Olá galera, depois de um final de ano bem corrido, voltamos do recesso de final de ano com as nossas queridas listas.

O mercado de videogames portáteis, dominado pela Nintendo e que mais recentemente teve o ingresso da Sony sempre foi uma área muito rentável, principalmente para a primeira, que contou com seus ótimos números nos portáteis para superar alguns baques nos seus consoles de mesa após a era 16 bits.

Aparentemente, o que antes parecia um porto seguro já não demonstra ter toda a confiabilidade de outros tempos, e a seguir veremos alguns motivos:


5º –  Surgimento e expansão de outros dispositivos

iPhone

Esse item talvez seja o mais importante, já quetodos os outros se originam dele. Apesar de já existirem há um bom tempo, a explosão dos smartphones se deu pra valer a partir do lançamento do primeiro iPhone no ano de 2007, época em que a Nintendo e a Sony já se digladiavam pela preferência dos gamers nesse setor. De lá pra cá, houve uma revolução no mercado desse tipo de dispositivo, principalmente com o lançamento do Android e de aparelhos mais em conta com esse sistema operacional, todos eles aptos a rodarem jogos portáteis.

Mais recentemente, ainda houve o lançamento do iPad e diversos outros tablets, além do investimento pesado da Microsoft no seu novo SO para aparelhos desse tipo. Resumindo: Temos hoje no mercado um sem fim de celulares e tablets aptos a rodarem jogos com qualidade.


4º –  Evolução do Hardware

Tegra 4

Consoles portáteis tradicionais, como o Vita e o 3DS são projetados para terem um ciclo de vida razoável no mercado. Já os smartphones, por exemplo, evoluem de forma muito mais rápida, geralmente a cada 12-18 meses. Ficar 6 ou 7 anos com o mesmo hardware é um fardo cada vez mais pesado para os consoles portáteis carregarem, já que as pessoas estão muito mais inclinadas a trocar de telefone em um curto período de tempo do que ter que comprar outro videogame em um espaço de tempo não tão grande.

Some a isso o fato de o hardware dos smartphones e tablets evoluir de forma absurda, e com isso,  mesmo os modelos mais baratos passam a ter especificações técnicas razoáveis em um espaço de tempo não tão longo. O high-end de hoje é o mediano de amanhã e assim sucessivamente.


3º – Evolução do Software

Infinity Blade

Outro ponto que evoluiu muito rapidamente foram os jogos. Se antes os joguinhos em java imperavam nos celulares, com o surgimento de SOs como o iOS e o Android, aliados ao hardware cada vez mais potente dos mobiles, podemos ver jogos com qualidade gráfica cada vez mais impressionante, e que batem de frente nesse quesito com os portáteis tradicionais. A seguir, deixo um vídeo interessante sobre a evolução dos jogos mobile da produtora Gameloft (já tem um tempinho de lançado, mas dá pra visualizar bem os progressos) que é uma das mais atuantes no desenvolvimento e lançamento de jogos para plataformas móveis.
[youtube id=”MGdKfOxz8J0″ width=”600″ height=”350″]


2º – Modelo de vendas

appstore

Lançar um console no mercado não é tarefa para amadores. É um negócio que envolve muito dinheiro, contato com desenvolvedores, lançamento de Dev Kits, um planejamento muito bom do hardware, etc… Um console sem jogos simplesmente não é nada. Essas preocupações passam longe de quem lança dispositivos mobile, já que eles não são feitos só para jogar e também  por um motivo bem importante: Tudo está lá nas lojas de aplicativos.

A variedade encontrada nesses locais, principalmente na loja da Apple é absurda (no caso do iOS ainda existe a vantagem de uma certa padronização do hardware) já que são um espaço mais democrático onde tanto as grandes empresas quanto aquelas que não tem tantos recursos mas possuem bons produtos tem o seu espaço. Os preços são muito menores do que os games portáteis convencionais e o processo de lançamento de um jogo é muito mais barato e bem menos burocrático e arriscado do que no modelo convencional.

Isso abre espaço para muitas pérolas que se dependessem de um videogame tradicional para serem lançadas, talvez nunca vissem a luz do dia.


1 º – A razão de existir

smartgaming

O Game Boy surgiu no fim da década de 80 com a finalidade de levar uma experiência semelhante  a dos consoles de mesa para qualquer lugar. O console vinha com o jogo Tetris (responsável por introduzir muitas pessoas ao mundo dos games) e teve uma biblioteca respeitável de títulos, já que o sucesso foi esmagador. Até o lançamento do PSP da Sony, a Nintendo reinou absoluta nesse mercado.

No começo dos anos 2000, quando os celulares já começavam a se alastrar em escala exponencial, eles tinham uma capacidade de processamento bastante reduzida em relação ao Game Boy Advance  por exemplo, e o máximo que você conseguiria em termos de diversão neles era jogar snake.

De lá pra cá a popularização de celulares ocorreu de maneira tão forte que praticamente todo mundo tem um ou até mais aparelhos desses. De alguns anos pra cá, estamos vivendo outro momento, com a expansão dos smartphones e banda larga móvel, dispositivos com processamento cada vez maior e a preços menores, e aptos a rodarem uma infinidade de aplicações com qualidade, incluindo os jogos.

Se antes era necessário carregar um dispositivo dedicado para jogar, hoje podemos simplesmente sacar um celular ou um tablet e se divertir com um dos inúmeros jogos que são colocados nas lojas de apps todos os dias. Algumas das grandes desenvolvedoras do mercado, como a EA e a Square-Enix já lançam conteúdo com razoável frequência nesses ambientes. Esse é o grande desafio para os consoles portáteis tradicionais, competir com aparelhos que possuem capacidade semelhante e em constante evolução e que são desenvolvidos por gigantes do hardware na atualidade.

É certo que muitos enxergam a falta de controles dedicados como empecilho, mas nada impede que dispositivos que possuam essa característica sejam lançados para usuários mais exigentes, como o Xperia Play da Sony Ericsson ou mesmo o anunciado Shield, da NVIDIA, que irá trazer o Tegra 4 e a nova arquitetura mobile da empresa.

Estamos vivendo uma mudança de paradigma? A última geração dos consoles portáteis tradicionais? O tempo nos trará a resposta, e sou um dos que aguardam ansiosos por ela.

Marcos Henrique

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

18 Comentario(s)

  • Discordo do quarto motivo, PC sempre teve um ciclo de atualização muito mais rápido do que consoles de mesa, mas isso nunca atrapalhou os consoles de se manterem com um 'chassi defasado'. O que define o sucesso do videogame é a quantidade de jogos bons, ou isso é o que eu acho.

    Mas eu sinceramente espero que os portáteis tradicionais acabem, pra termos linhas de celulares voltados à games, como o Xperia Play, só que com um pouco mais de qualidade.

  • ebermuda 3 anos atrs

    Esta historia de novo? Isso é mais batido do que claras em neve…

    3DS vende BEM PACAS, após os acertos da Nintendo, o portatil esta vendendo MUITO bem, obrigado.
    Jogos muito bacanas e um portatil que se propõe a ser isso, um portatil, titulos que tiram proveito de suas caracteristicas ou titulos exclusivos a ele, fazem dele uma ótima pedida…
    Creio que seguiremos neste mesmo cenario por mais longos anos,… Nintendo vende hardware, pq tem muito software exclusivo isso segura as vendas, ao menos de seus portateis…
    Claro, os jogos para iOS ou Android, estão melhorando cada vez mais, mas anda não consigo trocar meu portatil por um iPad, iPhone da vida…

    • Marcos Henrique 3 anos atrs

      Analisando o TOP 10 de títulos do 3DS, cheguei a conclusão que não valia a pena gastar dinheiro com ele, principalmente porque com certeza eu usaria ele mais em casa do que na rua. E o ponto principal é esse, eu tenho tablet, smartphone, e a compra dos mesmos independe de jogos. Essa é só mais uma das inúmeras funções desses aparelhos, que já me acompanham naturalmente.

      Faço uma pergunta: Você acha que o 3DS irá chegar ao menos próximo das vendas do DS? Isso responde muita coisa.

      • ebermuda 3 anos atrs

        Então, os tablets ou espertofones são um FAZ TUDO… E isso atinge diversos publicos, logo acho que eles sempre tem vantagem sobre pc,notebook, portateis e etc…
        Eu não uso meu iPad na rua, acho feio pacas andar com uma parada daquele tamanho pra jogar ou mesmo pra acessar a internet ou redes sociais… Já o iPhone ou Android, da pra usar de boa, mas a falta de botões atrapalha e MUITO a jogatina… E ai, os jogos se resumem a poucas coisas boas…
        O 3DS tem MUITA coisa boa, titulos de peso (meu gosto) e acho que isso só tende e melhorar com o tempo, visto que desenvolver pra ele é BEM mais caro do que para o DS…

        E quanto as vendas, não sei se chegará ao que o DS chegou, ele (o DS), juntamente com o Wii, foram fenômenos em sua época e repetir este fator é realmente difícil…

        O bom do 3DS é com o hardware bem melhor do que o DS, da pra se ter uma biblioteca ainda maior do que o seu antecessor.

        Jogos que farão o 3DS vender MILHÕES:
        1°Pokemon Y e X
        2° Monster Hunter 4 (ao menos no JP)
        3°Luigis Mansion
        4°SSBB
        5°Fire Emblem (a série vai dar um bost nas vendas do portatil)
        E digo o mesmo que o confrade de baixo disse… Oferecer o hardware mais ROBUSTO não justifica nada, o PSV esta ai, parado nas vendas, só dando preju pra sony, pq quis oferecer um tablet super potente,misturado com um console de mesa…
        Enfim,a conversa é LONGA hehehe

        • Pontos de discussão:
          – vender menos que o DS pode significar vender muito, não dá pra esquecer que o DS vendeu mais do que camisinha no carnaval;
          – developers podem, e, se depender deles, farão multiplataformas, e a competição de preço em inteliguenta mobilos é bastante acirrada, então é bem mais fácil sair com preço menor numa iStore;
          – jogo da nintendo pode ajudar a vender 3DS, mas não justifica o console inteiro. Ver: Wii

          • ebermuda 3 anos atrs

            Então, ai é que está. Pra mim justifica, me diverti MUITO no Wii e como tive PSP, PS3 E DS, os multi pra mim não fizeram falta alguma, e se no Wii só existissem os exclusivos, ao meu ver, teria valido o console…

            Acho que os jogos de plataformas moveis até tentam, mas nunca serão tão bacanas quanto os de portateis/consoles bem feitos… Angry birds que o diga, é um jogo que começou bacaninha, mas já está tão chato (eu nunca entrei na moda) que não desce mais…
            Pra mim 5 jogos que sairam já valeram o investimento no 3DS:
            1°Super Mario 3D land
            2°Kid Icarus Uprising
            3°RE:Revelations
            4°MK7
            5°StarFox/Zelda:Oot

            Fora os jogos presentes no eShop e os que ainda vão sair…
            E volto a falar, PKMN Y e X vão fazer o portatil vender tanto que vai faltar em estoque…

            Mas isso eu falo por meu gosto… Jogo portatil desde sempre, e jogar no smartphone é PESSIMO… No iPad/Tablet já fica mais confortavel, tem gráficos lindos, mas ainda assim, prefiro ter os exclusivos de cada plataforma, do que ficar preso apenas nos genericos disponiveis na applestore ou playstore;.

  • NietzscheFSpeed 3 anos atrs

    Engraçado como todo mundo mundo passa adiante essas profecias de que "os portateis morrerão" ou "o futuro é mobile", "o futuro é etc", sendo elas quase nunca traduzem a realidade. O que mantém portáteis como o 3DS e o PSVita em pé é a qualidade de seus jogos. Isso que a biblioteca de jogos desses portáteis nem é tão surpreendente, e mesmo assim ficam, em geral, acima do que se produz exclusivamente para os iOS e Androids da vida.

    Acredito que muitas empresas se iludem achando que oferecer um hardware "robusto" e que "oferece muitas possibilidades" é suficiente pra fazer as pessoas comprá-lo. Mas no final das contas o fator determinante acaba sendo a qualidade, e não o potencial ou a proposta do produto, seja ela qual for.

    • Marcos Henrique 3 anos atrs

      Na verdade não é profecia. É meramente uma observação pessoal, sobre como eu enxergo as coisas, depois de ter possuído vários portáteis (GBC, GBA, DS e PSP). Concordo com você no que diz respeito à jogos, creio que o ponto chave dessa questão o fato de as grandes desenvolvedoras adotarem ou não as plataformas mobile de forma massiva. Se hoje, de forma geral como você citou, os jogos tem um melhor acabamento no portátil (claro que sempre existem as exceções), é reflexo do investimento que é feito atualmente em cada plataforma.

      Eu particularmente acho a biblioteca do 3DS fraca, a do Vita pior ainda e o fato de jogar os exclusivos da Nintendo é uma coisa que não me seduz tanto hoje em dia, (digo isso porque também tive a maioria dos consoles dela, com exceção do GC) percebi com o Wii que apenas isso não era mais suficiente.

      • NietzscheFSpeed 3 anos atrs

        sorry, entendo que é teu ponto de vista sobre o assunto. Só acho que o crescimento de jogos mobile tem muito mais a ver com o fator conveniência (tipo, a pessoa que joga no iphone por ele também possuir essa função, e não por ela o ter comprado especificamente pra isso). Claro que podem surgir bons jogos, nada impede, mas me parece que o foco no mobile é muito mais em coisas pra passar o tempo ou versões genéricas de games perfeitamente jogáveis em outras plataformas.

        É claro que nem todo mundo tem condição (ou vontade) de investir grana num portátil dedicado a jogos, mas muita gente (me incluindo) ainda tem essa forte impressão de que a função de games num dispositivo mobile fica muito diluída em meio a tantas outras. Talvez por isso uma plataforma não vá necessariamente matar a outra (não num futuro próximo, rs).

    • Biostalker002 3 anos atrs

      @NietzscheFSpeed Concordo com seu argumento. E destaco também que além da qualidade dos jogos para os portáteis dedicados, temos as exclusividades para cada plataforma, tanto em termos de jogos quanto de elementos de jogabilidade. O DS provou por muito tempo que hardware não é uma limitação para que jogos de qualidade existam numa plataforma "inferior". E muitos dos jogos bons para o console não eram exclusivos da Nintendo

    • Engraçado como todo mundo que lê uma notícia especulativa considera que o autor disse que tudo o que está no campo das possibilidades vai acontecer amanhã

  • safomatetor 3 anos atrs

    Eu não acho que o mercado mobile e seus infinitos joguinhos vai reinar algum dia, muito disso se deve a jogabilidade limitada de um aparelho touch, quem ja jogou emulador no android deve saber que é impossível jogar alguns jogos la. Pouquíssimos jogos touch conseguem fazer nós gamers de console ou pc ficar vidrado em um jogo como se fosse um jogo de ps3 …. um exemplo é o SuperBrothers Sword e Sworcery que eu fiquei impressionado como os controles fluem de uma forma perfeita no touch screen (melhor ainda do que jogar no pc)e isso aliado a uma história anto fuckin foda, mas falar que esse jogo vendeu mais que angry birds, pff acho que não, isso mostra que as vezes é melhor lançar certo estilo de jogo na xboxlive do que no android porque muita gente joga no celular pra passar o tempo mesmo.

    Já os consoles portáteis o buraco é mais embaixo, previsões sobre o futuro é muito complicado, vai que as empresas vão lançar junto com os consoles de casa pra poder fazer stream la para o portatil sem lag daqui a uns anos? a velocidade da internet ta evoluindo de uma forma que abre infinitas possibilidades.

  • Marcos Henrique 3 anos atrs

    Também enxergo essa questão dos controles como um entrave, conforme consta no texto. Mas como eu disse, aparelhos com controles dedicados já começaram a aparecer, isso sem falar nos xing-ling que se proliferam por aí, alguns com specs muito boas até.

    • safomatetor 3 anos atrs

      Então eu acho que uma ligação de console portátil com o proprio console de mesa uma possível resposta, aquela integração, jogos via internet com gráficos mega fodas .

  • Loco Milk 3 anos atrs

    É esse ano vai ser mammiludo, um a cacetada de portáteis batendo cabeça!! Qual será o melhor??

  • Eduardy 3 anos atrs

    O 3DS não vai cair nessa questão, agora o sucessor dele que vai ter problemas(mas a nintendo provavelmente vai conhecer os rivais e contra-atacar, mas se vai ganhar a concorrência ai é outra historia).
    E toda essa desconfiança com o futuro do 3DS pra mim muito se deve a nintendo não dar a importância que deveria a distribuição de jogos digital, aliais, é um portátil caramba!

  • GabrielVRosa 3 anos atrs

    concordo e discordo em partes
    creio que a qualidade de jogos nos outros dispositivos alem de portáteis vem melhorando muito de uns tempos pra ca,mas acho que só isso não vai fazer com que os portáteis acabem
    o que eu penso o pessoal já falou nos comentários,o que faz um console ser bom é a qualidade dos jogos,ou seja se eles são divertidos,se você pegar um iphone da vida vai conseguir muitas horas com jogos indies e tal mas nunca vai conseguir a qualidade de um jogo feito pro portátil
    acho que esse pessoal mais casual que quer jogar uma coisa o outra vai ficar com um iphone da vida mais o pessoal que gosta mesmo de jogar sempre vai querer um portátil,eu por exemplo to pensando muito se vou comprar o 3DS mesmo tendo um ipad e um iphone,e o porque disso ? porque mesmo com os dois eu ainda acho que falta algo nos jogos(sem falar que o anunciamento do novo pokemon e vários outros títulos exclusivos e também não exclusivos vem me atraído cada vez mais ao portátil)
    e essa história de hardware,sem ofensa,mas pra mim nunca justificou se alguma coisa é melhor que a outra,digo em questão de diversão(a própria história já nos mostrou isso)
    de qualquer forma bom texto,e essa discussão é muito longa…

  • F4bio 3 anos atrs

    Meu último portátil foi um PSP, tive um DS também e realmente o que vale é a função a qual o aparelho foi projetado. A qualidade será muito melhor pelo cuidado que as desenvolvedoras vão ter.

    O gamer mais hardcore vai preferir um console do que um celular, tablet, etc. A " função game" dos smartphones é só mais um recurso para chamar o consumidor. Não é garantia de qualidade como já falaram.

    Emuladores, sim, essa é uma das qualidades que vejo no meu tablet. To me divertindo afu, relembrando jogos do passado, ai sim vale muito um Hardware bom hahahahaha.