedir os robôs mestres.

Armado com o canhão rock buster e um sistema copiador de habilidades, o pacato Rock transforma-se em Rockman!


A ordem do primeiro volume, segue fielmente a ordem do jogo (a mais fácil), mas tudo muito dramático,típico japonês: o herói tenta dissuadir o vilão (muitas vezes sem sucesso), sofre com a perda dos “irmãos” e se regozjiza das vitórias conquistadas.

Como dito no início, os grandes pontos dessa serie são o visual dos personagens (sério, estão muitos bons) e o andamento da história, sendo algo realmente bem trabalhado, além de easter-eggs bem legais, envolvendo astros da Capcom.

Falar mais do mangá eu estaria dando spoilers, mas com certa facilidade você encontra traduzido na rede, além de poder encmomendar as HQs da UDON em sites especializados (mas eu realmente queria que ele fosse publicado aqui)…

E é isso aí, galera! Próxima quinzena voltamos a “programação normal”, falando de dois (sim, DOIS) jogos que a galera curte muito (esse eu tenho certeza, hehehehe)

Até mais povo!

Escritor frustrado e viúva da Sega, acho que sou o único que gosta dos amigos do Sonic (até mesmo aquele gato estranho do Adventure 2).

Facebook Twitter YouTube 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

11 Comentario(s)

  • Diego Shinobi 5 anos atrs

    CARACA que mto louco, to doido pra ver na íntegra, isso me faz lembrar dos tempos em que adorava desenhar o Rockman e até fiz teste pra desenhar na mal fadada publicação nacional.

  • Heitor Polidoro 5 anos atrs

    …..eu…preciso…disso…. *limpa a baba*

  • Mangá de Rockman desenhado da maneira clássica, a la Astroboy.

    Da vontade de ler mesmo!

  • Bem legal, pena que dificilmente será publicada na integra no Brasil. O negocio é tentar importar uma edição americana  mesmo!

  • killer-hd 5 anos atrs

    Que saudades do MegaMan =/

  • Fiquei com muita vontade de ler esse mangá !! Pena que o personagem não tenha apelo suficiente pra ser lançado em bancas daqui, afinal acho que Megaman hoje é personagem conhecido/adorado só pelos gamers mais hardcore e velhacos como eu :)

  • Rapaz, esse é realmente um mangá muito lindo. Curti muito o estilo do traço e sem sombra de duvidas eu queria ver ele publicado aqui, mas é realmente dificil, só mesmo se uma ou outra revista de games resolve publicar(dificil… realmente dificil)… O jeito é comprar importada mesmo e torcer pra um dia… quem sabe um dia.

  • Só um adendo/protesto:

    fico muito, mas MUITO triste da Capcom ficar comemorando 15 anos de Resident Evil e aparentemente esquecer que Rockman está fazendo 25 anos!

  • Cara, adorei o seu post. Adoro Megaman clássico mais que os outros jogos da franquia e tenho todos os Megaman Megamix , e mais recente, todos da série Gigamix (ambas versões da UDON). Também queria que alguma editora publicasse aqui no Brasil as duas séries, já que até um mangá de Monster Hunter, game da Capcom como Megaman e menos famoso por aqui, foi lançado.

  • Só um adendo: quem fala que a série clássica de Rockman não pode ser abordada de maneira adulta precisa conhecer a banda The Protomen!