Gamics 13 na Sexta-Feira 13.  Isso só pode significar uma coisa: é uma baita de uma coincidência!

Bom, como havia prometido logo no começo da coluna aqui, vou falar de mais um clássico dos 16bit, fruto da parceria Marvel/Capcom. Vamos falar de X-Men Mutant Apocalypse, em mais uma “explicação” das escolhas da empresa na criação do game!

Mas para isso temos que voltar para o início dos anos 90, em que os quadrinhos dos mutantes estavam em seu auge. Graças a uma “revolução visual” promovida pelo artista Jim Lee, as HQs dos X-Men ganharam uma nova revista totalmente capitaneada pelo coreano. Tal publicação atingiu a impressionante marca de 1 milhão de exemplares vendidos, gerando trocentas reedições. Nessa HQ, Lee optou por reformular os uniformes dos personagens, além de incluir novos e trazer antigos.

O sucesso foi tanto que logo os mutantes estavam em todo tipo de merchandising. Aqui no Brasil, o grande destaque ficou para o desenho animado, que foi repetidamente reprisado pela TV Globo: esse desenho fez tanto sucesso que até no Japão passou (com aberturas refeitas):

E claro que os games não poderiam ficar de fora. Os arcades receberam X-Men Children of the Atom, um impressionante game de luta extremamente frenético, que seria a base para Marvel Super Heroes e para todos os crossovers com a Capcom. O segundo, lançado no mesmo ano exclusivamente para SNES foi o resenhado aqui.

É importante citar que nessa época os X-men foram divididas em duas equipes: a Azul e a Dourada. A formação do game é a Azul, com exceção de Vampira e Jubileu. A jogabilidade, obviamente, é um beat’n’up, mas em side scroll e é extremamente difícil. Cada integrante começa em uma fase específica, em que suas habilidades se fazem necessárias.

É engraçado perceber que você enfrenta vários inimigos dessa fase das HQs, como os acólitos de Magneto (que foram criados por Lee e também aparecem no desenho animado), bem como alguns vilões mais clássicos, como Fanático, Apocalipse e a Ninhada, além dos mais puro “massavéio”, como o Ômega Vermelho. O game é muito bem executado em sua proposta, principalmente emulando o traço do artista.

É evidente também que a escolha dos personagens tem como base sua popularidade nos quadrinhos na época: tínhamos a gostosa (Psycloke), o bonitão das garotas (Gambit) o fodão (Wolverine) o amigão da galera (Fera) e o líder bundão (Ciclope). E é interessante também perceber que esta formação não é a mesma do desenho animado.

Outra coisa legal (ou não, né, depende de cada um) é saber que o Apocalypse não é o vilão do game! Mas apresentemos, pois, os vilões mais obscuros do jogo:

Acólitos:

Liderados por Fabian Cortes, os acólitos são os “X-men do Magneto”: compartilham de sua crença de superioridade dos mutantes sobre os humanos. Sua base era no Asteróide M, e obviamente, traíram seu líder e mentor

Na HQ, tentam recrutar Vampira para a equipe e hoje em dia estão relegados ao esquecimento.

Ninhada:

Espécie de “vírus tecno-organico”, a Ninhada é uma raça alienígena que era recorrente nos anos 90. Como uma espécie de vírus, estes seres infectam qualquer tipo de criatura, parasitando-as. Algo até bem parecido com o simbionte do Venom, mas mais agressivo.

Exodus:

Esse eu nem imaginava que tivesse mesmo nos quadrinhos. Trata-se de um mutante com poderes telecinéticos muito fortes, que “peitou” Apocalypse e ficou por anos em animação suspensa. Ele foi responsável por substituir o traidor Fabian Cortez e criando uma nova geração de Acólitos, além de formar uma nova Irmandade de Mutantes.

O game ainda conta com o impassível místico Fanático (Juggernaut), o mestre do magnetismo Magneto, alguns robôs Sentinelas de Genosha (país que outrora foi a maior nação anti-mutante do mundo, que foi colonizada por mutantes e depois destruída por Magneto) e a “Arma X Russa” Ômega Vermelho.

E é isso aí, galerinha! Mais um Gamics de um clássico. E fiquem ligados: com o lançamento do filme dos Vingadores, vou fazer um “cross-especial” com o Gambiarra, falando de diversas mídias dos Heróis Mais Poderosos da Terra. Será que vocês adivinham do que irei falar por aqui?

Até mais!

Escritor frustrado e viúva da Sega, acho que sou o único que gosta dos amigos do Sonic (até mesmo aquele gato estranho do Adventure 2).

Facebook Twitter YouTube 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

18 Comentario(s)

  • Catso, quando vi essa capa splash page desenhada pelo "massa véio" Jim Lee, quase chorei como um ninja silencioso, quanta nostalgia, eu devo ter essa mini-série em algum canto na casa dos meus pais. Esse jogo dos Xis-Man era foda pra carai… meia-lua e o Ciclope soltava rajada pelas ventas.

    • É! Eu teminei essa porra no SNes… tenho o cartubho até hoje!

      E dando um Róiugue com o Wolverine ele subia com as garras!

  • Eu tinha e adorava esse jogo!! Até hj sinto falta de um bom jogo dos mutantes pros novos consoles. Ainda espero o lançamento de algo com qualidade, pois esse ultimo jogo lançado dos X-men… meldels…

  • Bruno 4 anos atrs

    "e o líder bundão (Ciclope)" auehuahueha

    todo mundo odeia o Ciclope, coitado. Eu sempre sentia pena dele.

  • Grandmaster Meio 4 anos atrs

    Eu gostava que na última fase, dependendo de quem você escolhesse, a fase era diferente. A mais difícil era a da Psylocke.

    Só uma correção: a ninhada não é a do vírus tecno-orgânico. Eles infectam outras raças com seus ovos, mas a raça do vírus é a Technarchy (não sei o nome em português).

  • Poisony 4 anos atrs

    Que estranho que é ver a abertura do desenho do X-Men sem aquele cláássico riff de guitarra da versão americana: http://www.youtube.com/watch?v=sAkL2-vh2Sk

    TARANÃRÃNÃNÃNÃ, TARANÃRÃNÃNÃNÃ, TARANÃRÃNÃNÃNÃ… TÃNÃ.

    No aguardo do que tu vai fazer com o segundo time de heróis mais legal que existe (o primeiro lugar é obviamente X-Men).

  • Ogro Himself 4 anos atrs

    Ah, o poserismo da década de noventa … bons tempos. Jim Lee gastou todo seu talento pra reformular os X-Men, pq nunca mais fez algo que prestasse depois.

    O Ciclope era realmente o liderzinho bundao nessa epoca … hj em dia ele é o lider mutante filhodaputa. Tanto que até o Magneto é do time dele agora.

  • Cara esse jogo é praticamente uma ode a Jim Lee, com referências de quase todas as grandes sagas dos X-Men na época.

    Só umas pequenas observações:
    os acólitos não traíram Magneto, só o Cortez traiu, os outros continuaram fiéis ao vilão, tanto que ele foi salvo por um deles.
    o Exodus não criou outra geração de acólitos, ele só desmascarou o Cortez e o restante se juntou a ele, já que ele provou estar com Magneto, inclusive o Colossus se tornou um acólito nessa época, traumatizado com a morte da irmã.
    Magneto não destruiu Genosha, foi ele que transformou a ilha de uma nação anti-mutante para uma nação só de mutantes, Genosha foi destruída por um ataque maciço de sentinelas tempos depois.

    • Cara, confesso que não manjo muita coisa do universo mutante… a parte de Genosha foi vacilo meu mesmo.. os outros eu poderia jurar que rolou dessa forma…

      De toda forma, valeu os toques cara(Ui)! Quando falar de Marvel de novo estudo ainda mais!

      • sem crise, só quis acrescentar, o post ficou muito bom. e a questão dos acólitos é confusa mesmo, o entra-e-sai aí (Ui) é muito grande (Ui de novo).

  • Cara eu tenho esse cartucho até hj tbm, e esse jogo é foda!!! Parabéns!

  • Tohno Shiki 4 anos atrs

    O engraçado desse jogo que reutilizaram sprites dos golpes de SF2 como o Scisor Kick do Bison no Gambit, Shoryuken no Wolverine e alguns golpes a mais